Projeto GNU

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de GNU is Not UNIX)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde dezembro de 2013). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Logotipo GNU

Projeto GNU, em computação, é um projeto lançado em 27 de setembro de 1983 por Richard Stallman e atualmente a FSF é a principal organização que patrocina o projeto. Já na década de 1980, quase todo o software era proprietário, o que significa que ele possuía donos que proibiam e evitavam a cooperação dos usuários. Isso tornou o Projeto GNU necessário.[1] O objetivo do projeto é criar um sistema operacional, chamado GNU, baseado em software livre.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome “GNU” foi escolhido porque atende a alguns requisitos; em primeiro lugar, é um acrônimo recursivo para “GNU is Not Unix”, depois, porque é uma palavra real e, finalmente, é divertido de falar (ou Cantar).

A palavra “livre” em “software livre” se refere à liberdade, não ao preço. Você pode ou não pagar para obter software do projeto GNU. De qualquer forma, uma vez que você tenha o software, você tem quatro liberdades específicas ao usá-lo: a liberdade de executar o programa como você desejar; a liberdade de copiá-lo e dá-lo a seus amigos e colegas; a liberdade de modificar o programa como você desejar, por ter acesso total ao código-fonte; a liberdade de distribuir versões melhoradas e, portanto, ajudar a construir a comunidade. (Se você redistribuir software do projeto GNU, você pode cobrar uma taxa pelo ato físico de transferir uma cópia, ou você pode simplesmente dar cópias de graça.)

Manifesto GNU[editar | editar código-fonte]

O Manifesto GNU foi escrito por Richard Stallman e publicado em Março de 1985 no Dr. Dobb's Journal of Software Tools. O manifesto teve o objetivo de explicar e definir os objetivos do projeto GNU e convidar pessoas para participar e ajudar no desenvolvimento do GNU. Grande parte do texto explica como a filosofia do software livre funciona e porque seria uma boa escolha para a indústria tecnológica seguí-la. O texto é tido com elevada consideração pelo movimento do software livre como uma fonte de filosofia fundamental.

No Manifesto, Stallman listou quatro liberdades essenciais para os usuários de software: 1- Liberdade para usar o programa para qualquer propósito, 2 - Liberdade para estudar a mecânica do programa e modificá-la, 3 - Liberdade para redistribuir cópias e 4 - Liberdade para modificar e melhorar versões para o uso público. Para implementar essas liberdades os usuários precisam ter acesso completo ao código do programa. Para assegurar que o código se mantenha aberto e de livre acesso, Stallman criou a GNU General Public License (Licença de Uso Público Geral), que permite que o software e suas futuras gerações derivadas se mantenham livres para o uso público.

Projetos de Software GNU[editar | editar código-fonte]

O duo dinâmico: O Gnu e o Pinguim voando. (C) 1999, Free Software Fundation, Inc

Lista de alguns programas desenvolvidos pelo projeto GNU[2]:

O projecto GNU também ajuda com o desenvolvimento de outros pacotes, como:

  • CVS - Sistema de controle de versões para código fonte.
  • DDD - Ferramentas gráficas para detecção e depuração de erros.

Referências

  1. «Visão geral do sistema GNU». gnu.org. Consultado em 28 de julho de 2012. 
  2. diretório GNU «Diretório de software Gnu» Verifique valor |url= (ajuda). GNU. Consultado em 28 de julho de 2012. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Projeto GNU