Futebol nos Jogos Olímpicos de Verão de 2016 - Grupo E

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Andressa Alves (esquerda), Cristiane (centro) e Marta (direita) comemoram um dos gols do Brasil contra a Suécia.

O grupo E do torneio feminino de futebol nos Jogos Olímpicos de Verão de 2016; formato por: Brasil, China, África do Sul e Suécia, teve início em 3 de agosto com o confronto entre Suécia e África do Sul, que terminou com vitória escandinava e se encerrará em 9 de agosto de 2016.

Estádios[editar | editar código-fonte]

Rio de Janeiro, RJ Brasília, DF Manaus, AM
Estádio Olímpico Estádio Nacional Arena da Amazônia
Capacidade: 60 000 Capacidade: 68 000 Capacidade: 44 351
Engenhão vista atrás do gol.jpg Estádio Nacional Brasília.jpg Arena Amazônia.jpg

As seis partidas do grupo foram realizadas em três estádios, a primeira e a segunda rodada foram disputada no Estádio Olímpico, Rio de Janeiro.[1] A Arena da Amazônia receberá um dos jogos da terceira rodada, enquanto o outro será disputado no Estádio Nacional.[1]

Equipes[editar | editar código-fonte]

Pos Confederação Equipes Qualificação Data da
qualificação
Aparições
Olímpicas
Última
aparição
Melhor
performance
Ranking da FIFA[At.F]
E1 CONMEBOL  Brasil * Pais sede 2 de outubro de 2009 2012 | Medalha de prata (2004, 2008) 8
E2 AFC  China Qualificação da AFC: 2º lugar 7 de março de 2016 2008 Medalha de prata (1996) 12
E3 UEFA  Suécia Qualificação da UEFA: 1º lugar 9 de março de 2016 2012 4º lugar (2004) 6
E4 CAF África do Sul | Qualificação da CAF: 1º lugar 18 de outubro de 2015 2012 Fase de grupo (2012) 52

Classificação[editar | editar código-fonte]

No final da primeira rodada, após a vitória mínima sobre a África do Sul, a Suécia terminou na vice liderança, as africanas ocuparam o posto de terceiro lugar.[2] A liderança ficou com o Brasil, por causa dos saldos de gols. A China ocupou o último posto, uma vez que as chinesas levaram mais gols do que as africanas.[3]

Após a segunda rodada, a China saiu da lanterna do grupo e assumiu a vice liderança, graças a vitória sobre a seleção Sul-Africana, eliminando a adversária do torneio. A Suécia acabou sendo goleada pelo Brasil, o resultado positivo classificou a seleção sul-americana, que alcançou seis pontos e abriu uma boa vantagem em relação as adversárias no saldo de gols. Por outro lado, a seleção europeia caiu uma posição e terminou a rodada em terceiro do grupo. [4]

A última rodada, realizada no dia 9 de agosto,[5] a seleção chinesa e a seleção sueca empataram sem gols e ambas se classificaram, a China terminou na segunda colocação por ter um saldo de gols melhor do que a adversária.[6] O resultado não se alterou na partida entre Brasil e África do Sul, a seleção brasileira permaneceram na primeira colocação enquanto a África do Sul foi eliminada na última posição do grupo.[7]

Seleções classificadas para as quartas de final.
Seleções classificadas (se uma das duas melhores terceiras).
Seleção P J V E D GP GC SG
Flag of Brazil.svg Brasil 7 3 2 1 0 8 1 +7
China China 4 3 1 1 1 2 3 -1
Suécia Suécia 4 3 1 1 1 2 5 -3
África do Sul África do Sul 1 3 0 1 2 0 3 -3

Ordenamento da classificação: 1) Pontos; 2) Diferença de golos total; 3) Golos marcados; 4) Sorteio.
[8]


Partidas[editar | editar código-fonte]

Todos os jogos estão no horário local (UTC-3), exceto a partida realizada na Arena da Amazônia, localizada no UTC-4.

