Gamelas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gamelas
 Brasil
População total

1.500

Regiões com população significativa
Bandeira do Maranhão.svg Taquaritiua, Viana (Maranhão)
Bandeira do Maranhão.svg Capivarí, Penalva (Maranhão)
Línguas
a’uwẽ, português
Religiões
diversas
Grupos étnicos relacionados
Xacriabás, Gueguês, Xavante

O termo gamelas é a denominação dada pelos portugueses aos indígenas de grupos que usavam uma espécie de pequena gamela enfeitando o lábio inferior. Foram assim chamados os acroás e os gueguês do estado brasileiro do Piauí, e alguns grupos do Maranhão. Dos Gamelas do Maranhão, existem os descendentes vivendo na área conhecida como "Terra dos Índios" às margens do lago de Viana.

Gamelas do lago Viana[editar | editar código-fonte]

Em 1759, 14 mil ha foram destinadas como sesmaria da "Nação Gamela".[1] Em 1822 a justiça de Maranhão sentenciou a favor dos Gamela para que ficaram na posses das mesmas terras.[2] Estavam presentes desde Caxias, até as florestas de Monção, Penalva e Viana, e até o rio Pindaré e o rio Gurupi.[3] Em 1930, ainda uma anciana Gamela de Penalva lembrava palavras de sua própria língua.[4] Nas décadas posteriores, as expulsões ilegais dos Gamela de suas próprias terras se multiplicaram. Resistiu a comunidade de Taquaritiua, porem, desde a década de 1970 foi iniciado o loteamento das terras, anteriormente de propriedade coletiva da comunidade, processo que foi aproveitado por estranhos para grilar terrenos. Nos últimos anos os Gamela têm retomado alguns sitos dos que foram despojados e possuem um total de 552 ha,[5] no meio de um grave conflito, especialmente na margem do rio Pirá.[1]

Vivem em comunidades, como Taquaritiua, no município de Viana; Capivarí, em Penalva; e também nos municípios de Cajari e Matinha.[5]

Referências

  1. a b Madeiro, Carlos (2017) "Luta de meio século contra grilagem explica violência na disputa por terras no MA"; UOL notícias, 5 de maio de 2017.
  2. Carneiro da Cunha, Manuela (2012) Índios no Brasil: História, Direitos e Cidadania: 92-93. São Paulo: Claro Enigma.
  3. Ribeiro, Francisco de Paulo (1841) "Memoria sobre as Nações Gentias"; Revista Trimestral de História e Geographia III: 184-156. Jornal do Instituto, Histórico Geográphico Brasileiro. Rio de Janeiro
  4. Nimuendaju, Curt (1937) "The Gamella Indians"; Primitive Man X(3-4).
  5. a b CIMI e CPT Maranhão (2014) Comunidades resistentes se autodeclaram Gamela e lutam por terras entregues ao povo ainda no Império. Conselho Indigenista Missionario, 20 de agosto de 2014.