Gardner-Serpollet

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou seção está a ser traduzido (desde maio de 2015). Ajude e colabore com a tradução.
Gardner-Serpollet (1898–1907)
Serpollet (1886–1897)
Razão social Société Gardner-Serpollet
Privada
Atividade Automotiva
Fundação 1898
Fundador(es) Léon Serpollet e Frank Gardner
Encerramento 1907
Sede Paris
Pessoas-chave Léon Serpollet (diretor técnico)
Empregados 140
Produtos Veículos movidos a vapor
Antecessora(s) Société des Moteurs Serpollet Frères & Cie.(1886)
Société Anonyme des Générateurs à vaporisation Instantanée Serpollet (1888)

A Société Gardner-Serpollet, inicialmente Société des Moteurs Serpollet Frères & Cie., e depois disso, Société Anonyme à Générateurs vaporization Instantanée Serpollet, foi uma fábrica francesa de veículos movidos a vapor. A denominação comercial era apenas Serpollet até 1900 e Gardner-Serpollet depois disso até o encerramento das atividades em 1907 com a morte de seu fundador, Léon Serpollet.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Um Triciclo Serpollet a vapor de 1888.
Um Gardner-Serpollet de 5 hp de 1900.
Um Gardner-Serpollet do tipo vis-à-vis de 1901.
Um Gardner-Serpollet Double Phaeton Tipo A de 1902.
Um Gardner-Serpollet Coupé-Limousine de 1905.

Société des Moteurs Serpollet Frères & Cie.[editar | editar código-fonte]

Os irmãos Léon e Henri Serpollet, criaram a empresa Société des Moteurs Serpollet Frères & Cie. em 1886, com a intenção de produzir em maior escala os veículos que Léon já vinha desenvolvendo nos anos anteriores, principalmente um triciclo movido a vapor, visto que os motores a vapor eram sua especialidade. No entanto, dificuldades financeiras e estruturais, impediram um começo rápido. Apenas no ano seguinte, depois da associação com o industrial e empreendedor Larsonneau a empresa tomou impulso, passando a se chamar: Serpollet & Cie.. Além do apoio administrativo e financeiro, Larsonneau colocou à disposição da empresa, a fábrica que possuia em Montmartre, sendo Léon nomeado diretor técnico.[1]

O primeiro produto saiu da fábrica em 1887, um triciclo movido a vapor com potência de apenas 1 hp, com o qual Léon atingiu a velocidade de 30 km/h em 7 de maio de 1888.[2]

Société Anonyme des Générateurs à Vaporisation Instantanée Serpollet[editar | editar código-fonte]

Já no ano seguinte, a "Máquina Serpollet" ganhava mercado, sendo usada para gerar energia elétrica, impulsionar barcos e também triciclos. Os testes bem-sucedidos com seus triciclos movidos a vapor, permitiram que obtivesse uma licença para que esses veículos circulassem nas ruas de Paris. Nesse período, já em 1888, com o apoio de empresas públicas e privadas, uma segunda sociedade substitui a primeira: é a Société Anonyme des Générateurs à vaporisation instantanée Serpollet, com capital de 1 500 000 FF, permanecendo Léon na direção técnica.[1]

Em 1889, em associação fabril com Armand Peugeot, alguns exemplares do triciclo de Serpollet, sob a designação de Peugeot Tipo 1, foram expostos no estande da Peugeot na Expo Mundial.[1]

Em 1890, depois de uma viagem entre Paris e Lyon, cerca de 500 km, que durou 10 dias a velocidade média de 3,5 km/h, que apesar de alguns incidentes mecânicos e reparos improvisados, foi um sucesso, os pedidos começaram a chegar.[1]

Em 1891, foi lançado um novo triciclo de sete lugares, equipado com um motor de dois cilindros que o permitia atingir velocidades de até 25 km/h. Enquanto isso, a Panhard & Levassor e a Peugeot, construíam carros equipados com motores Daimler de combustão interna fabricados sob licença.[2]

Em 1892, Léon lançou dois novos modelos: um segundo triciclo e um automóvel equipado um motor a vapor muito mais elaborado, usando querosene no lugar de carvão como combustível.[2]

E surge um novo modelo: o "Serpollet táxi 1893", um modelo com quatro rodas, sendo duas menores na frente, e um teto para os passageiros. Serpollet construiu modelos maiores e mais pesados, incluindo um furgão para artilharia do exército.[1]

