Garibaldi Alves Filho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Garibaldi Alves Filho
Senador pelo Rio Grande do Norte
Período 1 de fevereiro de 2003
até a atualidade
1 de fevereiro de 1991
até 1 de janeiro de 1995
Presidente do Senado Federal do Brasil
Período 12 de dezembro de 2007
até 1 de fevereiro de 2009
Antecessor(a) Tião Viana (interino)
Sucessor(a) José Sarney
52.º Governador do Rio Grande do Norte
Período 1 de janeiro de 1995
até 5 de abril de 2002
Antecessor(a) Vivaldo Costa
Sucessor(a) Fernando Freire
Prefeito de Natal
Período 1 de janeiro de 1986
até 1 de janeiro de 1989
Antecessor(a) Marcos César Formiga
Sucessor(a) Wilma de Faria
Deputado Estadual do Rio Grande do Norte
Período 1 de fevereiro de 1971
até 1 de janeiro de 1986
Ministro da Previdência Social do Brasil
Período 1 de janeiro de 2011
a 1 de janeiro de 2015
Presidente Dilma Rousseff
Antecessor(a) Carlos Eduardo Gabas
Sucessor(a) Carlos Eduardo Gabas
Secretário Chefe da Casa Civil de Natal
Período 1966 até 1969
Prefeito Agnelo Alves
Dados pessoais
Nascimento 4 de fevereiro de 1947 (70 anos)
Natal, Rio Grande do Norte
Esposa Denise Pereira Alves
Partido PMDB
Profissão Jornalista[1]

Garibaldi Alves Filho (Natal, 4 de fevereiro de 1947) é um jornalista, advogado e político brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Garibaldi Alves e Maria Vanice Chaves Alves. Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte[2] é também jornalista.[3] Membro de uma das famílias mais influentes do Rio Grande do Norte, seu pai tornou-se senador após a eleição da ex-governadora do Rio Grande do Norte , Rosalba Ciarlini para o governo em 2010. Sobrinho do Ex-ministro e governador Aluízio Alves, primo do ex-ministro do Turísmo, Henrique Eduardo Alves e do prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves, é casado com Denise Pereira Alves e pai de Bruno Alves e do deputado federal Walter Alves (PMDB-RN).

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Em 1966, foi nomeado chefe da Casa Civil da prefeitura de Natal na gestão de seu tio, Agnelo Alves. Com a cassação deste pelos militares em 1969, Garibaldi Alves Filho foi eleito deputado estadual pelo MDB em 1970, 1974, 1978 e 1982, conquistando este último mandato pelo PMDB, onde ingressou com o fim do bipartidarismo no país em 1979.

Em 1985, foi eleito prefeito de Natal, ao derrotar Wilma de Faria,[4] candidata do PDS.

Cumprido o mandato de prefeito, elege-se senador em 1990, cumprindo o mandato, até 1994, quando seria eleito, já no primeiro turno, governador do Rio Grande do Norte, derrotando Lavoisier Maia. Disputa a reeleição em 1998 e vence ainda em primeiro turno, desta vez derrotando José Agripino Maia.

Deixa o governo em abril de 2002, para poder disputar novamente o cargo de senador, sendo eleito. Nas eleições de 2006, disputa mais uma vez o governo do estado. É derrotado pela primeira vez na carreira, no segundo turno após acirrada disputa para a então governadora Wilma de Faria.[5]

Em 2007, com os desdobramentos do caso Renangate e a renúncia do então presidente do Senado Renan Calheiros, Garibaldi Filho tornou-se o candidato único a assumir presidência, sendo eleito em 12 de dezembro de 2007, com 68 votos a favor, 8 contra e 2 abstenções.[6] Sua eleição deveu-se ao bom trânsito que tem entre os seus pares, tanto os da situação, quanto os de oposição.

Ato que foi bastante discutido em sua gestão foi a devolução ao Poder Executivo, em novembro de 2008, da Medida Provisória da Filantropia, supostamente por não se enquadrar nos requisitos de urgência e relevância que a Constituição exige para as MPs.[7]

Deixou o cargo em 2 de fevereiro de 2009, sendo substituído pelo senador José Sarney. Presidiu a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado no biênio 2009/2010.[8]

Foi reeleito senador pelo Rio Grande do Norte nas eleições de 2010, quando obteve 1.042.272 votos, cerca de 35% dos votos totais e 56% dos votos válidos.

Em dezembro de 2010, o PMDB leva seu nome para a presidente eleita Dilma Rousseff como postulante ao Ministério da Previdência Social e a seguir é formalizado o convite nesse sentido em 8 de dezembro de 2010. Empossado no mês seguinte deixou sua vaga no Senado Federal para o suplente Paulo Davim, do Partido Verde.

Em janeiro de 2015, Garibadi renunciou ao cargo de Ministro da Previdência Social e retorna ao cargo de Senador da Republica.

Em dezembro de 2016, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[9] Em julho de 2017 votou a favor da reforma trabalhista.[10]

Em outubro de 2017 votou a favor da manutenção do mandato do senador Aécio Neves derrubando decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal no processo onde ele é acusado de corrupção e obstrução da justiça por solicitar dois milhões de reais ao empresário Joesley Batista.[11][12]

Referências

  1. «Biografia». Senado Federal. Senado.gov.br. Consultado em 8 de novembro de 2010 
  2. Página oficial do Senado Federal.
  3. «Donos da Mídia». Donosdamidia.com.br 
  4. Que disputou a eleição sob o nome de "Wilma Maia".
  5. «Wilma de Faria garante mais 4 anos ao PSB no Rio Grande do Norte - 29/10/2006 - Eleições 2006». eleicoes.uol.com.br. Consultado em 10 de agosto de 2016 
  6. «Garibaldi Alves é eleito presidente do Senado - 12/12/2007 - UOL Últimas Notícias». noticias.uol.com.br. Consultado em 10 de agosto de 2016 
  7. «G1 > Política - NOTÍCIAS - Garibaldi devolve MP das filantrópicas». g1.globo.com. Consultado em 10 de agosto de 2016 
  8. «Direito2». Direito2.com.br 
  9. Bol (13 de dezembro de 2016). «Confira como votaram os senadores sobre a PEC do Teto de Gastos 155 Do UOL, em São Paulo». Consultado em 16 de outubro de 2017 
  10. Redação - Carta Capital (11 de julho de 2017). «Reforma trabalhista: saiba como votaram os senadores no plenário» 
  11. «Veja como votou cada senador na sessão que derrubou afastamento de Aécio». Consultado em 17 de Outubro de 2017 
  12. «Janot denuncia Aécio Neves ao STF por corrupção e obstrução da Justiça». Consultado em 17 de Outubro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Garibaldi Alves Filho


Precedido por
Marcos Formiga
Prefeito de Natal
1986 — 1989
Sucedido por
Wilma de Faria
Precedido por
Carlos Alberto
Senador pelo Rio Grande do Norte
1991 — 1994
Sucedido por
Fernando Bezerra
Precedido por
Geraldo Melo
Senador pelo Rio Grande do Norte
2003 — atualidade
Sucedido por
'
Precedido por
Vivaldo Costa
Governador do Rio Grande do Norte
1995 — 2002
Sucedido por
Fernando Freire
Precedido por
Tião Viana
Presidente do Senado Federal do Brasil
2007 — 2009
Sucedido por
José Sarney
Precedido por
Carlos Eduardo Gabas
Ministro da Previdência Social
2011 — 2014
Sucedido por
Carlos Eduardo Gabas