Francisco Miró Quesada Cantuarias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Francisco Miró Quesada Cantuarias
Nascimento 21 de dezembro de 1918
Lima,  Peru
Morte 11 de junho de 2019 (100 anos)
Lima, Peru
Nacionalidade Peruana
Ocupação Filósofo, lógico e jornalista

Francisco Miró Quesada Cantuarias (Lima, Peru; 21 de dezembro, 1918 - Lima, Peru; 11 de juhho de 2019) foi um filósofo, matemático e jornalista peruano.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho do jornalista Óscar Miró Quesada de la Guerra e de María Josefina Cantuarias Dañino, estudou na Universidad Nacional Mayor de San Marcos, onde obteve o doutorado em Filosofía.

Foi integrado à Reitoria da América em 1941; assumiu a cadeira de filósofos contemporâneos; em 1946, assumiu o curso de lógica.

Foi o primeiro cidadão do continente americano a ocupar o cargo de Presidente da Federação Internacional das Sociedades de Filosofia, eleito em Moscou em 1990.

Em 1952, pesquisou, para a Unesco, como funcionam os sistemas educativos da França, Itália e Inglaterra, a formação de professores do ensino secundário, nos referidos países.

Em 1953 tornou-se diretor do Suplemento Dominical do diário El Comercio.

Em 1955, a convite da Universidade de Bonn, na Alemanha, ministrou um curso de inverno em "Educação Pública"

Durante o governo do presidente Fernando Belaúnde Terry, em julho de 1963, foi designado Ministro de Educação do Peru, realizou várias inovações como a criação de uma seção para atender os pais e professores.

No Governo de Francisco Morales Bermúdez, foi o ideólogo Acción Popular convocado pela referida gestão e trabalhou como professor na Universidade Peruana Cayetano Heredia e na Universidade de Lima.

Dirigiu as Cátedras de Filosofia do Direito na Faculdade de Direito da Universidade de Lima.

Contribuiu para a fundação da Sociedade Peruana de Filosofia, sendo seu presidente, e membro da Academia Peruana da Língua, 1971.

Foi diretor do diário El Comércio de Lima, responsável pela edição do Suplemento Dominical, 1953, até setembro de 2008

Francisco Miró Quesada Cantuarias recebeu a Medalha de Honra do Congresso da República, no grau de Grande Oficial, por sua obra filosófica, atividade jornalística, pensamento político e divulgação científica , em 9 de dezembro de 2008. [1] [2] [3]

Miro Quesada exerceu função diplomática, representado o Peru como embaixador.

Sua primeira obra publicada foi "Sentido del movimiento fenomenológico", em 1941.

Seu grande interesse era a introdução, no Peru, da lógica e das correntes epistemológicas contemporâneas. Miró Quesada cunhou o termo Lógica Paraconsistente em 1976.

Declarou que os encontros marcantes em sua vida foram com Madre Teresa de Calcutá, Albert Einstein e Kurt Godel.

Divulga seu pensamento especialmente no campo da "Lógica matemática", em temas como as relações entre as matemáticas e a filosofia e entre ciência e filosofia, como diretor do Suplemento Dominical do diário El Comércio.

Escreveu crônicas de viagem, sob o título "A Outra metade do mundo", apresentando suas impressões da viagem que fez à Rússia Soviética, a China Comunista e a outros países da "Cortina de Ferro".

Miró Quesada é admirador do matemático brasileiro Newton Carneiro Affonso da Costa Newton da Costa que criou um sistema lógico que rompeu com todos os paradigmas anteriores.[1] [2] [3]

Francisco Miró Quesada Cantuarias casou-se com Doris Rada Jordán, e é pai de Francisco Miró Quesada Radá, politólogo, jurista, escritor e jornalista.

Pensamento[editar | editar código-fonte]

Suas obras versam sobre diversos temas, como lógica, matemática, filosofia da cultura e filosofia do direito.

Miró Quesada afirma a existência de uma filosofia ou modo de filosofar da América Latina. Suas principais influências são os filósofos José Ortega y Gasset e Leopoldo Zea. Miró Quesada considera que a história do projeto de filosofar latino-americano pode ser dividida em três gerações. A primeira geração nasceu no fim do século XIX, combatendo o positivismo e buscando na filosofia europeia seu instrumental para a crítica. Era a geração dos "fundadores" ou "patriarcas". A primeira geração era autodidata e não tinha acesso direto às fontes, a segunda geração, a geração dos "forjadores", adotou o projeto de recuperação, aprendeu línguas antigas e modernas para poder interpretar os textos.

Na década de 1930, nasceu a terceira geração, que se divide em duas vertentes, uma universal e a outra regional, segundo Miró Quesada, os que querem filosofar no estilo europeu e apresentar soluções para problemas universais da filosofia, o caso da normalização de Francisco Romero e os que indagam se e possível uma especificidade da filosofia na América Latina, uma filosofia latino americana, Grupo Hiperión.

Pensar o destino do homem, através de um novo conceito de razão e análise prática, é a tarefa filosófica mais importante, Miró Quesada definiu-se como um ateu nostálgico e depois adotou um tipo de panteísmo.

Em "O conceito de razão", 1975, faz uma reflexão sobre a multiplicidade de lógicas, intuicionista, multiuso, probabilidade, modal, mostra que há princípios racionais comuns para estes sistemas, tais princípios revelam uma estrutura racional profunda. A razão se expande, mantendo uma unidade na diversidade a razão, como um sistema de princípios universais e necessários.

Em "Notas para uma teoria da Razão", de 1963, Miró Quesada argumenta que o sistema tradicional de provas da razão havia parcialmente expirado, isso, contudo, não o faz rejeitar a razão, mas exige um processo de purificação da evidência racional, através do rigor de formalização, o problema da relação entre o conhecimento e a linguagem. [1] [2] [3] [4]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Sentido del movimiento fenomenológico, 1940
  • El problema de la libertad y la ciencia com Oscar Miró Quesada, 1943
  • Lógica, 1946
  • Iniciación lógica, 1958
  • La otra mitad del mundo 2 vols., 1959
  • Apuntes para una teoría de la razón, 1963
  • Humanismo y revolución, 1969
  • Despertar y proyecto del filosofar latinoamericano, 1974
  • Filosofía de las matemáticas, 1976
  • Proyecto y realización del filosofar latinoamericano, 1981
  • Ensayos de filosofía del derecho, 1986
  • Las Supercuerdas year, 1993
  • Razón e historia en Ortega y Gasset, 1993
  • Para iniciarse en la filosofía", 1998
  • Esquema de una teoría de la razón", 2013

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c [1] Francisco Miró Quesada Cantuarias, Wikipedia, espanhol
  2. a b c [2] Universidad Nacional Mayor de San Marcos, Francisco Miró Quesada Cantuarias, Biografia
  3. a b c [3] Ministério da Educação do Peru, Francisco Miró Quesada Cantuarias, Biografia
  4. [4]