Gaby Deslys

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Under construction icon-yellow.svg
Este artigo carece de caixa informativa ou a usada não é a mais adequada. Foi sugerido que adicionasse esta.
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Gaby Deslys

Gaby Deslys (4 de novembro de 1881Paris, 11 de fevereiro de 1920), foi uma atriz e corista francesa do começo do século XX.

As suas origens são envoltas em mistério. Alegou ter nascido como Marie-Elise Gabrielle Caire, na cidade de Marselha, no sul da França a 4 de Novembro de 1881, filha de Hippolyte Caire e sua esposa. Esta alegação foi suportada pelo Ministério das Relações Exteriores de França, em 1930. Mas a verdade é que, até hoje, não se sabe exactamente onde nasceu, supondo-se que teria nascido com o nome de Hadwiga Nawrati em Horní Moštěnice, uma vila pequena da actual República Checa.[1] A sua origem foi inclusive investigada, a pedido de um monarca europeu e, quando confrontada com a sua alegada mãe natural, Gaby terá negado qualquer parentesco ou origem checa, tendo pago à sua alegada mãe uma considerável soma de dinheiro para desaparecer.[carece de fontes?]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Casa de Gaby Deslys, em Marselha

A sua carreira como cantora, corista e actriz começou nos cabarés de Paris e, posteriormente, Londres. Adoptando o pseudónimo Gaby Deslys (um diminutivo de Gabrielle de Lillies), rapidamente alcançou a notoriedade internacional, viajando por todo o mundo com vários espectáculos e tournées que corriam toda a Europa e os Estados Unidos e nas quais chegava a ganhar mais de 4000 dólares por actuação. Com o advento do cinema mudo, participou em alguns filmes. Uma carreira fulgurante, cheia de grandes sucessos de bilheteira, de multidões e plateias enlouquecidas, de principes e grandes barões da finança que a cortejavam. Uma carreira que lhe permitiu, no final da sua vida, ser uma das actrizes mais ricas e bem sucedidas do seu tempo. Nos períodos de descanso, possuía uma grande vivenda em Marselha, junto ao Mar Mediterrâneo, para onde se retirava para descansar.

Relacionamento com D. Manuel II de Portugal[editar | editar código-fonte]

Gaby Deslys teve grandes admiradores e foi cortejada e desejada por muitos homens, entre milionários, políticos, príncipes, monarcas e aristocratas. Presume-se que terá sido amante de muitos deles. Mas o caso amoroso mais polémico e mediático da sua vida foi o que manteve com D. Manuel II, o jovem rei de Portugal. A relação começou quando o monarca português visitou Paris, em 1909. Não tardou a que se encontrassem, e a que o jovem monarca ficasse completamente apaixonado pela actriz, que era considerada mesmo uma das mais belas da época.[carece de fontes?] O escândalo surgiu quando a relação (que foi tudo menos discreta, tendo a cantora chegado a dormir no Palácio Real numa das suas passagens por Portugal) saltou para os jornais portugueses e estrangeiros. Em Portugal, a imprensa afecta à causa republicana não tardou a vilipendiar o monarca e a comparar Gaby Deslys a uma prostituta de luxo, que dormia com o monarca a troco de colares de pérolas (com efeito, o rei ofereceu-lhe um colar de pérolas no valor de 70 000 dólares). O escândalo contribuiu de modo decisivo para abalar a imagem de D. Manuel II perante os portugueses e para a sua posterior deposição no seguimento da Implantação da República Portuguesa.[carece de fontes?]

Quando entrevistada pela imprensa, Gaby Deslys nunca negou o seu envolvimento amoroso com o rei, dado que era óbvio. Mas também sempre se escusou a comentar fosse o que fosse. Após D. Manuel II ser destronado e seguir para o exílio, em Londres, continuariam a encontrar-se, principalmente quando Gaby tinha compromissos ou actuações na capital britânica. A relação apenas terminou no Verão de 1911, quando ela se mudou permanentemente para Nova Iorque, por razões de trabalho. D. Manuel II não tardou a casar-se com uma prima afastada, a princesa Augusta Vitória de Hohenzollern-Sigmaringen, ao passo que Gaby prosseguiu com a sua carreira, envolvendo-se com outros amantes, entre os quais o actor Harry Pilcer.

Morte[editar | editar código-fonte]

Após uma carreira e uma vida fulgurantes, Gaby Deslys contraiu gripe espanhola em 1918, tendo sido em vão os esforços dos médicos para a salvarem. Faleceu aos trinta e oito anos de idade em Paris. Deixou uma enormíssima fortuna que, por sua vontade testamentária, foi doada aos pobres da cidade de Marselha. Esta fortuna incluía a sua magnífica casa, entregue a uma instituição de caridade. A sua cama de talha dourada, com a forma de um grande cisne, foi comprada em leilão pela Universal Studios, que a usou em vários filmes, sendo o mais conhecido O Fantasma da Òpera. Sobre a sua vida já se escreveram romances, biografias e pensou-se em fazer um filme.

Referências

  1. Gillan, Don (2007). «Who Was Gaby Deslys» (em inglês). www.dgillan.screaming.net. Arquivado do original em 12 de maio de 2008 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Gaby Deslys
Este artigo sobre uma atriz é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.