Furacão Gonzalo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Furacão Gonzalo
Categoria 4 (EFSS)
O furacão Gonzalo em 16 de Setembro de 2014
Formação 12 de Outubro de 2014
Dissipação 25 de Outubro de 2014
Vento mais forte (1 min) 230 nós (426 km/h, 265 mph)
Pressão mais baixa 947 hPa (mbar) ou 710 mmHg
Danos mais de $220,000 dólares (2014)
Fatalidades 6
Áreas afetadas Canadá, Porto Rico, Pequenas Antilhas, Bermuda, Ilhas britânicas e Norte da Europa
Parte da
Temporada de furacões no Atlântico de 2014

O furacão Gonzalo foi um poderoso[1] ciclone tropical do Atlântico[2], que atingiu a escala Saffir-Simpson de categoria 4[3], provocando transtorno no em parte do Canadá, Porto Rico[4], e destruição[5] nas Pequenas Antilhas, Bermuda[6][7], Territórios britânicos ultramarinos, Ilhas britânicas[8], e norte da Europa, em outubro de 2014.

Ícone de esboço Este artigo sobre ciclones tropicais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Gonzalo se torna o maior furacão da temporada no Atlântico». Clima Tempo. Consultado em 21 de maio de 2016 
  2. «Furacão Gonzalo deve ganhar força sobre o Atlântico». Reuters. Consultado em 21 de maio de 2016 
  3. «Furacão Gonzalo se torna categoria 4 rumo às Bermudas». Exame - Abril. Consultado em 21 de maio de 2016 
  4. «Gonzalo se transforma em furacão e ameaça costa de Porto Rico». R7. Consultado em 21 de maio de 2016 
  5. «Furacão Gonzalo causa prejuízos e deixa Bermudas sem luz». G1. Consultado em 21 de maio de 2016 
  6. «Furacão Gonzalo causa destruição nas Ilhas Bermudas». RFI. Consultado em 21 de maio de 2016 
  7. «Furacão Gonzalo varre as Bermudas». O Globo. Consultado em 21 de maio de 2016 
  8. «Furacão Gonzalo dirige-se para Reino Unido». Governo português. Consultado em 21 de maio de 2016 


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Furacão Gonzalo