Gótico bielorrusso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
São Miguel, Synkavichy, século XVI

O termo Gótico Bielorrusso, nalíngua bielorrussaбеларуская готыка (belaruskaya hotyka), em russoбелорусская готика (belorusskaya gotika), descreve o estilo arquitetônico, principalmente eclesiástico de edifícios construídos nos séculos XV e XVI. O estilo foi usado nas regiões da Bielorrússia, Lituânia e leste da Polónia. O estilo bielorrusso é uma fusão da arquitetura Bizantina, Gótica e renascentista.

Os edifícios têm elementos típicos de design Gótico, tais como torres altas, arcobotantes, arcos pontiagudos, grandes tetos abobadados e elementos que poderiam normalmente ser considerados Góticos na Europa central e ocidental.

Contexto das construções[editar | editar código-fonte]

Com o batismo do Grande Príncipe Vladimir, o Grande e a Cristianização de Quieve, a arquitetura russa tornou-se fortemente influenciada pela arquitetura Bizantina.

Durante o século XIII e as primeiras décadas do século XIV os principados russos, na atual Bielorrússia, foram subjugados pelo Grão-Ducado da Lituânia, um estado pagão que estava expressando  resistência contra a Ordem Teutônica católica. O Grão-Ducado tornou-se uma grande potência no século XIV e tinha como destaque uma desenvolvida nobreza e populações rurais descendentes de Russos. A sua língua oficial era Ruthenian.[1]

Com a união da Polónia e da Lituânia, que ocorreu depois de Władysław II Jagiełło , que coroado rei da Polônia em 1386, experimen-tou o aumento da comunicação com o oeste e sul da Europa, especialmente após a vitória definitiva da união contra a Ordem Teutônica em 1466 (Segunda a Paz de Espinho).

O estilo Gótico veio para as regiões eslavas durante este período, porém já era usado na Europa Central e Sul.


  • Material: Alguns edifícios têm uma semelhança com ao design da arquitetura Gótica do norte alemão, e algumas das outras estruturas são totalmente rebocada.
  • Arcos: as janelas das igrejas principalmente, tem arcos pontiagudos, mas cegas arcadas e lombarda, principalmente, têm arcos de volta.
  • Cofres: a maioria das igrejas tem costela de abóbadas, mas há também simplistas pesadas abóbadas, tais como aqueles encontrados no estilo Românico e Bizantino de arquitetura.
  • Fortificações: a maioria das igrejas são fortificados. Em algumas delas, isto é enfatizado. Elas têm uma pequena nave e quatro pequenas torres em cada canto. Outras igrejas têm um alto ordinário ocidental com torre do sino.

Referências [editar | editar código-fonte]

  1. "Within the [Lithuanian] Grand Duchy, the Ruthenian lands initially retained considerable autonomy.

Bibliografia [editar | editar código-fonte]