Primeira rodada[editar | editar código-fonte]

Suécia vs África do Sul

Esse foi o segundo confronto entre ambas as seleções na história dos Jogos Olímpicos. Em Londres 2012, Suécia e África do Sul compuseram o grupo F do torneio, o jogo válido pela primeira rodada foi realizado em 25 de julho de 2012 e terminou com vitória sueca por 4–1.[9]

Em toda a partida, a Suécia teve a posse de bola, mas não converteu em chances de gols.[10] por outro lado, as sul-africanas raramente atacaram as europeias com perigo.[9] No início do jogo, a seleção escandinava criou três chances, a goleira Roxanne Barker interferiu em duas ocasiões, no melhor momento do primeiro tempo, Sofia Jakobsson finalizou no travessão sul-africano.[11] Após esse lance, a seleção africana equilibrou a partida na marcação, limitando as tentativas ofensivas das adversárias.[11] O cenário não se alterou para o segundo tempo,[11] apesar da queda de rendimento, a seleção sueca conseguiu o seu objetivo.[10] Após um cruzamento do lado esquerdo, a goleira Barker falhou e a bola sobrou para uma jogadora sueca, que retornou a cruzar, dessa vez pelo lado direito. Barker novamente falhou e a bola sobrou para Nilla Fischer fazer o gol.[9]

O jogo ficou marcado por ser o primeiro evento, entre todos os esportes, a ser disputado pelos Jogos Olímpicos de 2016,[12] O confronto foi válido pela primeira rodada do torneio e realizado no Estádio Olímpico em 3 de agosto de 2016, o público presente foi de um pouco mais de 13 mil espectadores.[13] Apesar da vitória magra, a Suécia confirmou o favoritismo e estreou com um resultado positivo nessa edição de Jogos Olímpicos, agora a seleção escandinava somou nove jogos de invencibilidade.[14]


3 de agosto Suécia Suécia 1 – 0 África do Sul África do Sul Estádio Olímpico, Rio de Janeiro
13:00
Fischer Gol marcado aos 76 minutos de jogo 76' FIFA
Rio2016
Público: 13 439
Árbitro: RoméniaROU Teodora Albon
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Suécia
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
África do Sul
Suécia
SUÉCIA:
G 1 Hedvig Lindahl
D 3 Linda Sembrant
D 5 Nilla Fischer
D 6 Magdalena Ericsson
D 15 Jessica Samuelsson
M 7 Lisa Dahlkvist Substituído após 46 minutos de jogo 46'
M 9 Kosovare Asllani
M 17 Caroline Seger
A 8 Lotta Schelin Capitão
A 10 Sofia Jakobsson Substituído após 69 minutos de jogo 69'
A 13 Fridolina Rolfö Substituído após 76 minutos de jogo 76'
Substituições:
M 16 Elin Rubensson Entrou em campo após 46 minutos 46'
A 11 Stina Blackstenius Entrou em campo após 69 minutos 69'
A 12 Olivia Schough Entrou em campo após 76 minutos 76'
Técnica:
Suécia Pia Sundhage
África do Sul
ÁFRICA DO SUL:
G 1 Roxanne Barker
D 2 Lebogang Ramalepe Substituído após 83 minutos de jogo 83'
D 3 Nothando Vilakazi
D 4 Noko Matlou
D 5 Janine van Wyk Capitão
M 6 Mamello Makhabane
M 7 Stephanie Malherbe
M 9 Amanda Dlamini
M 15 Refiloe Jane
A 11 Shiwe Nongwanya Substituído após 40 minutos de jogo 40'
A 12 Jermaine Seoposenwe
Substituições:
M 10 Linda Motlhalo Entrou em campo após 40 minutos 40'
A 14 Sanah Mollo Entrou em campo após 83 minutos 83'
Técnica:
Países Baixos Vera Pauw

Bandeirinhas:[13]
Roménia Petruța Iugulescu
Eslováquia Mária Súkeníková
Quarto árbitro:[13]
Uruguai Claudia Umpierrez

Brasil vs China

Esse foi o segundo confronto entre ambas as seleções na história dos Jogos Olímpicos. Em Atlanta 1996, Brasil e China se enfrentaram nas semifinais do torneio, o jogo foi realizado em 28 de julho e terminou com triunfo da China por 3–2.[15]

