Francisco de Sales Oliveira Júnior

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Francisco de Sales Oliveira Júnior
Retrato realizado na década de 1890.
Senador estadual por São Paulo
Período 1892
a 1894
Diretor da Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
Período 1896-99
Secretário de obras públicas da Província de São Paulo
Período 1885
a 1888
Diretor da Companhia Campineira de Águas e Esgoto
Período 1890
a 1892
Dados pessoais
Nascimento 23 de abril de 1852 (168 anos)
Jacareí
Morte 23 de setembro de 1899 (47 anos)
São Paulo
Progenitores Pai: Francisco de Salles Oliveira
Alma mater Universidade de Gante (1877)
Filhos Armando de Sales Oliveira
Partido Partido Republicano Paulista
Profissão engenheiro civil

Francisco de Sales Oliveira Junior (Jacareí, 23 de abril de 1852 - São Paulo, 23 de setembro de 1899) foi um engenheiro e político brasileiro, tendo ocupado diversos cargos públicos sendo o de Senador Estadual o de maior destaque. Um de seus filhos, Armando de Sales Oliveira tornou-se interventor federal e governador do estado de São Paulo. [1]

História[editar | editar código-fonte]

Nascido em Jacareí, Sales Oliveira estudou engenharia na Universidade de Gant, Bélgica, formando–se em 1877. Ingressou na empresa de construção Figueira & Sá como engenheiro residente, participando da construção da Estrada de Ferro Pirapetinga (aberta em 1880 e posteriormente absorvida pela Estrada de Ferro Leopoldina).[2]

Posteriormente passou a trabalhar em projetos de mineração financiados pelo Banco União de São Paulo até ser convidado pelo presidente de São Paulo a assumir a secretaria de obras públicas daquela província em 1885, permanecendo no cargo até 1888. Um de seus trabalhos mais importantes foi criar a comissão demarcadora dos limites da cidade de São Paulo.[3][4][5][6]

Uma grande epidemia de febre amarela atingiu Campinas com violência em 1889. Um dos maiores fatores que facilitou a propagação dessa moléstia foi a falta de saneamento da segunda cidade mais populosa da província. Para conter a epidemia era necessário realizar obras de saneamento na cidade. Em 20 de novembro de 1890 Salles Oliveira foi contratado pela Companhia Campineira de Águas e Esgoto para a implantação de um projeto emergencial, tendo projetado e implantado as primeiras redes de abastecimento de água e coleta de esgoto da cidade em plena epidemia de febre amarela. Com a implantação do sistema de abastecimento regular de água e coleta de esgoto, o número de mortes caiu e o trabalho de Oliveira Junior acabou reconhecido. Ingressou no Partido Republicano Paulista e candidatou-se a uma cadeira no Senado Estadual, tendo sido eleito como suplente e acabou assumindo na 2ª legislatura (1892-94).[7][8][9][10]

Deixou a política para ocupar o cargo de diretor da Companhia Mogiana de Estradas de Ferro e Navegação, onde permaneceu até sua morte. Faleceu aos 47 anos em São Paulo, no dia 23 de setembro de 1899, por conta de problemas pulmonares.[11]

A estação do quilômetro 48 do ramal de Igarapava da Mogiana foi batizada de Sales Oliveira em sua homenagem, dando origem ao futuro município homônimo.[12] A cidade de Campinas o homenageou, batizando uma de suas ruas com o nome de Doutor Salles de Oliveira.[13]

Seu neto (1920-1983), batizado com o mesmo nome como homenagem, foi diretor da Estrada de Ferro Sorocabana entre 1967 e 1971 onde foi o principal responsável por conduzir o projeto de unificação administrativa das ferrovias do estado (culminando na criação da Fepasa).[14][15]

Referências

  1. Vilma Keller (2009). «Armando de Sales Oliveira». Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil da Fundação Getulio Vargas. Consultado em 29 de abril de 2020 
  2. José Alvares de Araújo Souza (15 de novembro de 1880). «Breve notícia sobre a E. F. de Pirapetinga». Revista de Engenharia, ano II, edição 11, páginas 184 e 185/republicado pela Biblioteca Nacional-Hemeroteca Digital Brasileira. Consultado em 30 de abril de 2020 
  3. «Repartição de obras públicas». Correio Paulistano, ano XXXII, edição 8675, página 1/republicado pela Biblioteca Nacional-Hemeroteca Digital Brasileira. 24 de julho de 1885. Consultado em 30 de abril de 2020 
  4. «Obras públicas». Almanach da Provincia de São Paulo, página 52/republicado pela Biblioteca Nacional-Hemeroteca Digital Brasileira. 1886. Consultado em 30 de abril de 2020 
  5. «Obras públicas». Almanach da Provincia de São Paulo, página 65/republicado pela Biblioteca Nacional-Hemeroteca Digital Brasileira. 1887. Consultado em 30 de abril de 2020 
  6. «Demarcação dos limites urbanos da capital». Correio Paulistano, Ano, XXXIV, edição 9551, página 3/republicado pela Biblioteca Nacional-Hemeroteca Digital Brasileira. 5 de julho de 1888. Consultado em 30 de abril de 2020 
  7. «1892- Senado de São Paulo». Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo. 2002. Consultado em 30 de abril de 2020 
  8. Maria Alice Rosa Ribeiro (8 de junho de 2017). «Febre amarela…uma das histórias sem fim». Revista ComCiência, ISSN 1519-7654. Consultado em 29 de abril de 2020 
  9. Fernando Evans (21 de janeiro de 2017). «Febre amarela quase tirou Campinas do mapa na reta final do século 19». G1-Campinas. Consultado em 30 de abril de 2020 
  10. SANTOS, Antônio da Costa (2002). Campinas, das origens ao futuro:compra e venda de terra e água e um tombamento na primeira sesmaria da Freguesia de Nossa Senhora da Conceição das Campinas do Mato Grosso de Jundiaí (1732-1992). [S.l.]: Editora da Unicamp. p. 270. ISBN: 85-268-0486-3 
  11. «Falecimento (8ª Coluna)». Correio Paulistano, Ano, XLVI, edição 12953, página 1/republicado pela Biblioteca Nacional-Hemeroteca Digital Brasileira. 24 de setembro de 1899. Consultado em 30 de abril de 2020 
  12. Ralph Mennucci Giesbrecht (2001). «Sales Oliveira». Estações ferroviárias do Brasil. Consultado em 30 de abril de 2020 
  13. Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (2015). «Do transporte ferroviário ao sobre pneus,Salles Oliveira mantém sua importância nos deslocamentos:Mais de 70 mil passageiros passam diariamente pela rua». Internet Archive. Consultado em 30 de abril de 2020 
  14. FERROVIA PAULISTA SOCIEDADE ANÔNIMA (1983). Dirigentes da Sorocabana e Fepasa. [S.l.]: Gráfica Fepasa:Jundiaí 
  15. Poder Judiciário (26 de julho de 1984). «Inventário de Francisco de Sales Oliveira Júnior» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo, Caderno: Judiciário II , página 83. Consultado em 30 de abril de 2020