Futebol Clube Santa Cruz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Santa Cruz-RS
Futebol Clube Santa Cruz
Nome Futebol Clube Santa Cruz
Alcunhas Galo
Mascote Galo
Fundação 26 de março de 1913 (102 anos)
Estádio Estádio dos Plátanos
Capacidade 7.000
Localização Santa Cruz do Sul, RS
Presidente Brasil Sérgio Pilz
Treinador Brasil Betinho Ijuí
Patrocinador Bebidas Xuk
Miller Supermercados
Assemp
MD Pneus
Postos Shopping Car
Material esportivo Darros
Competição Rio Grande do Sul Campeonato Gaúcho - 2ª Divisão
2016 Rio Grande do Sul Campeonato Gaúcho - 2ª Divisão Chave A: por disputar
2015 Rio Grande do Sul Campeonato Gaúcho - 2ª Divisão Grupo B: 6º colocado
14º colocado no geral
2014 Rio Grande do Sul Campeonato Gaúcho - 2ª Divisão 1º turno: 3º colocado (caiu nas quartas-de-final)
2º turno: 7º colocado
11º colocado no geral
Website Futebol Clube Santa Cruz
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar
Disambig grey.svg Nota: Se procura o clube pernambucano, veja Santa Cruz Futebol Clube.

O Futebol Clube Santa Cruz é um clube de futebol do Brasil sediado em Santa Cruz do Sul, no estado do Rio Grande do Sul. Suas cores são o branco e o preto. Atualmente disputa o Campeonato Gaúcho de Futebol - Divisão de Acesso.

História[editar | editar código-fonte]

O início e o amadorismo[editar | editar código-fonte]

Um grupo de rapazes liderado por André Klarmann se reuniu no Hotel Schmidt, em 26 de março de 1913, no centro da cidade, para montar um novo clube de futebol.

Seu primeiro jogo foi contra o Concórdia, no dia 3 de Abril de 1913, no campo da várzea, hoje Estádio Municipal junto ao Parque da Oktoberfest da cidade, registros não apontam o vencedor do jogo. Dois meses depois aconteceu seu primeiro jogo fora da cidade, em Candelária onde a delegação foi de carroça para o jogo, o resultado não consta, mas sabe-se que o Santa Cruz venceu a partida.

Na década de 1920, o Santa Cruz já tinha uma casa, os Plátanos, mas ainda tinha como nome Foot Ball Club Santa Cruz e não tinha seu apelido de "Galo", que foi adquirido após vencer o maior rival da época, o Grêmio Esportivo Santa Cruz por 2 a 0 e firmar-se com o apelido carinhoso.

O profissionalismo[editar | editar código-fonte]

O futebol profissional começou no ano de 1930, mas já nos anos de 1932 e 1933 o Santa Cruz foi vice-campeão do Interior, onde perdeu a final para o Pelotas por 5 a 2, após isso foi possível aplicar melhorias na estrutura do Estádio dos Plátanos.

Em 1952 após a primeira das seis gestões de Hélio Almeida, o clube foi vice-campeão do interior na Segunda Divisão do Campeonato Gaúcho, perdendo para o Sá Vianna de Uruguaiana, é considerado um dos times mais marcantes da história do clube, que tinha os jogadores Amaro, Joãozinho, Paraguai, Paulo Cesar Tatu, Cuca, Calixto, Maninho, Betinho e Moacir. Em 1959 voltou a ficar em 3º lugar na competição estadual.

A união com o rival[editar | editar código-fonte]

Um fato curioso aconteceu tempos mais tarde, já na década de 1970, entre 1974 a 1978 os dois maiores clubes de Santa Cruz do Sul, o Avenida e o Futebol Clube Santa Cruz fizeram uma fusão, a união denominada Associação Santa-Cruzense de Futebol com o comando de Daltro Menezes rendeu bons frutos, deixando o clube entre os quatro melhores do estado na época. Após brigas entre antigos dirigentes de ambas as partes, os dirigentes do Avenida resolvem romper a fusão. Na década de 1980 o clube conseguiu fazer boas campanhas estaduais, a melhor colocação do clube no Campeonato Gaúcho foi um quarto lugar em 1988.

A campanha de 2009[editar | editar código-fonte]

Durante toda a primeira década dos anos 2000 o clube se manteve na primeira divisão do Campeonato Gaúcho. Uma das melhores campanhas foi em 2009, quando classificou-se para a segunda fase sem perder um único jogo em casa. Todavia, nas quartas-de-final pegou o Juventude em casa e sofreu o revés de 2x1 em jogo polêmico, dando adeus a competição. A equipe daquela temporada teve como destaques o goleiro Cássio, os zagueiros Vinícius e Polaco, o lateral-esquerdo Emanuel, os volantes Sananduva (que veio a ser técnico em 2015) e William, o meia Cléber Oliveira, e os atacantes Roberto Jacaré e Eraldo.