Foi nesse contexto, que no final de 1893, Léon decidiu abandonar teemporariamente a produção de triciclos e se concentra em adaptar o seu gerador em bondes, sendo bem sucedido na empreitada que culminou com a encomenda de 250 de seus bondes pela Compagnie Générale des Omnibus, e mais tarde vieram outras encomendas para outras cidades francesas, assim como para outras cidades europeias como Berlim, Stuttgart e Genebra.[2]

O sucesso continuou até meados da década de 1890, quando a eficiência dos motores a vapor começou a ser questionada pelos partidários dos motores elétricos e de combustão interna.[1]

Société Gardner-Serpollet[editar | editar código-fonte]

Em 1899, Léon firmou sociedade com Frank L. Gardner um empreendedor americano criando a "Société Gardner-Serpollet", especializada em automóveis. A empresa dispunha de todas as melhorias industriais disponíveis na época, permitindo que Léon levasse o seu sistema ao nível de sofisticação mais alto possível, obtendo o máximo possível de um sistema a vapor, controlado de forma contínua, permitindo enfrentar os motores de combustão interna à gasolina. Em 1900, na Expo Mundial a Gardner-Serpollet ganhou a medalha de ouro.[1]

No início da década de 1900, a Gardner-Serpollet oferecia uma gama de modelos de automóveis, e seus veículos movidos a vapor obtiveram êxito em competições de velocidade, quebrando recordes: 100 km/h em 1901 na 1ère coupe Rothschild e 120 km/h em 13 de abril de 1902, na 2ème coupe quando passava por Promenade des Anglais, Nice.[1]

O final[editar | editar código-fonte]

No entanto, já em 1905, ficava claro que os motores a vapor não teriam como competir com os motores de combustão interna. Em 1906 Léon se retirou e vendeu sua participação para a Darracq, vindo a falecer no ano seguinte.[1]

Em 1906, uma pequena empresa italiana, a Ricordi Molinaro, de Milão, sob a denominação de Serpollet Italiana, produziu principalmente modelos de vans e automóveis da Serpollet sob licença, mas chegou a introduzir modelos do tipo Voiturette à gasolina em sua linha de produção.[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i «Les frères Serpollet - Précurseurs de l'automobile». bugeysud-tourisme.fr. Consultado em 10 de maio de 2015 
  2. a b c d Favre, Eric. «Serpollet, à tout vapeur». gazoline.net. Consultado em 10 de maio de 2015 
  3. Georgano, G.N. (1973). The Complete Encyclopaedia of Motorcars 1885 - 1968. Londres: Ebury Press. 620 páginas 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Harald Linz, Halwart Schrader: Die Internationale Automobil-Enzyklopädie. United Soft Media Verlag, München 2008, ISBN 978-3-8032-9876-8. (em alemão)
  • George Nick Georgano: The Beaulieu Encyclopedia of the Automobile. Volume 3: P–Z. Fitzroy Dearborn Publishers, Chicago 2001, ISBN 1-57958-293-1. (em inglês)
  • G. N. Georgano: Complete Encyclopedia of Motorcars, 1885 to the Present. 2. Auflage. Dutton Press, New York 1973, ISBN 0-525-08351-0. (em inglês)
  • Autorenkollektiv: Enzyklopädie des Automobils. Marken · Modelle · Technik. Weltbild Verlag, Augsburg 1989. (em alemão)
  • Richard v. Frankenberg, Marco Matteucci: Geschichte des Automobils. Sigloch Service Edition / STIG, Torino 1973, DNB 760297916. (em alemão)
  • Hans-Otto Neubauer: Chronik des Automobils. Chronik Verlag im Bertelsmann Lexikon Verlag, Gütersloh/ München 1994, ISBN 3-570-14338-4. (em alemão)
  • Richard J. Evans: Steam Cars (Shire Album). Shire Publications, 1985, ISBN 0-85263-774-8. (em inglês)
  • Anthony Bird, Edward Douglas-Scott Montagu of Beaulieu: Steam Cars, 1770–1970. Littlehampton Book Services, 1971, ISBN 0-304-93707-X. (em inglês)
  • Floyd Clymer, Harry W. Gahagan: Floyd Clymer's Steam Car Scrapbook. LLC, 2012, ISBN 978-1-258-42699-6. (em inglês)
  • Anthony Bird: De Dion Bouton - First automobile Giant. (Ballantine's Illustrated History of the Car marque book No 6). Ballantine Books, New York 1971, ISBN 0-345-02322-6. (em inglês)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

 
Search Wikimedia Commons
   Wikimedia Commons tem media  relacionada com a (categoria):