Francisco Xavier Cândido Guerreiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Francisco Xavier Cândido Guerreiro
Nascimento 3 de dezembro de 1871
Alte
Morte 11 de abril de 1953 (81 anos)
Lisboa
Nacionalidade portuguesa
Ocupação poeta

Francisco Xavier Cândido Guerreiro (Alte, 3 de Dezembro de 1871Lisboa, 11 de Abril de 1953), foi um advogado, dramaturgo e poeta pós-simbolista.[1][2][3] português.

Cândido Guerreiro, formou-se em direito na Universidade de Coimbra em 1907.[1] Foi notário em Loulé[1][2][3] e em Faro.[1][3]

Este poeta, que fez parte do grupo da "Renascença Portuguesa"[2][3] foi também, presidente das Câmaras Municipais de Loulé[1][2][3] e de Faro[2][3] no período compreendido entre 1923 a 1941. Tem colaboração em diversas revistas, entre elas na revista Arte & vida [4] (1904-1906), na II série da revista Alma nova [5] (1915-1918), que começou a publicar-se em Faro em 1914, Atlântida (1915-1920), , Contemporânea[6] (1915-1926) e ainda na Revista de turismo [7] iniciada em 1916.

O "Auto das Rosas de Santa Maria", obra de Cândido Guerreiro, foi pela primeira vez representado em 1940 com música de Francisco Fernando Lopes.[2][3]

Em Alte, terra natal do poeta, existe uma escola designada "Escola Profissional Cândido Guerreiro" em homenagem ao poeta. A casa de Cândido Guerreiro em Faro, está em Vias de Classificação pelo IGESPAR.

A sua escrita destacou-se[2][3]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Rosas Desfolhadas (1895)
  • Pétalas (1897)
  • Avé Maria (1900)
  • Sonetos (1904)
  • Balada (1907)
  • Eros (1907)
  • Glicínias (1925)
  • Promontório Sacro (1929)
  • Em Forli (1931)
  • Rainha Santa (1934)
  • Auto das Rosas de Santa Maria (1940)
  • Às Tuas Mãos Misericordiosas (1943)
  • Sulamitis (1945)
  • Avante e Santiago (1949)
  • Uma Promessa (1950)
  • Sonetos e Outros Poemas (1972) (publicado postumamente)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e Grande Enciclopédia Universal (vol. 10) ISBN 84-96330-10-9
  2. a b c d e f g Grande Livro dos Portugueses ISBN 972-42-0143-0
  3. a b c d e f g h Enciclopédia Larousse (vol. 9) ISBN 978-972-759-929-5
  4. Daniel Pires (1996). «Ficha histórica: Arte e Vida: Revista d'arte, crítica e ciência (1904-1906)» (pdf). Dicionário da Imprensa Periódica Literária Portuguesa do Século XX (1900-1940). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 18 deSetembro de 2014  Texto " Lisboa, Grifo, 1996 " ignorado (ajuda); Texto " pp. 71-72 " ignorado (ajuda); Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  5. Rita Correia (19 de julho de 2011). «Ficha histórica:Alma nova: revista ilustrada (II Série) (1915-1918)» (PDF). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 13 de março de 2015 
  6. Contemporânea (1915-1926) cópia digital, Hemeroteca Digital
  7. Jorge Mangorrinha (16 de janeiro de 2012). «Ficha histórica:Revista de Turismo: publicação quinzenal de turismo, propaganda, viagens, navegação, arte e literatura (1916-1924)» (PDF). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 13 de Maio de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]