Década de 2010: a decadência[editar | editar código-fonte]

A temporada de 2013 que deveria ser a mais marcante com todos os comemorativos e verbas, entretanto, culminou com o rebaixamento da equipe carijó para a Divisão de Acesso, principalmente devido ao elenco mal montado e a falta de comando da equipe, que cresceu na reta final do campeonato mas de forma insuficiente para evitar a queda. Tendo sido, porém, o melhor classificado dentre os rebaixados, o clube recebeu o direito de disputar a Divisão de Acesso com meia-cota, benefício esse que seus adversários não teriam.[1]

Em 8 de janeiro de 2014 o clube lançou oficialmente o livro Orgulho centenário: os 100 anos do Futebol Clube Santa Cruz (1913-2013), que compreende em 224 páginas fartamente ilustradas de extensa pesquisa em registros de época e dezenas de depoimentos de ex-jogadores, ex-dirigentes e seus familiares. Estruturado em 11 capítulos, o livro recupera os fatos marcantes de cada uma das 10 décadas de existência do clube, reservando a última parte para a avaliação do momento atual e os projetos visando o futuro. Artigos especiais, assinados pelo presidente da CBF, José Maria Marin, e pelo ex-jogador e atual treinador de futebol Cuca, campeão da Copa Libertadores da América de 2013 pelo Atlético Mineiro, que iniciou sua carreira no Galo santa-cruzense, ressaltam a expressão nacional do Santa Cruz.

Numa estratégia ousada, o Santa Cruz acertou um acordo de patrocínio com a Assemp (Associação de Entidades Empresariais de Santa Cruz do Sul), em 29 de janeiro de 2014, e estampará em seu uniforme na temporada de 2014 a marca da 30ª edição da Oktoberfest de Santa Cruz do Sul. O contrato de patrocínio foi fechado em R$ 60 mil. [2] Apesar de formosos patrocínios e investimentos grandes no futebol, o clube apresentou desempenho pífio na competição e não conseguiu o tão desejado acesso.

A temporada 2015 do clube, porém, foi muito ruim. Com escassez de recursos, escapou do rebaixamento apenas na última rodada, mesmo com a derrota para o Inter de Santa Maria.[3] Apesar de ser a 14º pior equipe dentre 15 participantes, o regulamento previa o rebaixamento de 1 equipe por grupo, e no Grupo B a equipe do Sport Club Rio Grande teve desempenho inferior ao Galo.

Jogadores históricos[editar | editar código-fonte]

Jogadores como Betinho, Everaldo, Paulo Roberto, Rogerinho, Moa, Cuca, os selecionáveis paraguaios Sotelo e Sanabria que fizeram história no Olimpia do Paraguay, além do último grande jogador revelado, Cesinha, são os principais jogadores que já passagem em toda a história do Galo, além de ídolos como Dario Santos e o presidente Hélio Almeida que foi seis vezes presidente do clube, acumulando boas campanhas, sua última presidência foi no ano de 1995.

O maior nome que o Santa Cruz revelou foi o meia-atacante Cuca. Ele começou a se destacar em 1984, representando o Santa Cruz, quando tinha 21 anos e jogava como meia. Após uma boa temporada, atuou dois anos pelo Juventude e, de lá, transferiu-se para o Grêmio.

Já o atacante Valduíno foi o herói do clube na campanha do vice-campeonato da segunda divisão estadual de 1983, quando marcou dez gols e ajudou a equipe a subir para o primeiro escalão gaúcho.

Acessos e rebaixamentos[editar | editar código-fonte]

Em 1995 caiu para a Segunda Divisão depois de uma grave crise financeira, mas dois anos mais tarde (1997) voltava a elite do futebol gaúcho. Ao fim da década de 1990, mais precisamente 1999, após seu rebaixamento, o clube passou a adotar um novo modelo de modernização, contratando jogadores de renome internacional que no início renderam bons frutos, deixando nessa mesma época escapar novamente o título do interior.

