Futebolistas do Goiás Esporte Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Diversos Futebolistas do Goiás Esporte Clube se notabilizaram ao longo da história do clube. Para alguns especialistas da imprensa esportiva goiana, jogadores que possam ser considerados ídolos passaram a ser raridade a partir do século XXI, o que se deve, em muito, à falta de estabilidade dos jogadores nos clubes. Iarley e Harlei, por sua vez, sao vistos como alguns dos únicos ídolos modernos do clube.[1][2] Alex Dias e Aloísio, no entanto, são lembrados como grandes referências do clube durante a década de 1990.[3]

Ídolos[editar | editar código-fonte]

  • Tão Segurado

Herói dos 33 Torcedores

Na época em que o Goiás não colecionava títulos, Tão Segurado é lembrado como o grande jogador do time. O lendário atacante jogou de 1954 a 1961 e foi o primeiro artilheiro do Campeonato Goiano pelo Alviverde, em 1956, quando anotou 22 gols. Na ocasião, ele aproveitou a provocação dos rivais de que o Goiás tinha apenas 33 torcedores para homenagear a claque esmeraldina. O ídolo dizia que havia feito 33 gols, um para cada torcedor. Apesar do desencontro nos números, a frase virou um mito no futebol goiano. Tão Segurado morreu em 1997.

  • Lincoln

O primeiro grande matador

Os feitos do Leão da Serra começaram em 1973, quando foi artilheiro do Campeonato Goiano com dezoito gols. No mesmo ano, fez o primeiro gol do Goiás na história do Campeonato Brasileiro, na vitória por 1-0 sobre o Flamengo. Participou de cinco edições do Brasileirão, disputou 96 jogos e marcou 39 gols. Primeiro brasileiro a fazer gol no Serra Dourada, Lincoln foi ainda o principal goleador do estadual em 1974 e 1976, com dezoito gols em cada edição. Hoje mora em Goiânia, onde aposentou.

  • Paghetti

Disputou quatro edições do Campeonato Brasileiro pelo Goiás (1973 a 1976). Atuou em 64 partidas e marcou dezoito gols - 3 históricos no empate de 4-4 com o Santos pelo Campeonato de 1973, quando o Goiás empatou uma partida na qual perdia por 4-1. Fez outro sobre o mesmo Santos em 1974, na vitória de 3-2 do Alviverde.

É o zagueiro mais admirado na história do Goiás. Só no Campeonato Brasileiro foram 118 jogos - 41 vitórias, 44 empates e 33 derrotas. Ele disputou sete edições da competição. Fez parte do time que em 1966 ganhou o primeiro título de campeão goiano.

  • Matinha

Um dos jogadores que mais partidas fez pelo Goiás nos mais de trinta anos de história do clube no Campeonato Brasileiro. O volante atuou em 154 jogos pelo clube no Brasileiro, nos quais fez 4 gols. Foram 55 vitórias, 55 empates e 44 derrotas. Ele conquistou o recorde de 1973 a 1981.

  • Lucinho

O atacante disputou 75 jogos pelo Goiás no Campeonato Brasileiro (1973 a 1979), com exceção à edição de 1978, quando jogou no Operário, de Campo Grande (MS). Foram 27 vitórias, 28 empates e 20 derrotas. Lucinho fez 12 gols pelo Goiás no Brasileirão. Um destes gols entrou para a história do clube - foi o quarto gol (o do empate), nos 4 a 4 com o Santos, no dia 6 de fevereiro de 1974.

  • Tuíra

O meia teve pouco tempo para se destacar no Campeonato Brasileiro pelo Goiás. Ele jogou 3 edições: de 1973 a 1975. Foram 63 jogos, 22 vitórias, 24 empates, 17 derrotas e 5 gols marcados. Fez dupla famosa de meias ao lado de Matinha.

Foi um dos volantes mais técnicos que passaram pelo futebol goiano. Desarmava como poucos e jogava de cabeça erguida. Começou nas categorias de base do clube e foi campeão goiano em 1981, 1983 e 1986. Atuou em 94 partidas do Brasileirão pelo Alviverde.

O folclórico artilheiro esteve no clube em 1983, no Campeonato Brasileiro. O Verdão foi o 5º colocado, Dario jogou 20 partidas, marcou 4 gols, venceu 7, empatou 8 e perdeu 5.

  • Péricles

As contusões atrapalharam uma parte da carreira, mas Péricles, que veio de Itumbiara, foi um dos craques da camisa 10 do Goiás. Foi campeão goiano por várias vezes e em 1989 fez o gol do título contra o Vila Nova.

