Garibaldi Alves Filho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Garibaldi Alves Filho
Senador pelo  Rio Grande do Norte
Período 1 de fevereiro de 2003
até a atualidade
1 de fevereiro de 1991
até 31 de dezembro de 1994
Coat of arms of Brazil.svg
Presidente do Senado Federal do Brasil
Período 12 de dezembro de 2007
até 2 de fevereiro de 2009
Antecessor(a) Tião Viana
Sucessor(a) José Sarney
52.º Governador do  Rio Grande do Norte
Período 1 de janeiro de 1995
até 5 de abril de 2002
Antecessor(a) Vivaldo Costa
Sucessor(a) Fernando Freire
Prefeito de  Natal
Período 1 de janeiro de 1986
até 1 de janeiro de 1989
Antecessor(a) Marcos César Formiga
Sucessor(a) Wilma de Faria
Deputado estadual do  Rio Grande do Norte
Período 1 de fevereiro de 1971
até 31 de dezembro de 1985
Ministro da Previdência Social do Brasil Brasil
Período 1 de janeiro de 2011
a 1º de janeiro de 2015
Antecessor(a) Carlos Eduardo Gabas
Sucessor(a) Carlos Eduardo Gabas
Secretário Chefe da Casa Civil de  Natal
Período 1966
até 1969
Prefeito Agnelo Alves
Vida
Nascimento 4 de fevereiro de 1947 (69 anos)
Santana do Seridó
Dados pessoais
Esposa Denise Pereira Alves
Partido PMDB
Profissão Jornalista[1]

Garibaldi Alves Filho (Natal, 4 de fevereiro de 1947) é um jornalista, advogado e político brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Garibaldi Alves e Maria Vanice Chaves Alves. Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte[2] é também jornalista.[3] Membro de uma das famílias mais influentes do Rio Grande do Norte, seu pai tornou-se senador após a eleição da ex-governadora do Rio Grande do Norte , Rosalba Ciarlini para o governo em 2010. Sobrinho do Ex-ministro e governador Aluízio Alves, primo do ex-ministro do Turísmo, Henrique Eduardo Alves e do prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves, é casado com Denise Pereira Alves e pai de Bruno Alves e do deputado federal Walter Alves (PMDB-RN).

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Em 1966, foi nomeado chefe da Casa Civil da prefeitura de Natal na gestão de seu tio, Agnelo Alves. Com a cassação deste pelos militares em 1969, Garibaldi Alves Filho foi eleito deputado estadual pelo MDB em 1970, 1974, 1978 e 1982, conquistando este último mandato pelo PMDB, onde ingressou com o fim do bipartidarismo no país em 1979.

Em 1985, foi eleito prefeito de Natal, ao derrotar Wilma de Faria,[4] candidata do PDS.

Cumprido o mandato de prefeito, elege-se senador em 1990, cumprindo o mandato, até 1994, quando seria eleito, já no primeiro turno, governador do Rio Grande do Norte, derrotando Lavoisier Maia. Disputa a reeleição em 1998 e vence ainda em primeiro turno, desta vez derrotando José Agripino Maia.

Deixa o governo em abril de 2002, para poder disputar novamente o cargo de senador, sendo eleito. Nas eleições de 2006, disputa mais uma vez o governo do estado. É derrotado pela primeira vez na carreira, no segundo turno após acirrada disputa para a então governadora Wilma de Faria.[5]

Em 2007, com os desdobramentos do caso Renangate e a renúncia do então presidente do Senado Renan Calheiros, Garibaldi Filho tornou-se o candidato único a assumir presidência, sendo eleito em 12 de dezembro de 2007, com 68 votos a favor, 8 contra e 2 abstenções.[6] Sua eleição deveu-se ao bom trânsito que tem entre os seus pares, tanto os da situação, quanto os de oposição.

Ato que foi bastante discutido em sua gestão foi a devolução ao Poder Executivo, em novembro de 2008, da Medida Provisória da Filantropia, supostamente por não se enquadrar nos requisitos de urgência e relevância que a Constituição exige para as MPs.[7]

Deixou o cargo em 2 de fevereiro de 2009, sendo substituído pelo senador José Sarney. Presidiu a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado no biênio 2009/2010.[8]

Foi reeleito senador pelo Rio Grande do Norte nas eleições de 2010, quando obteve 1.042.272 votos, cerca de 35% dos votos totais e 56% dos votos válidos.

Em dezembro de 2010, o PMDB leva seu nome para a presidente eleita Dilma Rousseff como postulante ao Ministério da Previdência Social e a seguir é formalizado o convite nesse sentido em 8 de dezembro de 2010. Empossado no mês seguinte deixou sua vaga no Senado Federal para o suplente Paulo Davim, do Partido Verde.

Em janeiro de 2015, Garibadi renunciou ao cargo de Ministro da Previdência Social e retorna ao cargo de Senador da Republica.

Referências

  1. Senado Federal. Senado.gov.br Biografia http://www.senado.gov.br/senadores/senadores_biografia.asp?codparl=87 Biografia Verifique |url= (Ajuda). Consultado em 8 de novembro de 2010.  Falta o |titulo= (Ajuda)
  2. Página oficial do Senado Federal.
  3. «Donos da Mídia». Donosdamidia.com.br. 
  4. Que disputou a eleição sob o nome de "Wilma Maia".
  5. «Wilma de Faria garante mais 4 anos ao PSB no Rio Grande do Norte - 29/10/2006 - Eleições 2006». eleicoes.uol.com.br. Consultado em 2016-08-10. 
  6. «Garibaldi Alves é eleito presidente do Senado - 12/12/2007 - UOL Últimas Notícias». noticias.uol.com.br. Consultado em 2016-08-10. 
  7. «G1 > Política - NOTÍCIAS - Garibaldi devolve MP das filantrópicas». g1.globo.com. Consultado em 2016-08-10. 
  8. «Direito2». Direito2.com.br. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Garibaldi Alves Filho


Precedido por
Marcos Formiga
Prefeito de Natal
1986 — 1989
Sucedido por
Wilma de Faria
Precedido por
Carlos Alberto
Senador pelo Rio Grande do Norte
1991 — 1994
Sucedido por
Fernando Bezerra
Precedido por
Geraldo Melo
Senador pelo Rio Grande do Norte
2003 — atualidade
Sucedido por
'
Precedido por
Vivaldo Costa
Governador do Rio Grande do Norte
1995 — 2002
Sucedido por
Fernando Freire
Precedido por
Tião Viana
Presidente do Senado Federal do Brasil
2007 — 2009
Sucedido por
José Sarney
Precedido por
Carlos Eduardo Gabas
Ministro da Previdência Social
2011 — 2014
Sucedido por
Carlos Eduardo Gabas