O Brasil dominou todas as ações no primeiro tempo, as raras chances de gols da China foram resultados de erros de passes da defesa brasileira.[16][2] O Brasil não convertia a posse de bola em ataques promissores. Em um ataque brasileiro, Cristiane aproveitou um bom cruzamento, porém a goleira Zhao Lina defendeu a finalização. A partir dos 30 minutos, as brasileiras começaram a pressionar as chinesas. Novamente, Cristiane quase marcou, mas Liu Shanshan interferiu em cima da meta chinesa.[16] Em um cruzamento, a defesa não conseguiu afastar, então Monica cabeceou colocado, superando as chinesas que faziam a marcação em cima da linha.[2] Nos últimos minutos, o recuo de Fabiana acertou o contra pé da goleira Bárbara, a bola foi para a linha de fundo, que quase resulto em gol contra.[17] No segundo tempo, a China começou a atacar com mais intensidade,[17] em uma ocasião, Wang Shuang apareceu na frente de Bárbara, mas a atacante foi desarmada pela Formiga.[16] A China começava a dominar as ações ofensivas, porém o ímpeto asiático se esgotou quando Andressa Alves concluiu com êxito o cruzamento de Marta.[16] O Brasil voltou a atacar seis minutos depois do segundo gol, Marta fez fila e chutou rasteiro, que defendido pela goleira.[16] O Brasil começou a administrar o jogo e nos acréscimos, Cristiane aproveitou o cruzamento de Andressa e a saída equivocada da goleira Zhao Lina para marcar o terceiro.[16][17][2]

Em busca do inédito ouro, o resultado positivo gerou uma boa repercussão, em especial, o contraste entre a boa atuação da seleção com a atuação mediana de Marta.[18] Os gritos de "Marta é melhor do que Neymar" ecoaram pelo estádio, após a partida, o técnico Vadão declarou: "Neymar mandou mensagem para as meninas, não temos essas rivalidades, muito pelo contrário, as meninas estão sempre torcendo para os meninos e vice-versa."[19][18] A partida foi válida pelos Jogos Olímpicos de 2016 e realizada no Estádio Olímpico em 3 de agosto de 2016, o público presente foi de 27 mil 618 espectadores.[20]


3 de agosto Brasil Flag of Brazil.svg 3 – 0 China China Estádio Olímpico, Rio de Janeiro
16:00
Monica Gol marcado aos 36 minutos de jogo 36'
Andressa Alves Gol marcado aos 59 minutos de jogo 59'
Cristiane Gol marcado aos 90 minutos de jogo 90'
FIFA
Rio2016
Público: 27 618
Árbitro: CanadáCAN Carol Anne Chenard
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Brasil
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
China
Brasil
BRASIL:
G 1 Bárbara
D 2 Fabiana Substituído após 85 minutos de jogo 85'
D 3 Monica
D 4 Rafaelle
D 6 Tamires
M 5 Thaisa Substituído após 58 minutos de jogo 58'
M 8 Formiga
A 9 Andressa Alves
M 10 Marta Capitão Substituído após 80 minutos de jogo 80'
A 11 Cristiane
A 16 Beatriz
Substituições:
M 17 Andressa Entrou em campo após 58 minutos 58'
A 7 Debinha Entrou em campo após 80 minutos 80'
D 12 Poliana Entrou em campo após 85 minutos 85'
Técnico:
Brasil Vadão
China
CHINA:
G 1 Zhao Lina
D 2 Liu Shanshan
D 5 Wu Haiyan Penalizado com cartão amarelo após 22 minutos 22'
D 6 Li Dongna Capitão
D 14 Zhao Rong
M 8 Tan Ruyin
M 13 Pang Fengyue
M 15 Zhang Rui
A 10 Yang Li
A 11 Wang Shanshan Substituído após 64 minutos de jogo 64'
A 12 Wang Shuang Substituído após 79 minutos de jogo 79'
Substitutions:
A 9 Ma Xiaoxu Entrou em campo após 64 minutos 64'
A 17 Gu Yasha Entrou em campo após 79 minutos 79'
Técnico:
França Bruno Bini

Bandeirinhas:[20]


Canadá Marie-Josée Charbonneau
Canadá Suzanne Morisset
Quarto árbitro:[20]
Zâmbia Gladys Lengwe

