Gamma Muscae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
γ Muscae
Dados observacionais (J2000)
Constelação Musca
Asc. reta 12h 32m 28,0s[1]
Declinação -72° 07′ 58,8″[1]
Magnitude aparente 3,83[1]
Características
Tipo espectral B5V[1]
B5V He-w[2]
Cor (U-B) -0,63[3]
Cor (B-V) -0,16[3]
Variabilidade Estrela B pulsante lenta[4]
Astrometria
Velocidade radial 2,5 km/s[1]
Mov. próprio (AR) -51,34 mas/a[1]
Mov. próprio (DEC) -5,40 mas/a[1]
Paralaxe 10,04 ± 0,13 mas[1]
Distância 325 ± 4 anos-luz
100 ± 1 pc
Magnitude absoluta -1,1[5]
Detalhes
Massa 4,79[6] M
Raio 3,3-4,6[7] R
Gravidade superficial 4,04 (log g)[5]
Luminosidade 794[6] L
Temperatura 16 740[8] K
Rotação 205 km/s[9]
Idade 81 milhões[6] de anos
Outras denominações
CD–71 850, FK5 469, GC 17086, HD 109026, HIP 61199, HR 4773, SAO 256955.[1]
Gamma Muscae
Musca constellation map.png

Gamma Muscae (γ Mus, γ Muscae) é a quinta estrela mais brilhante da constelação de Musca, com uma magnitude aparente de 3,83.[1] Tem uma paralaxe anual de 10,04 milissegundos de arco, a qual corresponde a uma distância de aproximadamente 325 anos-luz (100 parsecs) da Terra.[1]

Gamma Muscae é uma estrela peculiar com um tipo espectral de B5 V He-w,[2][3] indicando que é uma estrela de classe B da sequência principal cujo espectro apresenta linhas de hélio mais fracas que o normal. Tem uma massa equivalente a 4,79 vezes a massa solar[6] e um raio entre 3,3 e 4,6 vezes o raio solar.[7] Irradia cerca de 790 vezes mais energia que o Sol[6] a uma temperatura efetiva de 16 740 K,[8] o que lhe dá o brilho azul-branco típico de estrelas de classe B.[10] Sua idade foi estimada em aproximadamente 80 milhões de anos.[6] Não possui estrelas companheiras conhecidas.[11]

Gamma Muscae está girando rapidamente com uma velocidade de rotação projetada de 205 km/s[9] e tem um campo magnético com uma força de 342,2 G.[2] É também uma estrela variável, variando de magnitude por alguns centésimos, sendo classificada como uma estrela B pulsante lenta.[4] Pertence ao subgrupo Centaurus-Crux Inferior da associação OB Scorpius-Centaurus, a associação OB mais próxima do Sol.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k «SIMBAD query result - gam Mus». SIMBAD. Centre de Données astronomiques de Strasbourg. Consultado em 22 de janeiro de 2014. 
  2. a b c Bychkov, V. D.; Bychkova, L. V.; Madej, J (abril de 2009). «Catalogue of averaged stellar effective magnetic fields - II. Re-discussion of chemically peculiar A and B stars». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 394 (3). pp. pp. 1338–1350. Bibcode:2009MNRAS.394.1338B. doi:10.1111/j.1365-2966.2008.14227.x 
  3. a b c Renson, P.; Manfroid, J. (maio de 2009), «Catalogue of Ap, HgMn and Am stars», Astronomy and Astrophysics, 498 (3): 961–966, Bibcode:2009A&A...498..961R, doi:10.1051/0004-6361/200810788. 
  4. a b «VSX : Detail for gam Mus». International Variable Star Index. American Association of Variable Star Observers. Consultado em 22 de janeiro de 2014. 
  5. a b c de Geus, P. T.; de Zeeuw; Lub, J. (junho de 1989), «Physical parameters of stars in the Scorpio-Centaurus OB association», Astronomy and Astrophysics, 216 (1-2): 44–61, Bibcode:1989A&A...216...44D 
  6. a b c d e f Kochukhov, O.; Bagnulo, S (maio de 2006). «Evolutionary state of magnetic chemically peculiar stars». Astronomy and Astrophysics. 450 (2). pp. pp.763–775. Bibcode:2006A&A...450..763K. doi:10.1051/0004-6361:20054596 
  7. a b Pasinetti Fracassini, L. E.; et al. (fevereiro de 2001), «Catalogue of Apparent Diameters and Absolute Radii of Stars (CADARS) - Third edition - Comments and statistics», Astronomy and Astrophysics, 367: 521–524, Bibcode:2001A&A...367..521P, arXiv:astro-ph/0012289Acessível livremente, doi:10.1051/0004-6361:20000451. 
  8. a b Caillo, A. (junho de 2010), «The PASTEL catalogue of stellar parameters», Astronomy and Astrophysics, 515: A111, Bibcode:2010A&A...515A.111S, arXiv:1004.1069Acessível livremente, doi:10.1051/0004-6361/201014247. 
  9. a b van Belle, Gerard T (março de 2012). «Interferometric observations of rapidly rotating stars». The Astronomy and Astrophysics Review. 20 (1). pp. id. 51. Bibcode:2012A&ARv..20...51V. doi:10.1007/s00159-012-0051-2 
  10. «The Colour of Stars», Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation, Australia Telescope, Outreach and Education, 21 de dezembro de 2004, consultado em 22 de janeiro de 2014. 
  11. Eggleton, P. P.; Tokovinin, A. A. (setembro de 2008), «A catalogue of multiplicity among bright stellar systems», Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, 389 (2): 869–879, Bibcode:2008MNRAS.389..869E, arXiv:0806.2878Acessível livremente, doi:10.1111/j.1365-2966.2008.13596.x. 
Ícone de esboço Este artigo sobre Estrelas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.