Franz de Castro Holzwarth

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Servo de Deus Franz de Castro Holzwarth
Nome completo Franz de Castro Holzwarth
Nascimento 18 de maio de 1942
Barra do Piraí
Morte 14 de fevereiro de 1981 (38 anos)
Jacareí
Nacionalidade  Brasil

Franz de Castro Holzwarth (Barra do Piraí, 18 de maio de 1942 - Jacareí, 14 de fevereiro de 1981) foi um defensor dos direitos humanos, cuja morte encerra uma vida repleta de ações em favor dos encarcerados. Faleceu ao 38 anos no dia 14 de fevereiro de 1981, morto durante uma rebelião na cadeia pública de Jacareí, quando havia sido chamado para mediar o motim e se ofereceu para ficar como refém no lugar de um policial militar.[1]

Em 6 de março de 2009, se iniciou o Processo da Causa de Canonização de Franzro de Cast na Diocese de São José dos Campos; a causa já está na Fase Romana e Franz já possui o título de Servo de Deus.[2]

Prêmio Franz de Castro Holzwarth[editar | editar código-fonte]

Não por acaso, dá nome ao Prêmio Franz de Castro Holzwarth concedido pela OAB/SP.[3] O prêmio laureia anualmente as personalidades que se destacam na defesa dos direitos humanos. Dentre os laureados:

  1. José Gaspar Gonzaga Franceschini (1983);
  2. José Carlos Dias (1984);
  3. Heleno Fragoso (1985);
  4. Padre Agostinho Duarte de Oliveira (1986);
  5. Paulo César Fonteles de Lima (in memorian - 1987);
  6. Ulisses Guimarães (1988);
  7. Vanderlei Aparecido Borges (1989);
  8. Fábio Konder Comparato (1990);
  9. Maria Elilda dos Santos (1991);
  10. Caco Barcelos (1992);
  11. Herbert de Souza (Betinho - 1994);
  12. Vicente Paulo da Silva (Vicentinho - 1995);
  13. Dom Paulo Evaristo Arns (1996);
  14. Henry Sobel (1997)
  15. Hélio Pereira Bicudo (1998);
  16. André Franco Montoro (in memorian - 1999);
  17. Padre Júlio Lancellotti (2000);
  18. Dalmo de Abreu Dallari, Plínio de Arruda Sampaio e Ranulfo de Melo Freire (2001);
  19. Kenarik Boujikian Felippe (2002);
  20. Fermino Fecchio (2003);
  21. Goffredo da Silva Telles Júnior (2004);
  22. Abdias Nascimento (2005);
  23. APAE (2006);
  24. Marco Aurélio Mello (2007);
  25. Gilmar Mendes (2008);
  26. Idibal Pivetta (2009).

Referências