Segunda rodada[editar | editar código-fonte]

África do Sul vs China

Esse foi o primeiro confronto entre ambas as seleções na história dos Jogos Olímpicos. Após saírem derrotadas na rodada anterior, o resultado positivo era fundamental para as seleções.[21] A técnica da África do Sul, Vera Pauw, mostrou-se otimista, acreditando que o time africano estava apto para encarar qualquer adversário.[21] A partida foi realizada no Estádio Olímpico em 6 de agosto de 2016, o público presente foi de 25 mil espectadores.[22]

Durante o primeiro tempo, a seleção sul-africana atuava com muita velocidade, porém sem organização, limitando-se as ações ofensivas. Os momentos mais agudos foram nos minutos finais, aos 43 minutos, em uma falta, Janine van Wyk acertou a barreira, no rebote ela finalizou no travessão chinês. No lance seguinte, a chinesa Gu Yasha aproveitou um lançamento pela esquerda e finalizou na saída da goleira Roxanne Barker, abrindo o placar.[23] No segundo tempo, o cenário se alterou. O rendimento ofensivo da África do Sul caiu, resultando no crescimento da China, que criou oportunidades para finalizar. A China fechou o placar nos minutos finais, quando Tan Ruyin finalizou de longa distância (quase na linha do meio de campo) e encobriu a goleira Barker, que encontrava-se adiantada.[23]

Esse resultado deixou as sul-africanas na última colocação do grupo, praticamente eliminadas.[24] As chinesas chegaram a 3 pontos e assumiu momentaneamente a terceira colocação do grupo.[24]


6 de agosto África do Sul África do Sul 0 – 2 China China Estádio Olímpico, Rio de Janeiro
19:00
FIFA
Rio2016
Gu Yasha Gol marcado aos 45+1 minutos de jogo 45+1'
Tan Ruyin Gol marcado aos 87 minutos de jogo 87'
Público: 25 000
Árbitro: SuíçaSUI Esther Staubli
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
África do Sul
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
China
África do Sul
ÁFRICA DO SUL:
G 1 Roxanne Barker
D 2 Lebogang Ramalepe
D 3 Nothando Vilakazi
D 4 Noko Matlou Penalizado com cartão amarelo após 72 minutos 72'
D 5 Janine van Wyk Capitão
M 6 Mamello Makhabane Substituído após 80 minutos de jogo 80'
M 7 Stephanie Malherbe
M 10 Linda Motlhalo
M 15 Refiloe Jane
A 20 Thembi Kgatlana Substituído após 84 minutos de jogo 84'
A 12 Jermaine Seoposenwe
Substituições:
M 12 Mpumi Nyandeni Entrou em campo após 80 minutos 80'
A 14 Sanah Mollo Entrou em campo após 84 minutos 84'
Técnica:
Países Baixos Vera Pauw
China
CHINA:
G 1 Zhao Lina
D 2 Liu Shanshan
D 4 Gao Chen
D 6 Li Dongna Capitão
D 14 Zhao Rong Substituído após 29 minutos de jogo 29'
M 8 Tan Ruyin
M 13 Pang Fengyue
M 15 Zhang Rui
A 10 Yang Li Substituído após 65 minutos de jogo 65'
A 17 Gu Yasha
A 12 Wang Shuang
Substitutions:
D 5 Wu Haiyan Entrou em campo após 29 minutos 29'
A 11 Wang Shanshan Entrou em campo após 65 minutos 65'
Técnico:
França Bruno Bini

Bandeirinhas:[22]
República Checa Lucie Ratajova
Grécia Chrysoula Kourompylia
Quarto árbitro:[22]
Canadá Carol Anne Chenard

Brasil vs Suécia

Esse foi o terceiro confronto entre ambas as seleções na história dos Jogos Olímpicos. Em Sydney 2000, o confronto foi válido pela primeira rodada do torneio e terminou com triunfo brasileiro por 2–0.[15] Em 2004, outro triunfo da seleção sul-americana, dessa vez por 1–0 na semifinal.[15] A partida foi realizada no Estádio Olímpico em 6 de agosto de 2016, o público presente foi superior 43 mil espectadores.[25]

