Francisco Leitão de Carvalho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Francisco Leitão de Carvalho (Lamego - 21 de Setembro de 1806) foi um prelado português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de António Leitão de Carvalho e de sua mulher Maria Teresa Jacinta Rebelo de Vasconcelos.

Ainda muito jovem, professou no mosteiro cisterciense de Santa Maria de Salzedas e foi Lente de Teologia na Faculdade de Teologia da Universidade de Coimbra. Escolhido para Abade do Mosteiro de Nossa Senhora do Desterro em Lisboa, foi também Esmoler-mor do Reino, Procurador Geral da sua ordem e mais tarde Geral e reformador da mesma.

Bispo de Beja[editar | editar código-fonte]

Eleito Bispo de Beja a 24 de Março de 1802 e confirmado na ano seguinte, fez a sua entrada solene na Diocese a 21 de Dezembro de 1803, sendo o segundo bispo da Diocese restaurada de Beja. Da sua actividade pastoral apenas se conhece uma Provisão de 4 de Janeiro de 1805, pela qual publicou o Breve de Pio VII: “Cum, sicut quedam sunt” (24/VI/1804), no qual o Pontífice permitia aos fiéis o trabalho em vários dias do ano.

Morreu a 21 de Setembro de 1806.

Ícone de esboço Este artigo sobre Episcopado (bispos, arcebispos, cardeais) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Precedido por
D. Fr. Manuel (I) do Cenáculo Vilas Boas
Brasão episcopal
Bispo de Beja

18021806
Sucedido por
D. Fr. Joaquim do Rosário