Funicular dos Guindais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Funicular dos Guindais
Logótipo
Logótipo
Unknown route-map component "uCONTg" Unknown route-map component "d"
Elétrico 22
Unknown route-map component "uCPICle" Unknown route-map component "utCPICra" Unknown route-map component "d"
281 Batalha
Exit urban tunnel Unknown route-map component "d"
191 boca do túnel
Waterway with floodgate down Unknown route-map component "d"
(menor declive)
Unknown route-map component "uSPLa" Unknown route-map component "d"
Unknown route-map component "uvSTR" Unknown route-map component "d"
140 cruzamento
Unknown route-map component "uSPLe" Unknown route-map component "d"
Unknown route-map component "uSTAIRd" Unknown route-map component "d"
(maior declive)
Urban straight track Unknown route-map component "d"
Unknown route-map component "uCPICKe" Unknown route-map component "d"
0 Ribeira
Unknown route-map component "d" Unknown route-map component "udCONTr" Unknown route-map component "uCPICe" Unknown route-map component "udCONTl"
Elétrico 1
Descida no Funicular dos Guindais.
Cabina do funicular. Em fundo, a Muralha Fernandina do Porto.
Estação inferior.

O Funicular dos Guindais é uma ferrovia ligeira que se localiza na cidade do Porto, em Portugal, e liga a Batalha (Rua Augusto Rosa) à Ribeira (Av. Gustave Eiffel). É operado pelo Metro do Porto.

Foi inaugurado em fevereiro de 2004; até outubro de 2013 transportara já cerca de 3,7 milhões de passageiros[1].

História[editar | editar código-fonte]

Funicular original, 1891-1893.

Funicular de 1891[editar | editar código-fonte]

O funicular original, projectado por Raul Mesnier,[2] foi inaugurado em 4 de Junho de 1891, e fechou dois anos depois devido a um grave acidente em 5 de Junho de 1893. Foi totalmente reprojectado pelo mesmo engenheiro, na tentativa de o repor em funcionamento, o que nunca chegou a acontecer.

No âmbito da operação de reabilitação urbana Porto 2001, foi proposta a sua reposição e projectado para o mesmo local um novo funicular. Do equipamento e sistema original só existe o primitivo edifício da casa de máquinas, tendo sido objecto de alterações face aos usos actuais.

Funicular de 2001[editar | editar código-fonte]

No âmbito da operação de reabilitação urbana Porto 2001 foi projectado um novo funicular para o mesmo local onde já existira um efémero transporte deste tipo (1891-1893). O projecto geral de arquitectura e coordenação das especialidades foi da responsabilidade de Adalberto Dias e da empresa Poma, detentora da tecnologia. Assim, um século depois, um moderno funicular abriu a 19 de Fevereiro de 2004.

Características[editar | editar código-fonte]

Aspeto de um dos carros, com o fole aberto.
Aspeto de um dos carros, visto de cima.
Entrada na secção em túnel.
  • Distância: 281 m (90 m em túnel)
  • Desnível: 61 m
  • Inclinação
    • média: 20%
    • máxima: 55% [3]
  • Tempo de Viagem: 3 min.
  • Velocidade média: 2,5 m/s
  • Número de passageiros por cabina: 25

Tarifário[editar | editar código-fonte]

  • Preço: 2,50 € não há preço especial para crianças, idosos ou famílias.[4]

Horário[editar | editar código-fonte]

  • Inverno:
    • Domingo a Quinta: das 08:00 às 20:00
    • Sextas, Sábados e véspera de Feriados: 08:00 às 24:00
  • Verão:
    • Domingo a Quarta: das 08:00 às 22:00
    • Quintas, Sextas, Sábados e véspera de Feriados: 08:00 às 24:00

Transportes[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Túneis do Metro do Porto
Túnel comp. (de) (a) Linhas
Construção
Campanhã-Trindade 2300 m 2000.06 2002.10 Linha A (Metro do Porto) Linha B (Metro do Porto) Linha C (Metro do Porto) Linha E (Metro do Porto) Linha F (Metro do Porto)
Salgueiros-Ponte 4000 m 2002.05 2003.10 Linha D (Metro do Porto)
Lapa 0500 m ? 1938.10 Linha A (Metro do Porto) Linha B (Metro do Porto) Linha C (Metro do Porto) Linha E (Metro do Porto) Linha F (Metro do Porto)
Túnel J 0274 m 2002.12 2003.05
Contumil-Rio Tinto 0950 m 2009.09 2010.04 Linha F (Metro do Porto)
Guindais 0090 m ? 2004.02 Funicular dos Guindais

Referências

  1. «Funicular dos Guindais usado por 3,7 milhões de pessoas». 
  2. Octaviano Correia: “Do Pombal ao Bom Jesus de BragaJornal da Madeira / Revista Olhar 2007.09.08
  3. Especialização em Transportes e Vias de Comunicação da Ordem dos Engenheiros; CT 162 (Comissão Técnica de Normalização N.º 162 - Instalações por Cabo para o Transporte de Pessoas); CATIM (Centro de Apoio Tecnológico à Indústria Metalomecânica) (2008.03.03). «Resumo do relatório do Painel dedicado ao tema: “Instalações por Cabo para Transporte de Pessoas (Funiculares, Teleféricos e APM’s)”». Consultado em 2009.01.01. 
  4. «Elevador é tão caro que só serve para os turistas». 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Funicular dos Guindais
Ícone de esboço Este artigo sobre transporte ferroviário é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.