O Brasil teve uma atitude ofensiva desde os primeiros minutos do jogo,[26] Porém, a primeira chance de gol foi sueca, Kosovare Asllani finalizou na pequena área, mas parou na goleira Bárbara. Apesar do susto, o Brasil abriu o placar, após um lançamento, Beatriz invadiu a área e antecipou a defensora e a goleira para marcar.[26] Poucos minutos depois, Cristiane completou o cruzamento de Marta, gol de letra. Ainda no primeiro tempo, Cristiane foi derrubada dentro da área, Marta cobrou o pênalti e aumentou o placar.[27] No segundo tempo, Cristiane foi substituída após sentir uma lesão na coxa[28] O Brasil voltou a marcar com Marta, que tabelou com a adversária, seis minutos depois, Beatriz anotou mais um. Quando o placar parecia encerrado, Lotta Schelin marcou o gol da Suécia.

Após o jogo, a repercussão foi intensa. O empate da seleção masculina na estreia contra a África do Sul gerou grandes comparações,[28][29] a torcida voltou a gritar "A Marta é melhor que o Neymar".[28] A jogadora Cristiane entrou na história dos Jogos Olímpicos, ela bateu o recorde do dinamarquês Sophus Nielsen e se tornou a atleta com mais gols na história do futebol nas Olimpíadas.[28] Com o resultado, o Brasil garantiu a classificação para a próxima fase e deixou a Suécia em terceira do grupo.[27]

6 de agosto Brasil Flag of Brazil.svg 5 – 1 Suécia Suécia Estádio Olímpico, Rio de Janeiro
22:00
Beatriz Gol marcado aos 21 minutos de jogo 21', Gol marcado aos 86 minutos de jogo 86'
Cristiane Gol marcado aos 24 minutos de jogo 24'
Marta Gol marcado aos 44 minutos de jogo 44' (pen), Gol marcado aos 80 minutos de jogo 80'
FIFA
Rio2016
Schelin Gol marcado aos 89 minutos de jogo 89' Público: 43 384
Árbitro: MéxicoMEX Lucila Venegas
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Brasil
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Suécia
Brasil
BRASIL:
G 1 Bárbara
D 2 Fabiana Substituído após 83 minutos de jogo 83'
D 3 Monica
D 4 Rafaelle
D 6 Tamires
M 5 Thaisa
M 8 Formiga Substituído após 56 minutos de jogo 56'
A 9 Andressa Alves
M 10 Marta Capitão
A 11 Cristiane Substituído após 66 minutos de jogo 66'
A 16 Beatriz
Substituições:
M 17 Andressa Entrou em campo após 56 minutos 56'
A 7 Debinha Entrou em campo após 66 minutos 66'
D 12 Poliana Entrou em campo após 83 minutos 83'
Técnico:
Brasil Vadão
Suécia
SUÉCIA:
G 1 Hedvig Lindahl
D 4 Emma Berglund
D 5 Nilla Fischer
D 6 Magdalena Ericsson Penalizado com cartão amarelo após 44 minutos 44' Substituído após INT minutos de jogo INT'
M 16 Elin Rubensson
M 7 Lisa Dahlkvist
M 9 Kosovare Asllani Penalizado com cartão amarelo após 49 minutos 49' Substituído após 74 minutos de jogo 74'
M 17 Caroline Seger Capitão
A 8 Lotta Schelin
A 10 Sofia Jakobsson
A 13 Fridolina Rolfö Substituído após 64 minutos de jogo 64'
Substituições:
D 2 Jonna Andersson Entrou em campo após INT minutos INT'
A 12 Olivia Schough Entrou em campo após 64 minutos 64'
M 12 Emilia Appelqvist Entrou em campo após 74 minutos 74'
Técnica:
Suécia Pia Sundhage

Bandeirinhas:[25]
México Enedina Caudillo
México Mayte Chavez
Quarto árbitro:[25]
Malásia Rita Gani

Terceira rodada[editar | editar código-fonte]

África do Sul vs Brasil

Esse foi o primeiro confronto entre ambas as seleções na história dos Jogos Olímpicos. A partida foi válida pela terceira rodada e realizada na Arena da Amazônia, Manaus.[30]