Revelado nas categorias de base do clube, brilhou com a camisa 10 de 1978 a 1983. Negociado com o Catania (Itália), voltou em 1990 e ficou até 1992. Nestes anos, fez 15 gols pelo Campeonato Brasileiro. Com ele, o Goiás foi 5º lugar no Brasileirão de 1983 e vice-campeão da Copa do Brasil de 1990. Hoje é olheiro do clube.

Começou a carreira como volante, virou lateral-direito no Goiás e nunca mais deixou a posição. Ele disputou o Campeonato Brasileiro da Série A em 5 edições: 1982, 1983, 1984, 1985 e 1995. Em 1994, Zé Teodoro foi muito importante no vice-campeonato do Goiás no Campeonato Brasileiro da Segunda Divisão.

  • Cacau

Revelado pelo Goiás, o atacante surgiu na época em que o camisa 7 era o ponta-direita. Ele disputou sete edições do Campeonato Brasileiro, 1983 a 1985 e 1990 a 1993. Foram 105 jogos, dezoito gols, 29 vitórias, 35 empates e 42 derrotas.

Volante muito habilidoso, disputou 4 edições do Brasileiro pelo Goiás: 1986, 1987, 1988 e 1989. Os números dele são: 71 jogos, 19 vitórias, 26 empates, 26 derrotas e 2 gols marcados. Era exímio cobrador de pênaltis.

O Artilheiro de Deus

Chegou ao clube em 1993 para ser o principal jogador da equipe na Série B do Brasileiro de 1994. Baltazar foi também o artilheiro do Goianão de 1994 com 25 gols. É um dos jogadores que mais gols fez num só jogo no estado - 6 nos 7 a 0 do Goiás sobre o Ceres, em 1993.

Cria das categorias de base, o meia Lúcio jogou no Goiás de 1994 a 1996. Ano este que no Campeonato Brasileiro de 96, usando a camisa 10, foi uma peça fundamental para a brilhante campanha do Goiás que acabou terminando a competição em 4º lugar. Após isso, transferiu-se para o Flamengo.

O Atacante Pantaneiro

Chegou ao Goiás para a disputa do Campeonato Brasileiro de 1995, contudo não teve oportunidade. Em 1996, no Campeonato Goiano, destacou-se marcando vários gols decisivos. Também, no mesmo ano, com seus golaços garantiu o 4º lugar no Campeonato Brasileiro. Terminou o ano com dezoito gols. Transferiu-se para a França. Na segunda passagem pelo Goiás, em 2004, marcou 22 gols e o Goiás atingiu excelente colocação no Campeonato Brasileiro. Neste mesmo ano, Alex Pantanero ou Alex Dias liderou a artilharia do Campeonato Brasileiro por inúmeras rodadas.

O Sangue Bom

Artilheiro nato e apelidado como o 'Sangue Bom' da Serrinha. Jogou no Goiás de 1997 s 1999, sendo artilheiro do campeonato goiano de 1999 e conquistando dois títulos estaduais com a camisa esmeraldina.

Zagueiro artilheiro

Considerado um dos melhores zagueiros da história do Goiás, defendeu o Goiás por vários anos, onde conquistou muitos títulos e também marcou muitos gols.

O artilheiro do Brasil

Cria das categorias de base, o atacante Dill jogou no Goiás de 1995 a 2000. Em seu último ano no Alviverde, Dill foi artilheiro do Brasileirão com 20 gols, ao lado de Romário, do Vasco, e Magno Alves, do Fluminense. Na Série A, defendeu a camisa esmeraldina por 69 partidas, marcou 29 gols e obteve 28 vitórias, 17 empates e 24 derrotas. No Campeonato Goiano, também entrou para a história ao marcar 29 gols em 2000, tornando-se o maior goleador do clube numa única edição do torneio.

O Gigante

Teve o inicio de sua carreira ainda criança em janeiro de 1990 na escolinha de futebol do Goiás Esporte Clube. Três meses depois, foi chamado pelo treinador Allan Kardec para as categorias de base do clube e, em janeiro de 1995, subiu para o profissional com apenas dezesseis anos. Fernandão conquistou quase tudo pelo Goiás. Foi penta campeão Goiano em 1996, 1997, 1998, 1999 e 2000. Campeão da Série B do Brasileirão em 1999, e o bi da Copa Centro-Oeste em 2000 e 2001. Com 108 gols em 271 jogos, é o quarto maior artilheiro da história do Goiás.

O Mito

Iniciou sua carreira no Cruzeiro, passou pelo Comercial de Ribeirão Preto/SP em 1999 foi para o Vila Nova e também em 1999 passou ao Goiás. Harlei fez 831 jogos com a camisa do Goiás entre 1999 e 2014, é recordista de jogos com a camisa do esmeraldinho e é hoje um dos maiores ídolos do clube. Pelo Goiás, Harlei consagrou-se Campeão Brasileiro Série B em 1999 e 2012, Tricampeão da Copa Centro-Oeste (2000, 2001 e 2002) e Campeão Goiano (7 vezes) 2000, 2002, 2003, 2006 e 2009, 2012 e 2013.

