Gangsta rap

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde janeiro de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde maio de 2010).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Gangsta rap
Origens estilísticas Hip hop
Rhythm and poetry
Rap
Contexto cultural Estados Unidos
Instrumentos típicos Vocais, teclado electrónico
Popularidade Estilo musical originário desde os anos 1980.

Gangsta Rap é um termo cunhado pela mídia para descrever um certo gênero do rap, que tem por característica a descrição do dia-a-dia violento dos jovens de algumas cidades.

A palavra gangsta é um dereivativo de gangster, soletrando-a na pronúncia do Inglês vernáculo afro-americano. Os estadunidenses chamam este tipo de grafia de Eye dialect.[1] O gênero desenvolveu-se durante os anos 80. Um dos pioneiros do Gangsta Rap foi o rapper Ice-T com seus singles Cold Wind Madness/The Coldest Rap e Body Rock/Killers, de 1983 e 1985, respectivamente. O Gangsta Rap foi popularizado por grupos como N.W.A no final dos anos 80. As suas letras são violentas e normalmente tendem a criticar a sociedade e a mostrar ao mundo a injustiça desta, e a partir dessa crítica, abrir os olhos de quem não está nem aí para a dura realidade das ruas, mesmo que isso atinja diretamente ao ouvinte. Geralmente, os autores têm problemas com a lei, alguns inclusive tem ou já tiveram envolvimento com gangues. MCs como Ice-T, Eazy-E, 50 Cent, Snoop Dogg, Tupac Shakur, entre outros, já passaram pelos tribunais por atividades relacionadas com o tráfico em geral, de armas, assassinatos, etc. O Gangsta Rap também é conhecido pelas acusações, de promover crimes como assassinato, tráfico de drogas; além da promoção do machismo, promiscuidade, preconceito, vandalismo, violência desnecessária e desrespeito às autoridades.

Um dos mais ferrenhos críticos do Gangsta Rap é o diretor cinematográfico Spike Lee, que acusou o estilo de incentivar a ignorância dos afro-americanos. Os gangsta-rappers, por sua vez, defendem-se das acusações alegando que suas letras não falam de nada além da realidade vivida nas periferias e procuram, através das mesmas, chamar a atenção das autoridades. É a vertente mais extrema do Hip Hop.

História[editar | editar código-fonte]

O gangsta rap desenvolveu-se no início dos anos 80 na costa oeste dos Estados Unidos, em guetos de cidades como Los Angeles e Compton.

Em 1986 o Rapper Ice-T lançou "6 n the Monrnin", considerada a primeira canção de Gangsta Rap. Ainda em 1987 o grupo N.W.A. lançou seu primeiro ãlbum, N.W.A. and the Posse, que não fez muito sucesso.

Mais tarde, em 1988, o álbum Straight Outta Compton, o primeiro da categoria a fazer grande sucesso, ajudou a divulgar o novo sub-gênero do Rap e estabelecer a costa oeste como capital do hip-hop por algum tempo.

O single de Gangsta Rap com maior controvérsia foi "Fuck tha Police", deste mesmo álbum.

A letra, que fala sobre a agressividade policial nos guetos americanos, resultou numa carta do FBI enviada ao grupo, aconselhando-o a amenizar o conteúdo de suas letras.

O grupo lançou mais dois discos depois deste e em seguida dissolveu-se.

Eazy-e, um dos membros do grupo, permaneceu na Ruthless Records, gravadora fundada pelos membros e que foi um dos ícones do Gangsta Rap nos anos 80. Dr. Dre, outro membro, fundou junto com Suge Knight, ex- segurança do grupo, a gravadora Death Row Records, que viria a ser a maior gravadora de Gangsta Rap da década de 90.

Em 1992, Dr. Dre, lançou seu primeiro álbum solo, The Chronic, um dos mais vendidos da história do rap. Alguns dos singles de Dr. Dre são até hoje considerados como ícones dos anos 80-90, como "Nuthin' But a G' Thang". O álbum também contou com a participação do então novato no rap Snoop Dogg, na supra-citada faixa e em várias outras. Snoop Dogg, com a ajuda de Dr. Dre, lançou seu primeiro disco, "Doggystyle", em 1993, o qual bateu inúmeros recordes e recebeu diversos prêmios.

Mais tarde, Tupac Shakur, rapper já com sucesso, integrou-se à gravadora e lançou junto com ela o multi-platinado álbum All Eyez on Me e o póstumo The 7 Days Theory.

Alguns outros rappers da gravadora, como os membros do grupo Tha Dogg Pound, também merecem atenção.

Outros nomes de fora da gravadora marcaram o Gangsta Rap dos anos 90 , como Compton's Most Wanted,Scarface,Eazy-E e Ice Cube,entre outros.

Desde a saída dos principais nomes da Death Row, em meados da década de 90, o Gangsta Rap deixou de viver seus grandes dias e perdeu espaço na mídia, dando vez ao Pop Pimpin Rapi, e o Rap Bling-Bling interpretado por artistas como Nelly e Mase, que preferem dar atenção a problemas pessoais, como dinheiro, mulheres, carros e drogas, do que a problemas sociais, que envolvem toda a comunidade periférica.

Atualmente MC Ren, Tha Realest, Warren G, Yukmouth, Kurupt, Ice Cube, Ice T, Coolio, Short Khop, Brotha Lynch Hung, Ganksta N-I-P, X-Raided, Evil Pimp, Tyga, Kid Ink e muitos outros constituem atualmente o rap mais gangsta.

Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil, os grupos no estilo são Racionais Mc's, Facção Central, Sistema Negro, Dj Jamaika/ (Álibi), Cambio Negro, A286, Hórus, GOG, Holocausto, Manifesto, Uzzy, Realidade Sangrenta, Sabotage, Cirurgia Moral, Dú Alto, Realidade Cruel, Face da Morte,Sistema 157.

Espanha[editar | editar código-fonte]

Na Espanha, o gangsta rap está em pleno auge, especialmente na periferia de Madrid. Os artistas mais conhecidos são Mitsuruggy, Madrid Pimps, Primer Dan, Xcese e Chirie Vegas. Porém, alguns artistas como ToteKing já criticaram o gangsta rap por fazer apologia do crime, assim como da violência urbana.

Referências

  1. Ligação externa: assineticamente parecido para dar a impressão de um dialeto ou um estrangeiro. Exemplo: gangsta em vez de gangster. (em inglês) Wiki