Após a vitória contra a Suécia, o Brasil entrou em campo com seis jogadores reservas. As poupadas foram: Bárbara, Fabiana, Formiga, Rafaelle, Beatriz e Marta.[30] Mesmo com as alterações, o Brasil ofereceu perigo para as africanas, apesar de pecar na finalização, Roxanne Barker defendeu o chute de Tamires e viu Debinha acertar a trave, entretanto, o placar permaneceu nulo. No segundo tempo, Marta entro no lugar de Tamires, com o desenvolver do jogo, o Brasil começou a administrar o resultado. Em um lance raro, Fabiana exigiu uma nova defesa da goleira sul-africana, porém o placar permaneceu inalterado.[30]

Com o empate, o Brasil garantiu a primeira colocação do grupo e se classificou para enfrentar a Austrália na próxima fase.[30] As sul-africanas foram eliminadas da competição.[30]


9 de agosto África do Sul África do Sul 0 – 0 Flag of Brazil.svg Brasil Arena Amazônia, Manaus
21:00 (UTC-4)
FIFA
Rio2016
Público: 38 415
Árbitro: FrançaFRA Stéphanie Frappart
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
África do Sul
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Brasil
África do Sul
ÁFRICA DO SUL:
G 1 Roxanne Barker
D 3 Nothando Vilakazi Penalizado com cartão amarelo após 57 minutos 57'
D 4 Noko Matlou
D 5 Janine van Wyk Capitão
D 17 Leandra Smeda
M 6 Mamello Makhabane
M 7 Stephanie Malherbe
M 10 Linda Motlhalo Substituído após 65 minutos de jogo 65'
M 15 Refiloe Jane
A 12 Jermaine Seoposenwe
A 20 Thembi Kgatlana Substituído após 83 minutos de jogo 83'
Substituições:
A 14 Sanah Mollo Entrou em campo após 65 minutos 65'
M 9 Amanda Dlamini Entrou em campo após 83 minutos 83'
Técnica:
Países Baixos Vera Pauw
Brasil
BRASIL:
G 18 Aline
D 3 Monica
D 6 Tamires Substituído após 46 minutos de jogo 46'
D 12 Poliana
D 14 Bruna Capitão Penalizado com cartão amarelo após 39 minutos 39'
M 5 Thaisa Substituído após 83 minutos de jogo 83'
M 13 Érika
M 17 Andressa Penalizado com cartão amarelo após 44 minutos 44'
A 7 Debinha
A 9 Andressa Alves
A 15 Raquel Fernandes
Substituições:
M 10 Marta Entrou em campo após 46 minutos 46'
D 2 Fabiana Entrou em campo após 83 minutos 83'
Técnico:
Brasil Vadão

Bandeirinhas:[31]
França Manuela Nicolosi
Espanha Yolanda Parga
Quarto árbitro:[31]
Chile María Carvajal

China vs Suécia

Esse foi o terceiro confronto entre ambas as seleções na história dos Jogos Olímpicos. Em 1996, triunfo chinês por 2–1.[32] Depois de 12 anos, em Pequim 2008, as seleções voltaram a se enfrentar pela primeira rodada do torneio, novamente com vitória chinesa, dessa vez por 2–0.[33]

O jogo foi marcado por poucas chances de gols e muito erros de passes. A arbitragem abusou das marcações de faltas e o jogo ficou trancado.[34] Na volta para o segundo tempo, a goleira Hedvig Lindahl fez a primeira defesa do jogo, Fridolina Rolfö respondeu e quase encobriu Zhao Lina.[34]

Com o empate sem gols, ambas as seleções se classificaram para a próxima fase, a China terminou na segunda colocação em virtude do saldo de gols e confronta a Alemanha,[34] por outro lado, a Suécia ficou em terceiro e se classificaram para enfrentar os Estados Unidos.[34]

