Gabriel Aresti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gabriel Aresti
Nome completo Gabriel Aresti Segurola
Data de nascimento 1933
Local de nascimento Bilbau, Espanha
Nacionalidade Espanha Espanhol
Data de morte 1975 (42 anos)
Local de morte Bilbau, Espanha
Ocupação Poeta e dramaturgo
Magnum opus Antologia

Gabriel Aresti Segurola (Bilbau, 1933-1975) foi um poeta e dramaturgo de nacionalidade basca, tendo escrito em língua basca, considerado um renovador da poesia na sua língua, bem como o principal autor desta nacionalidade ou língua por alguns autores[1] .

Biografia[editar | editar código-fonte]

Educado em língua castelhana, superou as grandes dificuldades impostas na dictadura de Franco para conseguir aprender a língua euskara em Bilbao. Foi contador, trabalho com o qual se mantinha, e dedicava suas horas vagas à produção literária.

Logo se tornou um prolífico escritor e tradutor em língua basca, traduzindo para o basco autores como García Lorca e T.S. Eliot, tendo se dedicado também ao teatro.

Dedicou-se, inicialmente a um certo realismo social, dedicando-se a criar um novo imáginario euskara e transladando à sociedade suas idéias progresistas e a favor de una sociedade livre das rígidas convenções sociais do franquismo[2] .

Formalmente, introduz o verso livre e uma linguagem mais coloquial na poesia em basco, absoluta novidade, no que teria sido influenciado por seu conterrãneo Blas de Otero, bem como em seu gosto pelos temas sociais.

Legado[editar | editar código-fonte]

Além de introduzir o verso livre e uma linguagem mais coloquial na poesia de língua euskara, Aresti participou das discussões em torno do euskara unificado, tendo defendido esta idéia frente aos setores mais "tradicionalistas" e fechados no famoso congreso de Arantzazu (1968). Por isso, além de das idéias sociais, e por sua orgulhosa defesa de sua condición do euskaldunberri, Aresti Aresti sofreu forte oposição dos setores conservadores e franquistas.

Por fim, o ideal de Aresti sobre a língua basca venceu, sendo o poeta um importante articulador desta unificação.

Há um centro de ensino da língua euskara (basca) a adultos que homenageia o nome do poeta, o Euskaltegi Gabriel Aresti. Situado no centro de Bilbao, foi criado no princípio da década de 1980[3] .

Obra[editar | editar código-fonte]

  • Hainbat artikulu prentsan, bereziki Zeruko Argia eta Anaitasuna aldizkarietan.
  • Harri eta Herri, Zarautz, Itxaropena, 1964.
  • Euskal elerti 69, Donostia, Lur, 1969.
  • Batasunaren kutxa, Donostia, Lur, 1970.
  • Cuarenta poemas, Madril, Helios, 1970. Barruan Nire aitaren etxea defendituko dut, poema ospetsua dago.
  • Harrizko Herri Hau, Donostia, Lur, 1970.
  • Kaniko eta Beltxitina, Donostia, Lur, 1971.
  • Lau teatro arestiar, Donostia, Lur, 1973.
  • Hiztegi tipia, Donostia, Lur, 1973.
  • Aurtengo zenbait berri, Donostia, Lur, 1973.
  • Obra guztiak, Donostia, Kriselu, 1976.
  • Lehen poesiak, Susa, 1986
  • Euskal harria, Susa, 1986
  • Poesia argitaragabea. Azken poesia, Susa, 1986
  • Narratiba, Susa, 1986
  • Antzerkia, Susa, 1986
  • Itzulpenak 1, Susa, 1986
  • Itzulpenak 2, Susa, 1986
  • Artikuluak. Hitzaldiak. Gutunak. , Susa, 1986


Referências


Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]