Galvano Della Volpe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Galvano Della Volpe (Imola, 1895Roma, 1968) foi um professor universitário e filósofo italiano. Na Itália, seu trabalho foi visto por muitos como uma alternativa ao marxismo gramsciano, adotado pelo Partido Comunista Italiano.

Graduado em filosofia pela Universidade de Bolonha, entre 1939 e 1965, foi professor de História da Filosofia ne Universidade de Messina. Ligado inicialmente à tradição de Giovanni Gentile, seu pensamento representou no âmbito do marxismo e da cultura filosófica italiana uma posição original e contra a corrente dominante, retomada nos anos 1960 pelo mais notável dos seus alunos, Lucio Colletti. [1]

Della Volpe foi mantido à margem do PCI, no qual era inscrito desde 1944, e raramente seu nome aparecia nas revistas do partido. Uma aspecto fundamental do seu pensamento é a tentativa de uma estética interpretada no sentido materialista.

Principais obras[editar | editar código-fonte]

  • Crítica do Gosto.
  • Lógica como um ciência positiva.
  • 'Rousseau e Marx' e Outros Escritos.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Epstein, Mark W. "Della Volpe, Galvano," The Johns Hopkins Guide to Literary Theory and Criticism

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre filosofia/um(a) filósofo(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.