Gânglio pterigopalatino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde setembro de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde setembro de 2015).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde setembro de 2015)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
O gânglio pterigopalatino

Gânglio pterigopalatino é um conjunto de corpos celulares de neurônios localizados no sistema nervoso periférico (SNP) encontrado na fossa pterigopalatina. Ele recebe fibras parassimpáticas pré-ganglionares provenientes do nervo facial (núcleo lacrimal na ponte) através do nervo petroso maior, juntamente com o nervo petroso profundo. Por sua vez, o nervo petroso profundo traz as fibras simpáticas dos gânglios cervicais (forma plexo nervoso carotídeo) que formam o nervo do canal pterigoideo.[1][2]

O gânglio pterigopalatino (ou gânglio de Meckel) é o maior gânglio parassimpático, associado ao nervo maxilar. Localiza-se na fossa pterigopalatina, próximo ao fôrame esfenopalatino. É triangular, de coloração vermelho-cinzenta.[1]

O gânglio pterigopalatino supre as glândulas lagrimais, seios paranasais, glândulas mucosas da cavidade nasal e faringe, a gengiva e a membrana mucosa e glândulas do palato duro. Ele comunica-se, anteriormente, com o nervo nasopalatino.[1]

De tal forma, o gânglio pterigopalatino é responsável por promover a inervação da glândula lacrimal através de fibras que percorrem junto do nervo zigomático temporal (ramo do nervo maxilar) e atingem a glândula pelo nervo lacrimal, ramo do nervo oftálmico.[1][2]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • MOORE, K. L., Anatomia Orientada para Clínica, Guanabara Koogan 6ª Ed.
  • Gray's - Anatomia para Estudantes, Richard L. Drake et al. Elservier Churchill Livingstone 2ª Ed.
  • Gray's - Atlas de Anatomia, Richard L. Drake et al. Elservier Churchill Livingstone 1ªEd.
  • Aula de Anatomia Unesp - Faculdade de Medicina de Botucatu.
Ícone de esboço Este artigo sobre Anatomia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. a b c d MOORE, K. L. Anatomia Orientada para Clínica. [S.l.: s.n.] 
  2. a b Gray's. Atlas de Anatomia 1 ed. [S.l.: s.n.]