Fulas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Fulani redireciona para este artigo. Para a língua falada pela etnia fulani, veja Língua fula.
Fulas, Fulanis
=East - Fulbe.jpg
Mulheres fulas na Província do Leste, nos Camarões.
População total

c. 20–25 milhões[1][2]

Regiões com população significativa
Guiné, Nigéria, Camarões, Senegal, Mali,
Serra Leoa, República Centro Africana,
Burquina Fasso, Benim, Níger, Gâmbia,
Guiné-Bissau, Gana, Chade, Mauritânia,
Sudão, Sudão do Sul e Costa do Marfim.
Línguas
Fula
Religiões
Islamismo
Grupos étnicos relacionados
Uolofes e Sererês

Fulas ou fulânis (em fula: Fulɓe), também chamados felatas, fulás, fulbes ou peúles, são um grupo étnico que compreende várias populações espalhadas pela África Ocidental, mas também na África Central e no Norte de África sudanesa. Os países onde estão distribuídos são a Mauritânia, o Senegal, a Guiné, a Gâmbia, o Mali, a Nigéria, a Serra Leoa, o Benim, o Burquina Fasso, a Guiné-Bissau, os Camarões, a Costa do Marfim, o Níger, o Togo, a República Centro-Africana, o Gana, a Libéria, até ao Sudão, a leste. Os fulas não são o grupo maioritário nesses países, com exceção da Guiné.

Uma significativa proporção dos fulas é constituída de pastores: cerca de um terço do grupo ou sete a oito milhões de pessoas, sendo, por essa razão, o grupo étnico com a maior comunidade de pastores nômades do mundo.[3][4] A maioria do grupo étnico Fula é composta de indivíduos semissedentários[4] e sedentários (fazendeiros, artesãos e mercadores, além dos integrantes da nobreza).[5] Distribuem-se por vários países, principalmente da África Ocidental e do norte da África Central, mas também estão no Chade, Sudão e em regiões próximas do Mar Vermelho.[6]

Referências

  1. Felicity Crowe (2010). Modern Muslim Societies. [S.l.]: Marshall Cavendish. p. 262. ISBN 978-0-7614-7927-7 
  2. Steven L. Danver (2015). Native Peoples of the World: An Encyclopedia of Groups, Cultures and Contemporary Issues. [S.l.]: Routledge. pp. 31–32. ISBN 978-1-317-46400-6 
  3. Anthony Appiah; Henry Louis Gates (2010). Encyclopedia of Africa. [S.l.]: Oxford University Press. p. 495. ISBN 978-0-19-533770-9 
  4. a b David Levinson (1996). «Fulani». Encyclopedia of World Cultures: Africa and the Middle East, Volume 9. [S.l.]: Gale Group. ISBN 978-0-8161-1808-3 , citação: "The Fulani form the largest pastoral nomadic group in the world. The Bororo'en are noted for the size of their cattle herds. In addition to fully nomadic groups, however, there are also semisedentary Fulani —Fulbe Laddi— who also farm, although they argue that they do so out of necessity, not choice."
  5. Christopher R. DeCorse (2001). West Africa During the Atlantic Slave Trade: Archaeological Perspectives. [S.l.]: Bloomsburg Academic. pp. 172–174. ISBN 978-0-7185-0247-8 
  6. Anthony Appiah; Henry Louis Gates (2010). Encyclopedia of Africa. [S.l.]: Oxford University Press. pp. 495–496. ISBN 978-0-19-533770-9 
Ícone de esboço Este artigo sobre etnologia ou sobre um(a) etnólogo(a) é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.