Gamma Trianguli Australis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
γ Trianguli Australis
Dados observacionais (J2000)
Constelação Triangulum Australe
Asc. reta 15h 18m 54,6s[1]
Declinação -68° 40′ 46,4″[1]
Magnitude aparente 2,881[1]
Características
Tipo espectral A1 V[1]
Cor (U-B) –0,02[2]
Cor (B-V) +0,00[2]
Astrometria
Velocidade radial -3,6 km/s[1]
Mov. próprio (AR) -66,58 mas/a[1]
Mov. próprio (DEC) -32,31 mas/a[1]
Paralaxe 17,74 ± 0,12 mas[1]
Distância 184 ± 1 anos-luz
56,4 ± 0,4 pc
Magnitude absoluta −0,87
Detalhes
Massa ~3,3[3] M
Raio 5,86[4] R
Luminosidade 220[3] L
Temperatura 9 400[4] K
Rotação 199 km/s[5]
Idade 260 milhões[6] de anos
Outras denominações
CD-68 1503, FK5 560, HR 5671, HD 135382, HIP 74946, SAO 253097.[1]
Gamma Trianguli Australis
Triangulum Australe constellation map.png

Gamma Trianguli Australis (γ TrA, γ Trianguli Australis) é a terceira estrela mais brilhante da constelação de Triangulum Australe, com uma magnitude aparente de 2,88.[1] É a estrela mais a sudoeste do asterismo tringular que dá nome à constelação.[3] Com base em medições de paralaxe, está localizada a aproximadamente 184 anos-luz (56,4 parsecs) da Terra.[1]

O espectro de Gamma Trianguli Australis corresponde a uma classificação estelar de A1 V,[1] indicando que é uma estrela de classe A da sequência principal, a qual gera energia pela fusão nuclear de hidrogênio em seu núcleo. No entanto, a uma idade de 260 milhões de anos,[6] está perto do fim da fase de sequência principal e, portanto, é maior e mais brilhante que outras estrelas da mesma classe espectral (como Sirius).[3] Gamma Trianguli Australis tem uma massa de aproximadamente 3,3 vezes a massa solar[3] e um raio de 5,86 vezes o raio solar.[4] Emite 220 vezes mais luminosidade que o Sol,[3] a uma temperatura efetiva de 9 400 K,[4] o que lhe dá a coloração branca típica de estrelas de classe A.[7]

Gamma Trianguli Australis possui uma abundância anormal do elemento európio, o que indica que é uma estrela peculiar do tipo Ap.[8] A maioria dessas estrelas têm rotação lenta,[9] mas Gamma Trianguli Australis apresenta uma alta velocidade de rotação projetada de 199 km/s.[5] Esta estrela emite excesso de radiação infravermelha, sugerindo a existência de um disco circunstelar orbitando-a. A temperatura média dessa emissão é de 50 K, correspondendo a uma separação de 481 UA da estrela.[4]

Gamma Trianguli Australis é uma das estrelas que aparecem na bandeira do Brasil. Ela simboliza o estado do Paraná.[10]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l «SIMBAD query result - gam TrA». SIMBAD. Centre de Données astronomiques de Strasbourg. Consultado em 31 de outubro de 2013 
  2. a b Johnson, H. L.; et al. (1966). «UBVRIJKL photometry of the bright stars». Communications of the Lunar and Planetary Laboratory. 4 (99). Bibcode:1966CoLPL...4...99J 
  3. a b c d e f Kaler, James B. «GAMMA TRA (Gamma Trianguli Australis)». Stars. Consultado em 31 de outubro de 2013 
  4. a b c d e Rhee, Joseph H.; et al. (maio de 2007), «Characterization of Dusty Debris Disks: The IRAS and Hipparcos Catalogs», The Astrophysical Journal, 660 (2): 1556–1571, arXiv:astro-ph/0609555Acessível livremente, Bibcode:2007ApJ...660.1556R, doi:10.1086/509912 
  5. a b Royer, F.; Zorec, J.; Gómez, A. E. (fevereiro de 2007), «Rotational velocities of A-type stars. III. Velocity distributions», Astronomy and Astrophysics, 463 (2): 671–682, arXiv:astro-ph/0610785Acessível livremente, Bibcode:2007A&A...463..671R, doi:10.1051/0004-6361:20065224 
  6. a b Rieke, G. H.; et al. (fevereiro de 2005), «Decay of Planetary Debris Disks», The Astrophysical Journal, 620 (2): 1010–1026, Bibcode:2005ApJ...620.1010R, doi:10.1086/426937 
  7. «The Colour of Stars», Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation, Australia Telescope, Outreach and Education, 21 de dezembro de 2004, consultado em 31 de outubro de 2013 
  8. Sokolov, N. A. (junho de 1998), «Effective temperatures of AP stars», Astronomy and Astrophysics Supplement, 130: 215–222, Bibcode:1998A&AS..130..215S, doi:10.1051/aas:1998226 
  9. Abt, Helmut A.; Morrell, Nidia I. (julho de 1995), «The Relation between Rotational Velocities and Spectral Peculiarities among A-Type Stars», Astrophysical Journal Supplement, 99: 135, Bibcode:1995ApJS...99..135A, doi:10.1086/192182 
  10. «Astronomy of the Brazilian Flag». FOTW Flags Of The World website. Consultado em 31 de outubro de 2013