Franz Keller-Leuzinger

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Franz Keller-Leuzinger

Franz Keller-Leuzinger (Mannheim, 1835 - Munique, 1890) foi um desenhista, pintor, engenheiro e fotógrafo alemão.

Chegou ao Brasil em 1856, em companhia do pai, o engenheiro alemão Joseph Keller, e do irmão, Ferdinand Keller (1842-1922), contratados pelo governo brasileiro para realizar obras viárias de ligação entre cidades.Trabalhou como engenheiro na estrada de ferro Madeira-Mamoré no mesmo ano. Franz casou com Sabine Christine Leuzinger (1842-1915), filha do fotógrafo, livreiro e editor suíço de Georg Leuzinger, adotando o sobrenome do sogro.

Em 1860, assume a direção do departamento fotográfico da Casa Leuzinger[1] , no Rio de Janeiro, onde terá como aprendiz o fotógrafo Marc Ferrez (1843-1923). Na década de 1860, realizou expedição ao Alto Amazonas em companhia de August Frisch registrando, em imagem fotográficas e desenhos, aspectos da história, da arqueologia e dos costumes locais[2] . Entre 1862 e 1867, acompanha o pai em levantamentos no rio Paraíba, na região entre Campo Belo e Barra do Piraí; nos vales do rio Paraíba e Pomba, nos rios Iguaçu, Paranapanema e Tibagi. Dessas investigações resultam relatórios publicados pelo Ministério da Agricultura. Posteriormente, acompanha o pai em expedição ao rio Madeira, incumbidos pelo governo brasileiro de planejar a construção de uma ferrovia. Nessas expedições, registra em notas, desenhos e aquarelas vistas locais da fauna e flora, aspectos arqueológicos e etnográficos das regiões por onde passa.

Retorna para a Alemanha em 1873 e, no ano seguinte, publica o livro Vom Amazonas und Madeira, com anotações, desenhos e aquarelas da última expedição. Fotografias, aquarelas e desenhos de sua autoria podem ser encontrados na coleção Dona Thereza Christina Maria, da Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro; na coleção de Paulo e Maria Cecília Geyer; e também na coleção White Martins, do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ).

Referências