Furacão Flossie (2007)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura outros ciclones tropicais chamados Flossie, veja Furacão Flossie.
Furacão Flossie
Categoria 4 (EFSS)
O furacão Flossie em 11 de agosto
Formação 6 de Agosto de 2007
Dissipação 16 de Agosto de 2007
Vento mais forte (1 min) 120 nós (222 km/h, 138 mph)
Pressão mais baixa 949 hPa (mbar) ou 712 mmHg
Danos Desconhecido
Fatalidades Não registrado
Áreas afetadas Havaí
Parte da
Temporada de furacões no Pacífico de 2007

O furacão Flossie foi a sexta tempestade nomeada, o segundo furacão e o primeiro grande furacão de temporada de furacões no Pacífico de 2007. Flossie passou logo ao sul de Big Island, no Arquipélago de Havaí.

História meteorológica[editar | editar código-fonte]

O caminho de Flossie

O furacão Flossie formou-se de uma onda tropical pouco definida que deixou a costa ocidental da África em 21 de Julho. Esta onda cruzou o Oceano Atlântico e o Mar do Caribe formando poucas áreas de convecção profunda e alcançou a América Central em 1º de Agosto. Uma área de distúrbios meteorológicos formou-se em associação com a onda no Oceano Pacífico nordeste que primeiramente foi visto no Golfo de Tehuantepec, a cerca de 970 km a sul-sudoeste de Acapulco, México.[1] O distúrbio moveu-se para oeste-noroeste a 15–25 km/h em condições ambientais aparentemente favoráveis.[2] Além disso, a interação com a zona de convergência intertropical (ZCI) em 3 de agosto perturbou sua estrutura.[3] O sistema ficou mais bem organizado em 4 de agosto,[4] mas a convecção diminuiu novamente em 5 de agosto.[5] Depois de encontrar uma pequena área de baixa pressão, o sistema começou a se desenvolver novamente[6] e em 6 de agosto, o NHC observou que o sistema poderia se desenvolver para uma depressão tropical na mesma noite.[7] O sistema continuou a mover-se para o oeste-noroeste a 15–25 km/h assim que a atividade de temporais continuava a aumentar.[8]

Apesar das condições de altos níveis marginais, o sistema adquiriu uma quantidade suficiente de convecção profunda para que o sistema fosse classificado pelo NHC como depressão tropical Nove-E no final da noite de 8 de agosto, enquanto o sistema estava localizado a 2025 km a oeste-sudoeste do extremo sul da Península da Baixa Califórnia. depois de ser classificado, a depressão manteve duas bandas de tempestade; situado ao sul de uma crista de médios níveis, o sistema seguiu firmemente para oeste.[9] Na tarde daquele dia, a depressão foi classificado pelo NHC como tempestade tropical Flossie.[10]

Na manhã de 19 de agosto, a tempestade tinha bandas curvas e ciclônicas de tempestade bem definidas e correntes de ar deixando o sistema em todos as quatro quadrantes.[11] Foi de expectativa que a tempestade continuasse a se fortalecer devido aos poucos ventos de cisalhamento e às águas mornas.[11][12] A tempestade começou a desenvolver um olho no final daquele dia com boas correntes de ar deixando o sistema visível por imagens de satélite através de cirrus de altos níveis em todos os quadrantes.[13] Em 10 de agosto, o olho ficou mais bem definido assim que a tempestade fortaleceu-se para um furacão.[14][15] O furacão Flossie sofreu uma rápida intensificação naquela noite e se tornou um grade furacão na manhã de 11 de agosto[16] pouco depois de cruzar o meridiano 140°O, adentrando na área de responsabilidade do CPHC.

O furacão Flossie perto do Havaí

No Oceano Pacífico centro-norte, o furacão continuou a seguir para oeste, aproximando-se do Arquipélago do Havaí.[17][18] Na tarde de 11 de agosto, os ventos de Flossie alcançaram um pico inicial de 220 km/h,[19] mas em 12 de agosto, ventos de cisalhamento em fortalecimento começaram a restringir as correntes de ar que deixavam o furacão e fizeram Flossie se enfraquecer ligeiramente.[20] Naquela noite, as correntes de ar que deixavam o sistema se consolidaram novamente e, apesar do que foi previsto, o furacão não perdeu sua força,[21] permitindo um meteorologista do CPHC a observar que "o furacão Flossie não estava se entregando".[22]

