Géssio Floro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Géssio Floro foi um político e militar romano nomeado procurador da Judeia entre 64 e 66. Nascido em Clazômenas, Floro foi nomeado no lugar de Luceio Albino por Nero por causa da amizade da imperatriz Popeia Sabina com sua esposa Cleópatra[1]. Seu mandato é lembrado principalmente pela sua ganância, que, segundo Flávio Josefo, foi a causa principal da Grande Revolta Judaica[2].

Carreira[editar | editar código-fonte]

Governadores da Judeia
Prefeitos

Copônio - Ambíbulo - Rufo - Grato - Pilatos - Marcelo - Marulo
Procuradores

Cúspio Fado - Alexandre - Cumano - Félix - Festo - Albino - Floro - Juliano

Ao assumir seu posto em Cesareia Marítima, Floro começou a favorecer a população grega da cidade em detrimento dos judeus, que se aproveitaram da situação para denegrir a imagem dos judeus. Em uma ocasião, os judeus estavam orando numa sinagoga local quando um grupo de gregos sacrificou diversos pássaros num monte de terra na entrada da sinagoga, o que tornou o edifício inteiro impuro. Furiosos, os judeus enviaram uma comitiva a Floro para tentar alguma forma de retribuição, mas o procurador, depois de aceitar o pagamento de oito talentos para ouvir o caso, se recusou a ouvir as reclamações dos judeus e mandou prender os membros da comitiva[3].

Floro irritou ainda mais a população judaica de sua província depois de remover dezessete talentos do tesouro do Templo de Jerusalém, alegando que o dinheiro era para o imperador. Em resposta ao ultraje, a cidade inteira se levantou em revolta e muitos de seus habitantes passaram a zombar publicamente de Floro passando uma cesta de donativos para coletar esmolas como se Floro fosse um mendigo[4]. Floro reagiu enviando soldados para Jerusalém no dia seguinte para prender os líderes da revolta, que foram flagelados e crucificados, apesar de alguns serem cidadãos romanos[5].

Depois do início da Grande Revolta, Floro foi substituído pelo procurador Marco Antônio Juliano[6].

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Luceio Albino
Governadores da Judeia
Géssio Floro (64-66)
Sucedido por
Marco Antônio Juliano