Frottage

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Uso da técnica frottage sobre um Súber.

Na arte, frottage (do francês "frotter", em português "friccionar") é um método surrealista e "automático" de produção criativa desenvolvido por Max Ernst.

No frottage o artista utiliza um lápis ou outra ferramenta de desenho e faz uma "fricção" sobre uma superfície texturizada. O desenho pode ser deixado como está, ou pode ser utilizado como base para aperfeiçoamento. Embora superficialmente similar à fricção em latão e a outras formas de "esfregar", visando reproduzir um objeto já existente, a técnica do frottage difere por ser aleatória.

Foi desenvolvida pelo pintor, escultor e artista gráfico alemão, Max Ernst, em 1925. Aconteceu após Ernst ter a ideia de colocar uma folha(papel) no chão de madeira de seu ateliê e copiar a sua textura. Assim, acabou desenvolvendo a técnica de frottage.

A técnica também é utilizada na arte postal.

Ver também[editar | editar código-fonte]



"Frottage", ou esfregamento, também pode ser caracterizado como termo que indica, o desvio sexual que consiste no prazer que encontra o indivíduo (prazer não raro que vai até o orgasmo) ao esfregar-se contra outro, geralmente do sexo oposto. O Prof. Magnus Hirschfeld[1] indica que há homens e mulheres que não resistem a tentação de estar em contato com outros seres da mesma espécie. Não são poucos os homens que não perdem a oportunidade de misturar-se a uma multidão qualquer com a simples intenção de sentir o calor de um corpo, de poder apreciar a dureza de sua carne, a turgescência de suas formas. O frottage é praicado de forma consciente entre as duas partes. Este contacto é normalmente apelidado de carícia, e os adolescentes utilizam-no para substituir as relações sexuais reais.

  1. "Magnus Hirschfeld" (em pt).