na manhã de 13 de agosto, o furacão Flossie começou a se enfraquecer,[23] assim que as condições ambientais começaram a ficar mais desfavoráveis.[24] Naquela noite, a pressão atmosférica no centro de Flossie subiu para 970 mbar[25] e os persistentes ventos de cisalhamento verticais atuaram na parede sul do olho que conseqüentemente entrou em colapso.[26] embora o olho de Flossie tenha desaparecido de imagens de satélite, um radar e um avião de reconhecimento mostraram um olho parcial aberto a sudeste.[27] Ventos de cisalhamento de 45 km/h destruíram a estrutura do furacão e restringiram as correntes de ar que saíam do sistema, que fizeram o furacão se enfraquecer ainda mais.[28] Imagens de satélite mostraram porções da parede do olho descobertas novamente e um radar meteorológico mostrou uma falta de convecção de ar no semicírculo sudeste.[29] Sob os efeitos das condições ambientais negativas, o olho de Flossie desapareceu novamente[30] e Flossie enfraqueceu-se para uma tempestade tropical no final daquela noite (horário local).[31] O último aviso foi emitido pelo CPHC em 16 de agosto[31] A área de baixa pressão remanescente de Flossie dissipou-se no dia seguinte.[1]

Preparativos e impactos[editar | editar código-fonte]

O CPHC emitiu um alerta de furacão em 13 de agosto para Big Island, Havaí assim que o furacão aproximava-se sem se enfraquecer significativamente.[32] Um furacão não atinge diretamente o Havaí desde o furacão Iniki em 1992.[33] Depois, como o furacão seguiu ligeiramente mais ao norte e seu raio de ventos fortes expandiu-se, um aviso de tempestade tropical foi emitido para as mesmas áreas que previamente tinham um alerta de furacão.[32] Conseqüentemente, o prefeito do Condado de Havaí, Havaí, declarou estado de emergência no final daquela manhã.[34] A governadora do Havaí, Linda Lingle também emitiu uma declaração de emergência que ativou a guarda nacional do exército do Havaí antes da tempestade.[35]

Os parques Punalu'u Beack Park, Whittington Beack Park e o extremo sul do arquipélago do Havaí, South Point, foram fechados em 13 de agosto[36] A defesa civil do Condado de Havaí ordenou que todas as escolas fossem fechadas, incluindo a Universidade do Havaí, em Hilo e o colégio comunitário do Havaí. Também foram fechados os parques públicos em 14 de agosto.[37] O Porto de Hilo também foi fechado.[38]

O parque Punalu'u Beach Park e a localidade de Pohoiki foram atingidas por ondas de até 6,1 metros. Ventos sustentados de 65 km/h, com rajadas de 77 km/h, foram registradas no extremo sul do arquipélago do Havaí.[38]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Furacão Catrina Portal da
meteorologia
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Furacão Flossie (2007)