Maior artilheiro da história

Araújo é um dos maiores jogadores da história do Goiás. Com 145 gols, o atacante revelado pelo Clube Atlético do Porto, de Caruaru, é o maior artilheiro do clube esmeraldino. O Samurai vestiu a camisa do Verdão de 1997-2003 e 2013-2014 e conquistou nove títulos.

Josué Anunciado de Oliveira é um dos jogadores que mais vestiu a camisa do Goiás EC na história, tendo atuado em 190 jogos no Campeonato Brasileiro com a camisa alvi-verde.

Revelado pelo Clube Atlético do Porto, de Caruaru, tornou-se um dos grandes destaques do clube esmeraldino, onde jogou de 1997 a 2004, conseguindo uma convocação para a Seleção Brasileira pré-olímpica, por causa de sua ótima e incansável marcação.

O Maestro

Chegou ao Goiás EC ainda desconhecido vindo do Criciúma EC e mesmo com idade avançada, se tornou o maior artilheiro do Goiás nos Brasileiros em Pontos Corridos até o momento. Marcou 50 gols em 132 jogos com a camisa esmeraldina no Campeonato Brasileiro. Nos últimos anos, foi o maior ídolo no esmeraldino e chamado pela torcida como o Maestro.

O Herói de 2007

Élson vestiu a camisa esmeraldina por 7 meses, se tornou ídolo por boa parte da torcida do Verdão por salvar o Goiás EC do rebaixamento do Campeonato Brasileiro de 2007 ao marcar os dois gols decisivos na última e decisiva partida contra o Internacional.

Campeão

Iarley jogou no Goiás por duas temporadas, vindo do Internacional e caiu nas graças da torcida esmeraldina, marcou 51 gols em 90 jogos com o manto verde e foi Campeão Goiano de 2009, voltou ao time em julho de 2011 como promessa de reforço do Goiás EC em voltar a elite do futebol brasileiro, a Série A. Marcou o gol do titulo da Série B de 2012.

O He-Man

Chegou ao time esmeraldino no início da temporada de 2010, foi reserva de Fernandão no Campeonato Goiano, mas entrando bem em alguns jogos, até marcando gols. Titular no campeonato brasileiro, foi o artilheiro da equipe na competição da qual o clube foi rebaixado. Na Copa Sul-Americana, foi o principal jogador do Goiás e foi artilheiro da competição com 9 gols, mas se sagrou vice-campeão com o Goiás.

Jogadores[editar | editar código-fonte]

Por ano[editar | editar código-fonte]

2017[editar | editar código-fonte]

Transferências[editar | editar código-fonte]
Campeonato goianao[editar | editar código-fonte]


Goleiros
N.º Jogador
85 Brasil Renan
1 Brasil Marcelo Rangel
12 Brasil Ivan
35 Brasil Márcio
40 Brasil Matheus
Defensores
N.º Jogador Pos.
4 Brasil Bruno Aguiar Z
3 Brasil Fábio Sanches Z
14 Brasil Everton Sena Z
15 Brasil Alex Alves Z
23 Brasil Felipe Macedo Z
2 Brasil David Duarte Z
22 Brasil Tony LD
13 Brasil Hélder LD
25 Brasil Carlinhos LE
26 Brasil Paulinho LE
27 Brasil Jefferson LE
28 Brasil Felipe Saturnino LE
Meio-campistas
N.º Jogador Pos.
5 Brasil Willians V
6 Brasil Patrick V
30 Brasil Pedro Bambu V
8 Brasil Victor Bolt V
29 Brasil Elyeser V
31 Brasil Rezende V
11 Brasil Tiago Luís M
10 Brasil Jean Carlos M
32 Brasil Léo Sena M
33 Brasil Thalles M
Atacantes
N.º Jogador
18 Brasil Aylon
34 Brasil Michael
7 Brasil Carlos Eduardo
17 Brasil Jarlan
19 Brasil Otacildo
Comissão técnica
Nome Pos.
Brasil Hélio dos Anjos T

Referências

  1. O Popular (8 de janeiro de 2011). «Potenciais ídolos são raros em Goiás». Consultado em 17 de junho de 2017 
  2. Amaral amplia lista de "exportações" do Goiás; relembre alguns nomes
  3. Globo Esporte (9 de abril de 2014). «Alex Dias & Aloísio: ídolos soltam a voz e apoiam Goiás antes da decisão». Consultado em 17 de junho de 2017 
  4. «Elenco de Futebol». Transfermarkt