Fundação Banco do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fundação Banco do Brasil
Tipo Pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos
Slogan Inclusão que Transforma
Fundação 23 de dezembro de 1985 (32 anos)
Sede Brasília,  Brasil
Presidente Asclepius Ramatiz Lopes Soares
Empregados 146 (2015)
Website oficial fbb.org.br

A Fundação Banco do Brasil foi instituída pelo Banco do Brasil em 1985. É uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, sediada em Brasília (DF), que tem como objetivo promover, apoiar, incentivar e patrocinar ações nos campos da Educação, Cultura, Saúde, Assistência Social, Recreação e Desporto, Ciência e Tecnologia e Assistência a Comunidades Urbano-Rurais.

Principal realizadora do investimento social privado do conglomerado Banco do Brasil,[1] a instituição visa promover a inclusão socioprodutiva[2] para pessoas em situação de vulnerabilidade social em todo o País. Assim, a atuação institucional tem como base os princípios do respeito cultural, solidariedade econômica, protagonismo social e cuidado ambiental para contribuir com o desenvolvimento sustentável, por meio de tecnologias sociais.

O objetivo é propiciar o acesso a oportunidades de trabalho e renda, às políticas públicas, contribuir para uma educação integrada e participativa, além da conquista de autonomia para uma vida digna sustentada e a emancipação social, política e produtiva dos indivíduos, potencializando os valores das comunidades e o saber-fazer local.[3]

Atuação[editar | editar código-fonte]

A Fundação Banco do Brasil[4] atua na identificação e mobilização de diferentes atores sociais na busca por soluções efetivas para aspectos fundamentais do desenvolvimento sustentável das comunidades brasileiras.[5]

O investimento social prioriza cinco eixos temáticos: Água, Agroecologia, Agroindústria, Educação e Resíduos Sólidos; e os públicos participantes são as pessoas menos favorecidas da população brasileira, em especial, com foco em jovens e mulheres, por serem segmentos populacionais mais sensíveis às desigualdades sociais e mais expostos à violência.

Para o acolhimento de projetos, são utilizados mecanismos de transparência e governança, com a utilização de seleção pública; a instituição de regras claras para concessão de patrocínios e apoios; e adequação dos modelos de prospecção, análise e acompanhamento dos projetos.

O trabalho é desenvolvido em sinergia com parceiros estratégicos e alinhado com ações de desenvolvimento sustentável do Banco do Brasil e de políticas públicas.

Vetores priorizados para o investimento social[editar | editar código-fonte]

O investimento social é concentrado, prioritariamente, em cinco eixos de atuação, nos quais estão alocados os programas estruturados da Fundação BB:

Agroindústria: Investimentos sociais em empreendimentos coletivos e solidários para o beneficiamento de produtos, como por exemplo, mel,[6] castanhas de caju[7] e do pará, mandioca,[8] ovinos e caprinos, entre outros, para agregar valor aos produtos em uma lógica de cadeia produtiva.

Agroecologia: Congrega ações direcionadas à promoção da agroecologia[9] e produção orgânica como forma de ampliar, fortalecer e consolidar a agricultura familiar nos campos, nas florestas e nas cidades. Busca-se potencializar capacidades na promoção da segurança alimentar; na produção de alimentos de qualidade; na conservação do patrimônio cultural e natural; na dinamização das redes locais de economia solidária; na construção de relações sociais justas entre gêneros, etnias, faixas etárias e culturas, e contribuir para a construção de uma sociedade sustentável, igualitária e democrática.[10]

Água: Ações voltadas ao uso sustentável e conservação dos recursos hídricos com foco na preservação e recuperação do solo e vegetação, bem como no armazenamento e produção de água. O objetivo é gerar segurança hídrica e alimentar para pessoas menos favorecidas, bem como aquelas inseridas no âmbito do Programa Água para Todos (Governo Federal) [11][11] e do Programa Água Brasil (Banco do BrasilFundação BBANAWWF).

Educação: Ações[12] voltadas ao desenvolvimento integral das potencialidades dos públicos-alvo, promovendo uma educação que emancipa e transforma ao educar para uma vida sustentável, dialogando com todos os demais vetores - Agroecologia, Agroindústria, Resíduos Sólidos e Água e concentrando os investimentos em programas estruturados.

Resíduos Sólidos: Investimentos voltados à inclusão social dos catadores de materiais recicláveis com ações que promovam o fortalecimento dos empreendimentos econômicos solidários e redes de comercialização. Inclui investimentos em formação e capacitação para a autogestão, infraestrutura, assistência técnica, assessoramento e consolidação de associações e cooperativas de catadores de materiais recicláveis.

Tecnologias sociais[editar | editar código-fonte]

Tecnologia Social[13] compreende produtos, técnicas ou metodologias reaplicáveis, desenvolvidas na interação com a comunidade e que representem efetivas soluções de transformação social.