9 de agosto China China 0 – 0 Suécia Suécia Estádio Nacional, Brasília
22:00
FIFA
Rio2016
Público: 7 648
Árbitro: ParaguaiPAR Olga Miranda
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
China
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Suécia
China
CHINA:
G 1 Zhao Lina
D 2 Liu Shanshan
D 4 Gao Chen
D 5 Wu Haiyan
D 6 Li Dongna Capitão
M 8 Tan Ruyin
M 13 Pang Fengyue Penalizado com cartão amarelo após 90+2 minutos 90+2'
M 15 Zhang Rui
A 10 Yang Li
A 12 Wang Shuang Substituído após 83 minutos de jogo 83'
A 17 Gu Yasha Substituído após 89 minutos de jogo 89'
Substitutions:
A 11 Wang Shanshan Entrou em campo após 83 minutos 83'
M 7 Li Ying Entrou em campo após 89 minutos 89'
Técnico:
França Bruno Bini
Suécia
SUÉCIA:
G 1 Hedvig Lindahl
D 3 Linda Sembrant
D 5 Nilla Fischer Substituído após 78 minutos de jogo 78'
D 6 Magdalena Ericsson
D 15 Jessica Samuelsson
M 7 Lisa Dahlkvist Substituído após 62 minutos de jogo 62'
M 16 Elin Rubensson
M 17 Caroline Seger
A 8 Lotta Schelin (c)
A 12 Olivia Schough
A 13 Fridolina Rolfö
Substituições:
M 9 Kosovare Asllani Entrou em campo após 62 minutos 62'
D 4 Emma Berglund Entrou em campo após 78 minutos 78'
Técnica:
Suécia Pia Sundhage

Bandeirinhas:[35]
ArgentinaMariana de Almeida
VenezuelaYoleida Lara
Quarto árbitro:[35]
CanadáCarol Chenard

