GVT TV

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde outubro de 2013).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
GVT TV
Tipo Sociedade limitada
Slogan Você no futuro, hoje.
Indústria Televisão por assinatura
Gênero Telecomunicações
Fundação 16 de setembro de 2011
Encerramento 15 de abril de 2016
Sede Curitiba, PR
Proprietário(s) Global Village Telecom
Presidente Amos Genish
Pessoas-chave Amos Genish
Holding Telefónica, através da Telefônica Vivo
Significado da sigla Global Village Telecom Tele Visão
Sucessora(s) Vivo TV
Website oficial gvt.com.br

A GVT TV foi uma operadora de televisão por assinatura via satélite brasileira subsidiária da Global Village Telecom, onde sua transmissão de sinal era feita de forma híbrida pelos sistemas IPTV e DTH (Direct to Home) por Banda Ku.[1][2] Foi fundada em 16 de setembro de 2011 em versão ainda de testes. Além disso a GVT TV foi criada com intuito de brigar pela liderança do mercado de TV paga com grandes operadoras do Brasil como a Sky Brasil e Claro TV, ambas com a mesma tecnologia utilizada.

A GVT TV se destacou por ser a primeira a disponibilizar canais HDTV[3] em todos os seus pacotes e fornecer conteúdos interativos como Acesso a Redes Sociais (Facebook, Twitter e Instagram), previsão do tempo e muito mais, diretamente de seu aparelho decodificador.

Em dezembro de 2012, se consolidou como a quinta maior operadora de TV por assinatura do mercado, sendo também a operadora que mais cresceu sua base de assinantes durante o ano, chegando a quase quadruplicar sua base.[4][5]

Em março de 2013, lançou seu serviço de BACKUPTV.[6] Através do BACKUPTV, é possível continuar assistindo a programação, mesmo se houver uma falha de recepção do sinal de satélite, devido a um mau tempo. Com o propósito de oferecer uma melhor experiência para os clientes, a operadora criou uma espécie de contingência quando o satélite para de funcionar tirando proveito da rede de Internet.

Em agosto de 2013, junto com o início das operações na cidade de São Paulo, foram lançadas duas novas modalidades de seu serviço de TV por assinatura, o IPTV e o DTH.

Com isso a operadora passou a oferecer três modos de TV por assinatura: IPTV, para clientes que contratarem o serviço de internet por fibra ótica. Híbrido (DTH + IPTV), para clientes que contratarem o serviço de internet por cabos metálicos (ADSL/VDSL) e DTH, para clientes que contratarem somente o serviço de TV por assinatura.

Em outubro de 2014 a empresa foi adquirida pela espanhola Telefónica, dona da Vivo por R$ 21,9 bilhões. A fusão da empresa foi aprovada pela Anatel em janeiro de 2015 e pelo CADE em fevereiro do mesmo ano, porém, com restrições.[7][8]

Em 12 de junho de 2015, foi anunciado que a GVT TV foi adquirida pela Telefónica e passa a usar a marca Vivo TV.

Em 15 de abril de 2016 passou oficialmente a se chamar Vivo TV.[9]

Referências

  1. Edileuza Soares (15 de setembro de 2011). «GVT quer tornar TV paga negócio independente». Computerworld. Consultado em 17 de setembro de 2011 
  2. «Após investir R$ 650 milhões, GVT lança TV por assinatura». O Globo. 12 de setembro de 2011. Consultado em 17 de setembro de 2011 
  3. «GVT TV tem canais HD em todos os pacotes». Info EXAME. Consultado em 15 de setembro de 2011 
  4. «TV paga alcança 15,9 milhões de domicílios em novembro». Globo.com. Época Negócios, Estadão. 21 de dezembro de 2012. Consultado em 27 de janeiro de 2013 
  5. «TV paga cresce 1,7% em novembro» 
  6. «GVT TV agora funciona mesmo debaixo de chuva». Info TECNOBLOG. Consultado em 6 de março de 2013 
  7. Reuters (26 de janeiro de 2015). «Anatel aprova compra da GVT pela Telefônica Brasil, mas com condições». G1. Consultado em 19 de fevereiro de 2015 
  8. «Cade aprova com restrições compra da GVT pela Telefônica». em.com.br. 19 de fevereiro de 2015. Consultado em 19 de fevereiro de 2015 
  9. «GVT deixa de existir e se torna oficialmente parte da Vivo» 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]