Frederico Miguel, Conde Palatino de Zweibrücken

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Frederico Miguel
Conde Palatino de Zweibrücken
Frederico Miguel por Louis Tocqué
Nascimento 27 de fevereiro de 1724
  Ribeauvillé, Alsácia
Morte 15 de agosto de 1767 (43 anos)
  Schwetzingen, Baden-Württemberg
Cônjuge Maria Francisca de Sulzbach
Descendência Carlos II Augusto, Duque de Zweibrücken
Clemente Augusto do Palatinado-Zweibrücken
Amália do Palatinado-Zweibrücken
Maria Ana do Palatinado-Zweibrücken
Maximiliano I José da Baviera
Karl Friedrich Stephan
Casa Wittelsbach
Pai Cristiano III, Conde Palatino de Zweibrücken
Mãe Carolina de Nassau-Saarbrücken

Frederico Miguel, Conde Palatino de Zweibrücken-Birkenfeld (27 de Fevereiro de 172415 de Agosto de 1767) foi um membro da dinastia de Wittelsbach. Era filho de Cristiano III, Conde Palatino de Zweibrücken e da princesa Carolina de Nassau-Saarbrücken e membro da Casa do Palatinate-Zweibrücken-Birkenfeld, um ramo secundário da Casa de Wittelsbach. Era pai do rei da Baviera, Maximiliano I José.

Guerra dos Sete Anos[editar | editar código-fonte]

Frederico Miguel era também marechal-de-campo do Palatinado, governador de Mannheim e, finalmente, em 1758 foi nomeado Marechal-de-campo do Sacro Império e comandante-em-chefe do Reichsarmee durante a Guerra dos Sete Anos contra Frederico, o Grande. Após a Batalha de Rossbach, conseguiu voltar a levantar a moral do exército imperial, que tinha sido dizimado e, por isso, recebeu a Grã Cruz da Ordem Militar de Maria Teresa.[1] No outono de 1758, invadiu a Saxónia, tomou a fortaleza de Sonnenstein[2] e deu início ao certo de Leipzig. No ano seguinte, foram conquistadas as cidades de Leipzig, Torgau, Wittenberg e Dresden. Prestou auxílio ao marechal Daun na Batalha de Maxen e venceu a Batalha de Strehlen. Em 1761, reformou-se do seu posto e entregou as suas tropas ao marechal-de-campo Johann von Serbelloni. Após a Paz de Hubertusburg Frederico Miguel recebeu o comando geral da Boémia e, mais tarde, tornou-se presidente da conferência militar secreta.

Família[editar | editar código-fonte]

Frederico Miguel casou-se com Maria Francisca de Sulzbach, neta de Carlos III Filipe, Eleitor Palatino, e teve cinco filhos:

  1. Carlos Augusto (Karl August) (29 de Outubro de 1746 – 1 de Abril de 1795), casado com a princesa Maria Amália da Saxónia; com descendência.
  2. Clemente Augusto (Klemens August) (18 de Setembro de 1749 – 19 de Junho de 1750), morreu com nove meses de idade
  3. Amália (Amalia) (10 de Maio de 1752 – 15 de Novembro de 1828), casada com o rei Frederico Augusto I da Saxónia; com descendência.
  4. Maria Ana (Maria Anna) (18 de Julho de 1753 – 4 de Fevereiro de 1824), casada com o duque Guilherme da Baviera; com descendência.
  5. Maximiliano I José (Maximilian Joseph) (27 de Maio de 1756 – 13 de Outurbro de 1825), rei da Baviera entre 1799 e 1806. Casou-se primeiro com a princesa Augusta Guilhermina de Hesse-Darmstadt; com descendência. Casou-se depois com a princesa Carolina de Baden; com descendência.

Teve também um filho ilegítimo com a sua amante, Louise Cheveau:

  • Karl Friedrich Stephan (1767 – 1834), barão de Schönfeld (1813), conde de Otting e Fünfstetten (1817). A sua filha Luise casou-se com August von Senarclens de Grancy.

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Os antepassados de Frederico Miguel, Conde Palatino de Zweibrücken em três gerações
Frederico Miguel, Conde Palatino de Zweibrücken Pai:
Cristiano III, Conde Palatino de Zweibrücken
Avô paterno:
Cristiano II, Conde Palatino de Zweibrücken-Birkenfeld
Bisavô paterno:
Cristiano I, Conde Palatino de Birkenfeld-Bischweiler
Bisavó paterna:
Madalena Catarina do Palatinado-Zweibrücken
Avó paterna:
Catarina Ágata de Rappoltstein
Bisavô paterno:
João Jacob, Conde de Rappoltstein
Bisavó paterna:
Ana Cláudia de Salm-Kyrburg
Mãe:
Carolina de Nassau-Saarbrücken
Avô materno:
Luis Crato, Conde de Nassau-Saarbrücken
Bisavô materno:
Gustavo Adolfo, Conde de Nassau-Saarbrücken
Bisavó materna:
Leonor Clara de Hohenlohe-Neuenstein
Avó materna:
Filipina Henriqueta de Hohenlohe-Langemburgo
Bisavô materno:
Henrique Frederico, Conde de Hohenlohe-Langemburgo
Bisavó materna:
Juliana Dorotéia de Castell-Remlingen

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Jaromir Hirtenfeld: Der Militär-Maria-Theresien-Orden und seine Mitglieder, Kaiserliche Hof- und Staatsdruckerei, Wien 1857, p. 1728.
  2. Karl Wilhelm Böttiger: Geschichte des Kurstaates und Königreiches Sachsen, Band 2, F. Perthes, 1831, p. 336

Bibliografia[editar | editar código-fonte]