Francisco Lemos de Faria Pereira Coutinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Francisco Lemos de Faria Pereira Coutinho
Nascimento 5 de abril de 1735
Marapicu, Rio de Janeiro, Flag of the Princes of Brazil.svg Brasil
Morte 16 de abril de 1822 (87 anos)
Coimbra, Flag of Portugal (1830).svg Portugal
Nacionalidade português
Ocupação Padre católico, jurista, político
Religião Igreja Católica

Dom Francisco de Lemos de Faria Pereira Coutinho, 17.º Conde de Arganil (Marapicu, 5 de abril de 1735Coimbra, 16 de abril de 1822), foi um prelado da Igreja Católica, jurista e político português, nascido na então colônia do Brasil. Foi Bispo de Coimbra durante mais de quatro décadas, de sua nomeação em 1779 até sua morte. Exerceu também o cargo de Reitor da Universidade de Coimbra em dois períodos, somando 31 anos, o que faz de Lemos o reitor que mais tempo esteve à frente da Universidade.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Francisco de Lemos de Faria Pereira Coutinho nasceu no dia 5 de abril de 1735 em Marapicu, na Freguesia de Santo Antônio de Jacutinga — hoje parte do município de Nova Iguaçu — na então Capitania do Rio de Janeiro. Seus pais eram Manuel Pereira Ramos e Helena de Andrade de Sotomaior, ambos membros de famílias da elite colonial. Seu pai, Manuel Ramos, era na época capitão-mor do Rio de Janeiro e senhor de vários engenhos, como o de Marapicu.[2][3] Fez seus primeiros estudos em um estabelecimento dos Jesuítas no Rio de Janeiro, e em 1746, aos 11 anos de idade, foi para Portugal, onde dois anos depois matriculou-se no curso de Cânones da Universidade de Coimbra. Em 1753 adquiriu o grau de Bacharel, e no ano seguinte, aos 19 anos, obteve seu Doutoramento.[1]

Ainda em 1753, em Coimbra, Lemos recebeu pelas mãos do Bispo de Macau, Dom Bartolomeu, a prima tonsura e as quatro ordens menores. Alguns anos depois, entre finais de 1759 e inícios de 1760, após licença do Patriarca de Lisboa, recebeu as ordens maiores de subdiácono, diácono e presbítero pelas mãos do Arcebispo de Lacedemônia.[1][3]

Por carta régia de 14 de maio de 1770, foi nomeado Reitor da Universidade de Coimbra; a partir de 1772, acumulou a este cargo o de Reformador da Universidade. É deste período a Relação Geral do Estado da Universidade, redigida por Lemos em 1777, documento até hoje indispensável ao estudo da Universidade, à frente da qual esteve até outubro de 1779.[1]

Em 1773, o Papa Clemente XIV, o Rigoroso, nomeou-o para coadjutor do Bispo de Coimbra. A 13 de abril de 1774, foi sagrado Bispo, recebendo a sé titular de Zenópolis na Lícia. A 12 de setembro de 1779, tornou-se o 52.º Bispo de Coimbra e, consequentemente, o 17.º Conde de Arganil, após a morte de seu antecessor, Dom Miguel da Anunciação. Dom Francisco foi bispo desta diocese até a sua morte.[1][3]

Por carta régia de 13 de maio de 1799, foi novamente feito Reitor da Universidade de Coimbra, permanecendo no cargo até 11 de setembro de 1821, quando, contando já 86 anos de idade, solicitou sua remoção.[1]

Ainda em 1821, havia sido eleito deputado brasileiro às Cortes de Lisboa pela Província do Rio de Janeiro; Lemos, contudo, com a saúde já muito debilitada, renunciou à posição, nunca chegando a assumi-la.[1][4]

Dom Francisco faleceu no Paço Episcopal de Coimbra, no dia 16 de abril de 1822, aos 87 anos. Era tio paterno de Henrique de Macedo Pereira Coutinho, 1.º Conde de Macedo.[1][3]

Referências

  1. a b c d e f g h ALVES, Carlos Fernando Teixeira. D. Francisco de Lemos de Faria Pereira Coutinho, uma biografia (1735-1822). São Paulo: Revista de História da Universidade de São Paulo, n. 178 (2019), pp. 3-23. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/view/145431/156621. Acesso em 21 dez. 2020.
  2. MARTINS, Maria Fernanda Vieira. Famílias, poderes locais e redes de poder: estratégias e ascensão política das elites coloniais no Rio de Janeiro (1750-1808). In: Anais do Congresso Internacional da Pequena Nobreza nos Impérios Ibéricos de Antigo Regime. Lisboa: Instituto de Investigação Científica Tropical, v. 1 (2011), pp. 1-7. Disponível em: http://www.iict.pt/pequenanobreza/arquivo/Doc/t5s1-02.pdf. Acesso em 15 set. 2016.
  3. a b c d SANTOS, Marta Gomes dos. Heráldica eclesiástica - Brasões de armas de Bispos-Condes (Dissertação de Mestrado). Coimbra: Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Disponível em: https://www.academia.edu/1118570/Heráldica_eclesiástica_Brasões_de_armas_de_bispos-condes. Acesso em 22 mai. 2018.
  4. CARVALHO, Manuel Emílio Gomes de. Os Deputados Brasileiros nas Cortes de 1821. Brasília: Senado Federal, (1979) p. 57.


Precedido por
Gaspar de Saldanha e Albuquerque
Reitor da Universidade de Coimbra
1770 — 1779
Sucedido por
José Francisco Miguel António de Mendonça
Precedido por
Francisco Rafael de Castro
Reitor da Universidade de Coimbra
1799 — 1821
Sucedido por
Francisco de São Luís Saraiva
Precedido por
Miguel da Anunciação
Brasão episcopalConde de Arganil
Bispo de Coimbra-Conde de Arganil

1779 — 1822
Sucedido por
Frei Francisco de São Luís Saraiva