Referências

  1. a b Mateus Neves (10 de novembro de 2015). «Divulgado o calendário de partidas do futebol nos Jogos Olímpicos». Brasilgov. Consultado em 13 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 13 de agosto de 2016 
  2. a b c d «Seleção feminina estreia nos Jogos Olímpicos com vitória sobre a China». Rádio Itatiaia. 3 de agosto de 2016. Consultado em 7 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 7 de agosto de 2016 
  3. Amanda Bogo (3 de agosto de 2013). «Com gritos de "olé", Brasil vence China em estreia na busca pelo ouro». campograndenews.com.br. Consultado em 7 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 7 de agosto de 2016 
  4. «Ataque brilha de novo, e Brasil assegura vaga nas quartas». Federação Internacional de Futebol. 7 de agosto de 2016. Consultado em 7 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 7 de agosto de 2016 
  5. «Seleção feminina tenta manter 100% nos Jogos contra África do Sul». Gazeta Esportiva. 9 de agosto de 2016. Consultado em 12 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 12 de agosto de 2016 
  6. «Seleção feminina tenta manter 100% nos Jogos contra África do Sul». Globo Esporte. 9 de agosto de 2016. Consultado em 12 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 12 de agosto de 2016 
  7. «Marta entra no 2º tempo, mas Brasil sofre com retranca e empata com a África do Sul». ESPN. 9 de agosto de 2016. Consultado em 12 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 12 de agosto de 2016 
  8. «Futebol feminino - Resumo da competição» (PDF) (em inglês). Rio 2016. 19 de agosto de 2016. Consultado em 20 de agosto de 2016. Cópia arquivada (PDF) em 20 de agosto de 2016 
  9. a b c «Começou! Suécia bate África do Sul na 1ª partida da Rio-2016». TNH1. 3 de agosto de 2016. Consultado em 7 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 7 de agosto de 2016 
  10. a b Andrew Downie (3 de agosto de 2016). «Suécia vence por 1 x 0 no futebol feminino em primeira disputa da Rio 2016». Yahoo!. Consultado em 7 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 7 de agosto de 2016 
  11. a b c «Suecas sofrem para derrotar África do Sul na abertura». Federação Internacional de Futebol. 3 de agosto de 2016. Consultado em 7 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 7 de agosto de 2016 
  12. «Suécia e África do Sul se enfrentam em 'abertura' das Olimpíadas». Terra Networks. 3 de agosto de 2016. Consultado em 7 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 7 de agosto de 2016 
  13. a b c «Match Report: SWE vs RSA» (PDF). smsprio2016-a.akamaihd.net. Consultado em 12 de outubro de 2016. Cópia arquivada (PDF) em 3 de agosto de 2016 
  14. «Na abertura do Rio 2016, Suécia vence África do Sul no futebol feminino». Internet Group. 3 de agosto de 2016. Consultado em 13 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 13 de agosto de 2016 
  15. a b c Gustavo Poli e Lédio Carmona (2009). Almanaque do futebol. [S.l.: s.n.] p. 146. ISBN 9788577340903 
  16. a b c d e f Ivan Dias Marques (3 de agosto de 2016). «Seleção brasileira feminina estreia bem e goleia China por 3x0». correio24horas.com.br. Consultado em 7 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 4 de agosto de 2016 
  17. a b c Gustavo Moniz (5 de agosto de 2016). «Brasil vence a China por 3 a 0 na estreia nas Olimpíadas». El país. Consultado em 7 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 7 de agosto de 2016 
  18. a b «Brasil sobra em campo e estreia com vitória no futebol feminino na Rio-2016». Universo Online. 3 de agosto de 2016. Consultado em 13 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 5 de agosto de 2016 
  19. «Após vitória em estreia, técnico Vadão rejeita comparações entre Marta e Neymar». R7. Consultado em 13 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 5 de agosto de 2016 
  20. a b c «Match Report: BRA vs CHN» (PDF). smsprio2016-a.akamaihd.net. Consultado em 12 de outubro de 2016. Cópia arquivada (PDF) em 3 de agosto de 2016 
  21. a b «Pressionadas, China e África do Sul se enfrentam no futebol feminino». Terra Networks. 5 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 12 de agosto  Verifique data em: |arquivodata= (ajuda)
  22. a b c «Match Report: RSA vs CHN» (PDF). smsprio2016-a.akamaihd.net. Cópia arquivada (PDF) em 5 de agosto de 2016 
  23. a b «China se mantém viva no grupo E». Federação Internacional de Futebol. 7 de agosto de 2016. Consultado em 7 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 7 de agosto de 2016 
  24. a b «China bate a África do Sul e embola grupo do Brasil no futebol feminino». Lance!. 6 de agosto de 2016. Consultado em 12 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 12 de agosto de 2016 
  25. a b c «Match Report: BRA vs SWE» (PDF). smsprio2016-a.akamaihd.net. Cópia arquivada (PDF) em 6 de agosto de 2016 
  26. a b «Brasil goleia a Suécia por 5 a 1 e garante a classificação no futebol feminino». O Dia. 7 de agosto de 2016. Consultado em 13 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 13 de agosto de 2016 
  27. a b «Brasil dá novo show e garante classificação, mas Cristiane sai machucada». Universo Online. 6 de outubro de 2016. Consultado em 13 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 13 de agosto de 2016 
  28. a b c d «No embalo de Marta, Brasil goleia Suécia e garante vaga». Portal Gazetaweb.com. 7 de agosto de 2016. Consultado em 13 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 13 de outubro de 2016 
  29. Gustavo Moniz (11 de agosto de 2016). «Brasil empata por 0 a 0 com a África do Sul na estreia nas Olimpíadas». El País. Consultado em 13 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 13 de agosto de 2016 
  30. a b c d e Mira Palma (10 de agosto de 2016). «Brasil poupa time titular e empata com a África do Sul em Manaus». correio24horas. Consultado em 13 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 13 de agosto de 2016 
  31. a b «Match Report - RSA vs. BRA» (PDF). smsprio2016-a.akamaihd.net. Consultado em 9 de agosto de 2016  |arquivourl= é mal formado: save command (ajuda)
  32. «Olympic Football Tournaments Atlanta 1996 - Women». Federação Internacional de Futebol. Consultado em 13 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 2 de janeiro de 2013 
  33. «China vence Suécia na estréia no futebol feminino dos Jogos». ClicRBS. 6 de agosto de 2016. Consultado em 13 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 13 de agosto de 2016 
  34. a b c d «China e Suécia empatam em jogo fraco e avançam às quartas de final». Globo Esporte. 9 de agosto de 2016. Consultado em 13 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 12 de agosto de 2016 
  35. a b «Match Report - CHN vs. SWE» (PDF). smsprio2016-a.akamaihd.net. Consultado em 9 de agosto de 2016  |arquivourl= é mal formado: save command (ajuda)