Fuxico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde maio de 2014).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde maio de 2014).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde maio de 2014). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Para as conversas e informações inconfirmadas, veja Boato.

O fuxico é uma técnica artesanal que remonta há pelo menos 150 anos[1], que aproveita restos de tecido. O nome FUXICO surgiu por causa das mulheres do interior do Nordeste do Brasil, que se reuniam para costurar e aproveitavam para fazer intrigas e mexericos[2].

O fuxico consiste em umas trouxinhas de panos, feitas costurando círculos recortados de sobras de tecidos. Costuradas umas as outras essas trouxinhas formam colchas, toalhas de mesa, caminhos de mesa, capas de sofá, almofadas, peças de vestuário, bolsas, bijuterias, entre outros.

Elas também podem ser utilizadas para decorar panos de copa, caixinhas de madeira, tiaras , camisetas e muito mais.

Com o uso de diversos tipos de dobradura e composições é possível obter diferentes e lindos tipos de flores, além de muitos tipos de bichinhos como, por exemplo, borboletas, corujas e joaninhas.

Referências