Fricativa alvéolo-palatal expressa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Fricativa alvéolo-palatal expressa
ʑ
IPA 183
Codificação
Entidade (decimal) ʑ
Unicode (hex) U+0291
X-SAMPA z\
Som

A fricativa alvéolo-palatal sonora é um tipo de som consonantal, usado em algumas línguas faladas. O símbolo no Alfabeto Fonético Internacional que representa este som é ⟨ʑ⟩ ("z", mais a curvatura também encontrada em sua contraparte surda ⟨ɕ⟩), e o símbolo X-SAMPA equivalente é z\. É o equivalente sibilante da fricativa palatal sonora.

A fricativa sibilante alvéolo-palatal sonora é a realização usual de /ʒ/ (como na visão) no inglês ganense.[1]

Características[editar | editar código-fonte]

  • Seu local de articulação é alvéolo-palatal. Isso significa que:
  1. Seu ponto de articulação é pós-alveolar, o que significa que a língua entra em contato com o céu da boca na área atrás da crista alveolar (a linha gengival).
  2. A forma da língua é laminal, o que significa que é a lâmina da língua que entra em contato com o céu da boca.
  3. É fortemente palatalizado, o que significa que o meio da língua está curvado e levantado em direção ao palato duro.
  • Sua fonação é sonora, o que significa que as cordas vocais vibram durante a articulação.
  • É uma consoante oral, o que significa que o ar só pode escapar pela boca.
  • É uma consoante central, o que significa que é produzida direcionando o fluxo de ar ao longo do centro da língua, em vez de para os lados.
  • O mecanismo da corrente de ar é pulmonar, o que significa que é articulado empurrando o ar apenas com os pulmões e o diafragma, como na maioria dos sons.
  • Sua maneira de articulação é fricativa sibilante, o que significa que geralmente é produzida canalizando o fluxo de ar ao longo de uma ranhura na parte posterior da língua até o local de articulação, ponto em que é focado contra a borda afiada dos dentes quase cerrados, causando turbulência de alta frequência.

Ocorrência[editar | editar código-fonte]

Língua Palavra AFI Significado Notas
Abcaz ажьа [aˈʑa] Lebre
Adigue жьау [ʑaːw] Sombra
Catalão Oriental[2] ajut [əˈʑut̪] Ajuda
Balear[2]
Chinês Dialeto jiangshan da língua wu [ʑyœʔ] Dez
Min nan, hokkien taiwanês 今仔日/kin-á-ji̍t [kɪn˧a˥ʑɪt˥] Hoje
Inglês Ganês[3] vision [ˈviʑin] Visão Falantes educados podem usar [ʒ], ao qual este fone corresponde em outros dialetos.[3]
Japonês 火事/kaji [kaʑi] Fogo Encontrado com variação livre com [d͡ʑ] entre de vogais.
Cabardiano жьэ [ʑa] Boca
Coreano 경주/gyeongju [kjʌ̹ŋd͡ʑu] Corrida
Sorábio inferior[4] źasety [ʑäs̪ɛt̪ɨ][stress?] Décimo
Luxemburguês[5] héijen [ˈhɜ̝ɪ̯ʑən] Alto Alofone de /ʁ/ depois de vogais fonologicamente frontais; alguns falantes juntam com [ʒ]. Ocorre apenas em algumas palavras.[5]
Pa Na [ʑu˧˥] Pequeno
Pachto Dialeto wazirwola ميږ [miʑ] Nós
Polonês[6] źrebię Loudspeaker.svg? [ˈʑrɛbjɛ] Potro Também denotado pelo dígrafo ⟨zi⟩.
Português[7][8][9] magia [maˈʑi.ɐ] Magia Também descrito como palato-alveolar [ʒ].[10][11]
Romeno Dialetos transilvanos[12] gea [ˈʑanə] Sobrancelha Realizado como [d͡ʒ] no romeno padrão.
Russo Padrão conservador de Moscou[13] позже [poʑːe] Depois Um tanto obsoleto em algumas palavras, muitos falantes realizam como um [ʐː] forte.[13] Presente apenas em algumas palavras, normalmente escrito ⟨жж⟩ ou ⟨зж⟩.
Sema[14] aji [à̠ʑì] Sangue Possível alofone de /ʒ/ antes de /i, e/; pode ser realizado como [d͡ʑ] ~ [ʒ] ~ [d͡ʒ] no lugar.[14]
Servo-Croata Croata[15] puž će [pûːʑ t͡ɕe̞] O caracol vai Alofone de /ʒ/ antes de /t͡ɕ, d͡ʑ/.[15]
Alguns falantes de Montenegro źenica [ʑȇ̞nit̻͡s̪a̠] Aluno Fonemicamente /zj/ ou, eu alguns casos, /z/.
Espanhol Paraguaio[16] karro [ˈkaʑo] Carro Realização dialetal /r/ e alofone de /ɾ/ depois de /t/.
Usbeque[17] [exemplo necessário]
Xumi Superior[18] [Hʑɜ] Vinho
Yi /yi [ʑi˧] Tabaco

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Huber. [S.l.: s.n.] 2004. p. 859 
  2. a b Recasens & Espinosa (2007):145, 167
  3. a b Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome huber
  4. Zygis. [S.l.: s.n.] 2003. pp. 180–181 
  5. a b Gilles & Trouvain (2013), pp. 67–68.
  6. Jassem (2003):103
  7. Mateus & d'Andrade (2000)
  8. Silva (2003):32
  9. Guimarães (2004)
  10. Cruz-Ferreira (1995):91
  11. Medina (2010)
  12. Pop (1938), p. 30.
  13. a b Yanushevskaya & Bunčić (2015):224
  14. a b Teo (2014):23
  15. a b Landau et al. (1999):68
  16. «Catálogo de voces hispánicas: Paraguay, Asunción». Instituto Cervantes (em Spanish). Consultado em 18 January 2020  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  17. Sjoberg (1963):11
  18. Chirkova, Chen & Kocjančič Antolík (2013):383

Bibliografia[editar | editar código-fonte]