Fundação Romi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Criada em 1957 em Santa Bárbara d'Oeste, Estado de São Paulo, pelo casal Américo Emílio Romi e Olímpia Gelli Romi, a Fundação Romi é uma entidade do Terceiro Setor, sem fins lucrativos, registrada no Conselho Nacional de Assistência Social – CNAS. Seu foco de atuação está na criança e no adolescente.A Fundação Romi tem como missão Promover o Desenvolvimento Social através da Educação e Cultura[1]. A instituição também cataloga documentos históricos da comunidade local, tais como fotografias e jornais, entre outros, além de conservar acervo documental[2] do Romi-Isetta, primeiro carro de passeio produzido em série no Brasil.

A entidade "planeja e opera projetos próprios em uma perspectiva de médio e longo prazo, com foco nos resultados e na preocupação de influenciar as políticas públicas, desenvolvendo tecnologia social aplicável a outras instituições"[3].

Histórico[editar | editar código-fonte]

  • 1957 – Fundação da entidade por Américo Emílio Romi e Olimpia Gelli Romi
  • 1958 a 1992 – Convênio com o Senai promove a formação profissional
  • 2009 – Disponibilização do acervo para consultas pela internet
  • 2010 – Abertura para visitação do Centro de Documentação - Cedoc

Projetos educacionais[editar | editar código-fonte]

Entre as ações pedagógicas da entidade, são disponibilizados para a comunidadeos local os programas educacionais [4]:

  • Cedin: Centro de Vivências do Desenvolvimento Infantil que atende a crianças, de 4 e 5 anos
  • NEI: Núcleo de Educação Integrada, com atendimento a alunos de 8º e 9º anos do ensino fundamental
  • Projeto Abelhas Ocupadas: atendimento a alunos de 4º e 5º anos do ensino fundamental
  • Encontro de Educadores: atendimento a educadores em encontros anuais
  • Projeto LEP: Logo na Escola Pública
  • Prodhes: Programa de educação patrimonial, destinado a estudantes da rede de ensino

Projetos culturais[editar | editar código-fonte]

  • Cedoc[5] – Centro de documentação histórica. Dotado de laboratório técnico e espaço expositivo aberto à visitação
  • Estação Cultural – Antiga estação ferroviária do município, transformada em centro cultural

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Website da Fundação Romi
  2. Brandão, Ignacio de Loyola . Romi-Isetta, o pequeno pioneiro.1a Edição. São Paulo. DBA Dórea Books and Art. 2004. ISBN 8572343105
  3. "Quem Somos", página do website de Fundação Romi, acesso maio de 2011
  4. Schwartzman, Simon; Torres, Sueli; Liu, Fat Kam. Uma contribuição pedagógica para a educação brasileira.1a Edição. Americana. Editora Adonis. 2010. ISBN 9788579130441
  5. "Um passeio pela Fundação Romi", matéria publicada em Revista Auto Esporte, março de 2010. Acesso em maio de 2011