GE C36ME

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


GE C36-ME
BSicon exTRAIN3.svg
Locomotiva GE C36ME #3865 da MRS (Ex-ATSF GE C30-7) em Cruzeiro-SP.
Descrição
Propulsão Diesel-Elétrica
Fabricante GE Flag of the United States.svg
Número de encomenda 35 total (Brasil)
09 (2001)
26 (2004)
Modelo GE C30-7 – Modernizada
Ano de fabricação 1977/79 (originais)
Classificação AAR C-C
Tipo de serviço Carga
Características
Bitola 1,600 m
Comprimento 20.500 mm
Largura 3.130 mm
Altura 4.570 mm
Peso da locomotiva 180.000 kg
Peso por eixo 30.000 kg
Tipo de combustível Diesel
Fabricante do motor GE
Tipo de motor 7 FDL
Performance
Potência total 3.600 hp
Operação
Ferrovias Originais ATSF e Conrail
Ferrovias que operou UP
Numeração SIGO 3801-3809 e 3860-3885
Apelidos Raiovack
Local de operação Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro
Proprietário atual MRS
Situação Operacionais

Essas maquinas originalmente eram C30-7 fabricadas pela GE, entre 1977 e 1979 para a Santa Fé (ATSF) ou Conrail (CR), foram reformadas e modernizadas em 1999, sendo repontencializadas com um motor 7FDL de 3600 HP, que passando a serem denominadas de GE C36M ou C36ME. Foram posteriormente alugadas Union Pacific (UP), recebendo pintura padrão desta ferrovia.

São controladas por microprocessadores iguais as das C30-7MP fornecidas para a MRS pela Gevisa, a partir da reforma de locomotivas U23C baixadas.

São utilizadas em todos os trechos da MRS, atuando preferencialmente nos trem de minério para exportação.

1º Lote[editar | editar código-fonte]

Ao todo 9 locomotivas modelo C36ME foram fornecidas pela Helm Financial (HLCX) em 2000 para a MRS sob a forma de leasing entre 2000 e 2001, sendo posteriormente adquiridas. Essas maquinas foram a primeira remessa de locomotivas usadas adquiridas pela MRS no EUA, sendo desembarcadas no Porto do Rio de Janeiro e foram colocadas sobre truques de bitola larga de U23C anteriormente baixadas. Foram colocas em ordem de marcha e pintadas com o padrão da MRS durante a rebitolagem e revisões antes de sua entrega ao tráfego.

Essas maquinas foram alugadas a Ferronorte, durante o período de fevereiro a novembro de 2002, excetuando a 3803 São Joaquim que sofreu um acidente na serra do mar com uma Dash-9 #9041 em maio de 2002, sendo devolvida em janeiro de 2003. Este acidente vitimou o maquinista, o ajudante e deu baixa na Dash-9, além de 55 vagões.

Sete das locomotivas chegaram com a pintura padrão da Union Pacific, mas com o nome Union Pacific ou apagado ou riscado com uma faixa vermelha e com a inscrição nas laterais Reporting Mark feita pela Helm Financial (HLCX). As maquinas chegaram dos EUA com os seguintes números: 565, 566, 574, 579, 585, 593, 596, 599 e 6901. As outras duas unidades chegaram sem as inscrições "Union Pacific", a 585 e a 6901, esta última com grandes letras "HLCX" nas laterais.

As 565, 566, 574, 579, 585 e 596 originalmente eram ATSF. Exceto a 565, as demais também trabalharam na Conrail, como CRL e depois CR. As máquinas 593 e 599 originalmente eram Conrail.

2º Lote[editar | editar código-fonte]

As locomotivas do segundo lote, vieram em 2004 com a pintura da Union Pacific sendo numeradas de 3860 a 3885, porém, nenhuma foi repintada durante a rebitolagem e sendo entregues ao tráfego com a pintura original, apenas adesivada MRS, por isso o apelido Raiovack. A partir de 2007 essas locomotivas foram pintadas nas cores da MRS.

Referências[editar | editar código-fonte]