Gaúcho da Fronteira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Gaúcho da Fronteira
Nome completo Heber Artigas Armua Frós
Nascimento 23 de junho de 1947 (75 anos)
Laureles, Tacuarembó, Uruguai
Residência Santana do Livramento, RS, Brasil
Nacionalidade uruguaio
Cidadania brasileiro
Ocupação cantor, compositor, instrumentista e músico
Carreira musical
Período musical Desde 1968
Gênero(s) música nativista
Instrumento(s) sanfona, bandoneón, violão, gaita-ponto, voz
Instrumento(s) notável(eis) sanfona
Gravadora(s) Chantecler, Warner, ACIT
Afiliações
Página oficial
gauchodafronteira.com

Gaúcho da Fronteira, nome artístico de Heber Artigas Armua Frós (Laureles, Tacuarembó[1][2], 23 de junho de 1947), é um cantor, compositor, instrumentista e músico uruguaio naturalizado brasileiro.[3] É um dos mais conhecidos intérpretes de música regional gaúcha.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Gaúcho da Fronteira nasceu no interior do Uruguai, mas cresceu em Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul. Antes da fama, trabalhou como peão de estância, taxista e motorista de caminhão.[4]

Teve uma relação bem próxima com Val Marchiori, antes dela ser famosa e estrelar o reality show Mulheres Ricas, da TV Bandeirantes.[5]

Em 2009 naturalizou-se brasileiro.[3]

Carreira musical[editar | editar código-fonte]

Começou a tocar violão, sanfona e bandoneón na infância.[6] Em 1968 entrou no grupo Os Vaqueanos, com quem gravou alguns discos.[6] Em 1975 gravou o primeiro LP solo, Gaúcho da Fronteira, e firmou-se como um representante da tradicional música dos pampas.[6]

Nos década de 1980, sua popularidade estendeu-se pelo Brasil todo, com suas canções bem-humoradas e dançantes. Na década de 1990 voltou-se para outras manifestações musicais tradicionais brasileiras, lançando em 1999 o CD Forronerão, ao lado do grupo Brasas do Forró, unindo o folclore brasileiro de um extremo a outro do país. Deste disco emplacaram os sucessos Forronerão, mistura de forró e vanerão, e Vanerão Sambado que, como o nome sugere, mistura vanerão com samba. O maior sucesso de sua carreira foi Nhecovari Nhecofum.[6]

Outra grande canção de sucesso foi Herdeiro da Pampa Pobre, parceria com Vainê Darde, que foi regravada pelo grupo gaúcho de rock Engenheiros do Hawaii, em 1991. Nesse mesmo ano, participou de um filme intitulado Gaúcho Negro, tendo no elenco Letícia Spiller e Juliana Baroni, entre outros.

Em 2018, lançou o seu primeiro DVD, em comemoração aos 50 anos de carreira. O DVD foi gravado no dia 20 de setembro, no Credicard Hall, em São Paulo, e contou com a participação de nomes da música sertaneja, como o cantor Leonardo e as duplas César Menotti & Fabiano e Chitãozinho & Xororó, além de artistas da música tradicionalista gaúcha.[7]

Política[editar | editar código-fonte]

O cantor foi candidato a deputado estadual em 2010 pelo PTB do RS e em 2014 pelo PSDB, não sendo eleito em nenhuma das ocasiões.[8]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

  • Gaúcho da Fronteira (1975) - Beverly
  • Mensagem do Sul (1976) - Querência
  • Meu Rastro (1980) - Rodeio/WEA
  • Isto Que é Gaiteiro Bom (1981) - Rodeio/WEA
  • Gaita Companheira (1984) - Rodeio/WEA
  • Na Base do Varifum (1985) - WEA/Warner Music
  • Rio Grande de Sempre (1986) - WEA
  • O Toque do Gaiteiro (1987) - WEA
  • Gaiteiro, China e Cordeona (1988) - Chantecler
  • Gaitaço (1990) - Chantecler
  • Acordes Orientais (1991) - Chantecler
  • Pêlo Duro (1992) - Chantecler
  • Tão Pedindo um Vanerão (1994) - Chantecler/Warner Music
  • Amizade de Gaiteiro (1996) - Continental/East West
  • Xucro de Campanha (1998) - Warner Music
  • Canta Para Elas (2000) - Continental/East West
  • Para Sempre: Gaúcho da Fronteira (2002) - EMI
  • Balança Brasil (2002)
  • Bailão do Gaúcho da Fronteira (2002)
  • De Vanerão a Chamamé (2007) - Atração Fonográfica
  • Gaúcho Doble Chapa (2008) - Gravadora ACIT
  • Esse Gaúcho Sou Eu (2018)

Álbuns ao vivo[editar | editar código-fonte]

Coletâneas[editar | editar código-fonte]

  • Gaúcho Negro (1991) - Som Livre
  • Seleção de Ouro (2001)
  • 30 Anos de Sucesso (2005)

Referências

  1. «Gaúcho da Fronteira completa 70 anos: conheça a trajetória do músico». GZH. 23 de junho de 2017. Consultado em 21 de fevereiro de 2022 
  2. «Gran Fiesta Criolla del Club de Leones de Tranqueras». Diario NORTE (em espanhol). 10 de novembro de 2011. Consultado em 21 de fevereiro de 2022 
  3. a b «Gaúcho da Fronteira recebe certificado de naturalização e vira brasileiro». Novo Hamburgo: Jornal NH. 14 de setembro de 2009. Consultado em 26 de fevereiro de 2013. Arquivado do original em 21 de setembro de 2013 
  4. Dana (20 de março de 2006). «AQUI TEM DANA: Concertos Dana com Gaúcho da Fronteira e Ernesto Fagundes». Consultado em 20 de setembro de 2018 
  5. R7 teve acesso a fotos íntimas da socialite com o cantor regional, R7.com
  6. a b c d Verbete no Dicionário Cravo Albin de Música Brasileira.
  7. Globo.com (28 de julho de 2018). «Ídolo dos Pampas, Gaúcho da Fronteira grava show com astros sertanejos para celebrar 50 anos de carreira». Consultado em 20 de setembro de 2018 
  8. Famosos eleitos deputados comentam vitória nas urnas, G1.com, Eleições 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre um músico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.