Futebol da Associação Recreativa Cultural Unidos do Cruzeiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
ARUC
ARUC 2.png
Nome Associação Recreativa Cultural Unidos do Cruzeiro
Mascote Gavião
Principal rival Cruzeiro-DF
Fundação 10 de junho de 1999 (23 anos)
Estádio Defelê
Capacidade 1.500
Localização Cruzeiro, Distrito Federal, Brasil
Proprietário ARUC
Treinador Gerson Ramos
Material (d)esportivo Kbal Sport
Competição Campeonato Brasiliense - 2.ª Divisão
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo

O Futebol da Associação Recreativa Cultural Unidos do Cruzeiro é o departamento de futebol da escola de samba Associação Recreativa Cultural Unidos do Cruzeiro. sediado na cidade satélite do Cruzeiro, no Distrito Federal. Ele é mais conhecido como ARUC.

História[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

A RA do Cruzeiro tem um grande histórico no futebol do Distrito Federal. A primeira equipe de relevância do Cruzeiro foi a Associação Esportiva Cruzeiro do Sul, que foi o campeão do Campeonato Brasiliense de 1963.

Na década de 1970 surge o Flamengo Esporte Clube, que muda de nome em 1976 para Cruzeiro Esporte Clube. No mesmo ano, disputa o Campeonato Brasiliense de 1976.

ARUC[editar | editar código-fonte]

O departamento de futebol profissional da ARUC surgiu no dia 10 de junho de 1999, criado pelo secretário de esportes e ex-presidente do Gama, Agrício Braga, juntamente com os sócios Wagner Marques e Paulo Goyaz. O clube mandava seus jogos no estádio Walmir Campelo Bezerra (Bezerrão) e no Mané Garrincha.

Logo em seu primeiro campeonato, a ARUC conseguiu obter o vice-campeonato da Segunda Divisão em 2000, perdendo o título para o Brasiliense, mas conseguindo a vaga para a Primeira Divisão do Campeonato Metropolitano. Em 2003, a ARUC foi destaque nacional por causa de seu goleiro, Serjão, que chegou a pesar 110 quilos.[1]

Em 2002 o clube possuía uma parceria com a Sociedade Esportiva do Gama para utilizar jogadores da categoria de base do clube.

Após disputar o Campeonato Brasiliense da Segunda Divisão de 2005, o clube se licencia, e é desfiliado.

Retorno[editar | editar código-fonte]

Em 2015 há uma discussão para o retorno de algumas equipes que estavam inativas e a recriação da terceira divisão estadual, porém essa discussão é judicializada. Na decisão final, estão suspensos por cinco anos, porém prorrogáveis, a inscrição de novos clubes na FFDF, e consequentemente, a entrada de novos times no Campeonato Brasiliense. Também está extinta a terceira divisão.[2]

Planaltina Esporte Clube consegue autorização para retornar, disputando a segunda divisão em 2015.[3], ARUC ganhou na justiça o direito de participar da segundona, porém não consegue refiliação, o clube começa a negociar seu retorno.[4], porém a liminar foi cassada logo depois. [5] O Clube Atlético Bandeirante se transfere para Taguatinga. Era esperado o retorno do Taguatinga Esporte Clube, porém o clube adota o nome de Clube Atlético Taguatinga.[6]

Em 2019 disputa o Campeonato Brasiliense de Juniores.

Depois de 15 anos afastado do futebol profissional, é refiliado a FFDF em 2020. O clube estava há cinco anos negociando o seu retorno ao campeonato. Em 2015 a FFDF suspendeu as novas filiações de clubes por cinco anos, prazo terminado nesse ano de 2020.[7][8]

Rivalidades[editar | editar código-fonte]

ARUC x Cruzeiro[editar | editar código-fonte]

ARUC e Cruzeiro são um clássico em potencial. As duas equipes são as únicas em atividade da Região Administrativa do Cruzeiro. Apesar disso, como a primeira competição oficial do Cruzeiro foi em 2004 e o desaparecimento prematuro do ARUC em 2005 não permitiu que desse tempo de criar uma rivalidade entre as duas equipes.

Se enfrentaram apenas duas vezes em toda a sua história. Uma vez em 2004, e outra em 2005, ambas pelo Campeonato Brasiliense da Segunda Divisão.

Porém, é possível que a rivalidade dos dois clubes aumentem nos próximos anos, visto que em 2020 o ARUC foi refiliado. Os clubes voltariam a se enfrentar pela primeira vez em 15 anos na Segunda Divisão de 2020.[9]

Símbolos[editar | editar código-fonte]

Escudo[editar | editar código-fonte]

Evolução do Escudo do ARUC
2020 – Alternativo 1999 – Atual
ARUC4.png ARUC 2.png

Elenco[editar | editar código-fonte]

Goleiros
Jogador
Brasil Márcio
Brasil Gabriel Blesson
Brasil Marcos
Defensores
Jogador Pos.
Brasil Julio Cesar Z
Brasil Felipe Alves Z
Brasil Eduardo Z
Brasil Sales Z
Brasil Garcia Z
Brasil Dogão Z
Brasil Dedê LD
Brasil Ítalo LE
Brasil Eric LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
Brasil Bruno V
Brasil Adryan V
Brasil Caio Mendes V
Brasil James M
Brasil Vinicios Índio M
Brasil Victor Hugo M
Brasil Juan M
Brasil Guilherme M
Brasil Miguel M
Brasil Willian M
Atacantes
Jogador
Brasil Gui
Brasil Arthur Lisboa
Brasil Luan
Brasil Vini
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil Gerson Ramos T
Brasil Paulo Ramos AS

Títulos[editar | editar código-fonte]

Campeonato Brasiliense Feminino: 1998

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Participações[editar | editar código-fonte]

Participações em 2020
Competição Temporadas Melhor campanha Estreia Última P Aumento R Baixa
Distrito Federal (Brasil) Campeonato Brasiliense 3 5º colocado (2002) 2001 2003 3
2ª Divisão 5 Vice-campeão (2000) 2000 2020 1

Referências

Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre clubes brasileiros de futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.