Referências

  1. a b «Tropical Cyclone Reports Hurricane Flossie» (PDF) (em inglês). Consultado em 11 de Janeiro de 2008 
  2. Brown (2007). «August 2 Tropical Weather Outlook». National Hurricane Center. Consultado em 11 de agosto de 2007 
  3. Brown (2007). «August 3 Tropical Weather Outlook». National Hurricane Center. Consultado em 11 de agosto de 2007 
  4. Brown (2007). «August 4 Tropical Weather Outlook». National Hurricane Center. Consultado em 11 de agosto de 2007 
  5. Brown (2007). «August 5 Tropical Weather Outlook». National Hurricane Center. Consultado em 11 de agosto de 2007 
  6. Knabb (2007). «August 5 Tropical Weather Outlook (2)». National Hurricane Center. Consultado em 11 de agosto de 2007 
  7. Brown (2007). «August 6 Tropical Weather Outlook». National Hurricane Center. Consultado em 11 de agosto de 2007 
  8. Knabb (2007). «August 6 Tropical Weather Outlook (2)». National Hurricane Center. Consultado em 11 de agosto de 2007 
  9. Pasch (2007). «Tropical Depression Nine-E Discussion One». National Hurricane Center. Consultado em 11 de agosto de 2007 
  10. Pasch (2007). «Tropical Storm Flossie Discussion Two». National Hurricane Center. Consultado em 11 de agosto de 2007 
  11. a b Avila (2007). «Tropical Storm Flossie Discussion Three». National Hurricane Center. Consultado em 11 de agosto de 2007 
  12. Franklin (2007). «Tropical Storm Flossie Discussion Four». National Hurricane Center. Consultado em 11 de agosto de 2007 
  13. Franklin (2007). «Tropical Storm Flossie Discussion Five». National Hurricane Center. Consultado em 11 de agosto de 2007 
  14. Roberts/Knabb (2007). «Hurricane Flossie Discussion Eight». National Hurricane Center. Consultado em 11 de agosto de 2007 
  15. Knabb (2007). «Hurricane Flossie Discussion Nine». National Hurricane Center. Consultado em 11 de agosto de 2007 
  16. Mainelli (2007). «Hurricane Flossie Discussion Eleven». National Hurricane Center. Consultado em 11 de agosto de 2007 
  17. Kodama (2007). «Hurricane Flossie Discussion Thirteen». Central Pacific Hurricane Center. Consultado em 12 de agosto de 2007 
  18. Kodama (2007). «Hurricane Flossie Forecast/Advisory Thirteen». Central Pacific Hurricane Center. Consultado em 12 de agosto de 2007 
  19. Kodama/Birchard (2007). «Hurricane Flossie Discussion Fourteen». Central Pacific Hurricane Center. Consultado em 12 de agosto de 2007 
  20. Kodama (2007). «Hurricane Flossie Discussion Seventeen». Central Pacific Hurricane Center. Consultado em 12 de agosto de 2007 
  21. Houston (2007). «Hurricane Flossie Discussion Nineteen». Central Pacific Hurricane Center. Consultado em 13 de agosto de 2007 
  22. Houston (2007). «Hurricane Flossie Discussion Twenty». Central Pacific Hurricane Center. Consultado em 13 de agosto de 2007 
  23. Powell (2007). «Hurricane Flossie Discussion Twenty One». Central Pacific Hurricane Center. Consultado em 14 de agosto de 2007 
  24. Powell (2007). «Hurricane Flossie Discussion Twenty Two». Central Pacific Hurricane Center. Consultado em 14 de agosto de 2007 
  25. Donaldson (2007). «Hurricane Flossie Forecast/Advisory Twenty Three». Central Pacific Hurricane Center. Consultado em 14 de agosto de 2007 
  26. Donaldson (2007). «Hurricane Flossie Discussion Twenty Three». Central Pacific Hurricane Center. Consultado em 14 de agosto de 2007 
  27. Donaldson (2007). «Hurricane Flossie Discussion Twenty Four». Central Pacific Hurricane Center. Consultado em 14 de agosto de 2007 
  28. Powell (2007). «Hurricane Flossie Discussion Twenty Five». Central Pacific Hurricane Center. Consultado em 15 de agosto de 2007 
  29. Powell (2007). «Hurricane Flossie Discussion Twenty Six». Central Pacific Hurricane Center. Consultado em 15 de agosto de 2007 
  30. Donaldson (2007). «Hurricane Flossie Advisory Twenty Six A». Central Pacific Hurricane Center. Consultado em 15 de agosto de 2007 
  31. a b Donaldson (2007). «Hurricane Flossie Discussion Twenty Seven». Central Pacific Hurricane Center. Consultado em 15 de agosto de 2007  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "td9edisc27" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  32. a b Houston (2007). «Hurricane Flossie Public Advisory Twenty». Central Pacific Hurricane Center. Consultado em 13 de agosto de 2007  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "Flossieadv20" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  33. Jonathan Tirone (2007). «Hawaiian Hurricane Watch Possible as Flossie Travels Faster». Bloomberg.com. Consultado em 13 de agosto de 2007 
  34. Kodama (2007). «Hurricane Flossie Local Statement 08-13-0955». National Weather Service, Honolulu HI. Consultado em 14 de agosto de 2007 
  35. «Hawaii island spared by hurricane». BBC News. 15 de agosto de 2007. Consultado em 15 de agosto de 2007 
  36. Kodama (2007). «Hurricane Flossie Local Statement 08-13-1742». National Weather Service, Honolulu HI. Consultado em 14 de agosto de 2007 
  37. Kodama (2007). «Hurricane Flossie Local Statement 08-13-1528». National Weather Service, Honolulu HI. Consultado em 14 de agosto de 2007 
  38. a b http://www.prh.noaa.gov/data/HFO/HLSHFO.0708150658

Ligações externas[editar | editar código-fonte]