É um conceito[14] que remete para uma proposta inovadora de desenvolvimento, considerando a participação coletiva no processo de organização, desenvolvimento e implementação. Está baseado na disseminação de soluções para problemas voltados a demandas de alimentação, educação, energia, habitação, renda, recursos hídricos, saúde, meio ambiente, dentre outras.

As Tecnologias Sociais podem aliar saber popular, organização social e conhecimento técnico-científico. Importa essencialmente que sejam efetivas e reaplicáveis, propiciando desenvolvimento social em escala.

Um bom exemplo de Tecnologia Social é a Cisterna de Placas Pré-moldadas,[15] que conta com a participação coletiva na sua construção e atenua os problemas de acesso a água de boa qualidade à população do Semiárido.

Banco de Tecnologias Sociais[editar | editar código-fonte]

O Banco de Tecnologias Sociais é uma base de dados que contempla informações sobre as tecnologias sociais certificadas no âmbito do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social.[16][17] O Banco de Tecnologias Sociais apresenta soluções para demandas sociais, desenvolvidas por instituições de todo o País, que podem ser consultadas por tema, entidade executora, público-alvo, região, UF, etc.

As informações sobre as tecnologias sociais abrangem o problema solucionado, a solução adotada, a forma de envolvimento da comunidade, os municípios atendidos, os recursos necessários para implementação de uma unidade da Tecnologia Social, entre outros detalhamentos. São disponibilizados, também, os contatos dos responsáveis pela Tecnologia Social, possibilitando que instituições interessadas em reaplicar ou conhecer detalhes sobre o processo possam entrar em contato direto com as instituições que desenvolveram as tecnologias sociais.

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Relatório de Atividades da Fundação Banco do Brasil 2016, pág 20-23 - http://www.fbb.org.br/data/files/1D/03/1B/64/42DC3510392F3C3519A809C2/Relat%20Atividades%20-%20COMPLETO%20-%20Pag%20Dupla.pdf
  2. http://g1.globo.com/espirito-santo/desastre-ambiental-no-rio-doce/noticia/2016/04/governo-do-es-e-fundacao-vao-investir-r-2-milhoes-no-rio-doce.htm
  3. Livro Avaliação de Programas e Projetos Sociais: A Experiência da Fundação Banco do Brasil - http://www.fbb.org.br/data/files/70/74/5C/E6/DD131410E2F27114BD983EA8/Livro%20FBB%20final.pdf
  4. http://www.bb.com.br/pbb/s001t006p005,503234,503259,1,1,1,1,b.bb#/
  5. http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/regional/fundacao-banco-do-brasil-investe-mais-de-r-87-mi-no-ce-1.1528225
  6. http://www1.folha.uol.com.br/folha/dimenstein/noticias/gd160305e.htm
  7. http://www.paginarural.com.br/noticia/76511/piaui-industrias-do-mel-e-do-caju-fortalecem-cadeias-produtivas-do-nordeste-diz-a-fundacao-bb
  8. http://www.agrolink.com.br/culturas/milho/NoticiaDetalhe.aspx?codNoticia=91706
  9. http://radios.ebc.com.br/brasil-rural/edicao/2016-10/2017-sera-um-grande-ano-para-agroecologia-afirma-coordenadora-do-crats
  10. “Superação da Fome e da Pobreza Rural: Iniciativas Brasileiras”, da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), pág. 200 - http://www.fao.org/3/a-i5335o.pdf
  11. Programa Água para Todos - http://www.mi.gov.br/entenda-o-programa
  12. http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2015-02/ativista-do-movimento-negro-lelia-gonzalez-e-homenageada-no-projeto-memoria
  13. Rede Global de Instituições de Ensino, Pesquisa e Extensão em Nutrição, Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional – NutriSSAN (pág 35) - http://www.mcti.gov.br/documents/10179/35540/NutriSaan/7250dad7-135a-46c3-903d-a278fc61d2d2
  14. Tecnologia Social - http://www.fbb.org.br/tecnologiasocial/o-que-e/tecnologia-social/o-que-e-tecnologia-social.htm
  15. http://www1.folha.uol.com.br/empreendedorsocial/2016/10/1824560-fundacao-quer-captar-us-100-mi-para-construir-40-mil-cisternas-no-nordeste.shtml
  16. http://g1.globo.com/sp/vale-do-paraiba-regiao/especial-publicitario/festa-das-flores-e-morangos-de-atibaia-2016/flores-e-morangos/noticia/2016/07/festa-de-flores-e-morangos-de-atibaia-traz-produtos-de-alta-qualidade.html
  17. Banco de Tecnologias Sociais - https://www.fbb.org.br/tecnologiasocial/o-que-e/premio-fbb-de-tecnologia-social/