Em 2013, ano do seu centenário sob a gestão de Paulo Juarez Martins de Almeida (2012-2013), o Santa Cruz montou uma equipe fraca tecnicamente, passando por vários problemas durante o Gauchão e foi novamente rebaixado para a Segunda Divisão estadual, onde disputou a competição em 2014. A equipe apresentou fraco desempenho na competição em 2014 e só escapou do rebaixamento para a terceira divisão na última rodada, ao vencer o Nova Prata fora de casa por 4 a 1.[4]

Rivalidade[editar | editar código-fonte]

Seu principal rival é até hoje o Avenida, conhecido como "Ave-Cruz", rivalidade que entrou em cena no ano de 1947 após um empate em 2 a 2, houve pancadaria na partida, que foi generalizada devido a falta de alambrado, jogaram jogadores históricos do Galo nesse jogo como Julio, Ormond, Lindolfo Gerhardt, Cafuringa, Felicíssimo, Joãozinho, Fogareiro, Hanny, Mico e Dario Santos, que tem 23 anos de Galo Carijó e começou a jogar aos 16 anos de idade no clube.

Ave-Cruz em números[editar | editar código-fonte]

- Em 110 clássicos, o Santa Cruz conquistou 64 vitórias, com 222 gols marcados.[5]
- O Avenida tem 21 vitórias e 128 gols na história do Ave-Cruz.
- O clássico terminou 25 vezes empatado.
- 2 a 1 é o resultado mais frequente: já aconteceu 21 vezes.
- 1 a 0 é o segundo, já tendo ocorrido em 19 vezes.
- Avenida e Santa Cruz se enfrentaram seis vezes pelo Gauchão: cinco vitórias do Galo e um empate.
- 60 clássicos foram disputados nos Plátanos, com supremacia carijó, 36 vitórias contra 13 empates e 12 derrotas.

Estádio[editar | editar código-fonte]

Seu estádio é o Estádio dos Plátanos, em Santa Cruz do Sul, com capacidade para aproximadamente 7.000 espectadores. Mesmo com área menor do que já teve, possuí hoje melhores acomodações, com pavilhão de arquibancadas sociais e abrigando inclusive um posto de combustível em seu terreno.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Conquistas[editar | editar código-fonte]

Estaduais
Competição Títulos Temporadas
Rio Grande do Sul 3º Colocado no Campeonato Gaúcho 3 1932, 1959 e 1975
Rio Grande do Sul 4º Colocado no Campeonato Gaúcho 2 1957 e 1988
Rio Grande do Sul Vice-Campeão Gaúcho - Segunda Divisão 3 1952, 1983 e 1997
Municipais
Competição Títulos Temporadas
Brasao Santa Cruz do Sul.png Citadino de Santa Cruz do Sul 7 1947, 1948, 1949, 1950, 1951, 1952 e 1953
Brasao Santa Cruz do Sul.png Copa Centenário de Santa Cruz do Sul 1 2013

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Atualizado em 12 de janeiro de 2016.

Goleiros
Jogador
Brasil Henrique Becker
Brasil Maikon Finger
Brasil Vandré Neves
Defensores
Jogador Pos.
Brasil Daniel Navarro Z
Brasil Hiago Silva Z
Brasil Romário Scherer Z
Brasil Sérgio Junior Z
Brasil Valença Z
Brasil Guilherme Schuster LD
Brasil Alexandre Junior LD
Brasil Cassio Santos LE
Brasil Diego Saraçol LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
Brasil David Cunha V
Brasil Lucio Bicca V
Brasil Marcio Morche V
Brasil Yan Maciel V
Brasil Jeferson Marques M
Brasil Jeferson Peiter M
Brasil Julio César M
Brasil William Costa M
Atacantes
Jogador
Brasil Alisson Ledesma
Brasil Junior Santos
Brasil Ronaldo Borges
Brasil Wiliam Campos
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil Betinho Ijuí T
Brasil Eduardo Luz AS
Brasil Márcio Telles PF
Brasil Mateus Porto VF
Brasil Gaspar Martin DF
Brasil Iloir Steffens DF
Brasil Palito SF

Treinadores anteriores

Betinho Ijuí - 30/12/2015 - atual
Sananduva - 18/06/2014 - 01/05/2015
Lúvio Trevisan - 20/04/2014 a 04/05/2014
Ben Hur Pereira - 24/03/2014 a 20/04/2014
Tonho Gil - 05/11/2013 a 23/03/2014

Artilheiros[editar | editar código-fonte]

Artilharia
Atleta Torneio Ano Gols
Valduíno[6] Rio Grande do Sul Campeonato Gaúcho - Série B 1983 10 Gol marcado


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Site Oficial

Fã Site FC Santa Cruz

Ogol: Santa Cruz-RS

Sambafoot: Santa Cruz-RS

Soccerway: Santa Cruz-RS

Ver também[editar | editar código-fonte]


Referências