Garrett Hardin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde abril de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Garrett Hardin
Conhecido(a) por Tragédia dos comuns
Nascimento 21 de abril de 1915
Dallas, Texas
Morte 14 de setembro de 2003
Campo(s) Ecologia

Garrett James Hardin (21 de Abril de 191514 de Setembro de 2003) foi um ecologista pioneiro no estudo dos impactos da população humana sobre a terra. Seu artigo A Tragédia dos comuns, publicado em 1968 na revista norte americana Science[1], abordou a noção de que a miséria humana continuaria a crescer a não ser que fosse reconhecido que a quantidade de espaços aptos à sobrevivência humana na terra era limitada.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Infância e Influências[editar | editar código-fonte]

Garrett James Hardin nasceu em 1915 em Dallas, Texas. Aos 4 anos de idade contraiu Poliomielite. Sua condição física debilitada o levou a focar sua atenção na vida acadêmica desde cedo. Juntamente com seu irmão mais velho, Garrett participou de um grupo de bairro durante sua infância. Na ocasião, o líder do grupo costumava cunhar novos nomes para os integrantes e objetos comuns. Garrett sempre foi fascinado pelas variações morfológicas da língua inglesa, pela forma como os falantes nativos da língua a modificavam e como tais modificações eram aceitas pela comunidade local. Essa fascinação criou em Garrett uma inclinação realizar neologismos para definir novos conceitos. Seu pai era um representante de vendas, o que levava a família a não ter residência fixa. A fazenda da família, localizada nas proximidades de Butler, Missouri foi o local onde Garrett passou os verões dos seus 10 aos 18 anos de idade. Entre as obrigações da fazenda, desde os 11 anos ele era responsável por alimentar alguns animais e matar outros para as refeições diárias. Essa experiência teve impacto em sua concepção de que a relação entre predador e presa era parte essencial da vida[2].

Vida Adulta e Principais Trabalhos[editar | editar código-fonte]

Em 1936 formou-se Bacharel em Zoologia na Universidade de Chicago, mais tarde, em 1941 completou o Ph.D em Microbiologia na Universidade de Stanford. Garrett é mais conhecido pelo seu artigo de 1968 A Tragédia dos Comuns, recentemente republicado em mais de 100 antologias e é amplamente aceito como uma contribuição fundamental aos campos da ecologia, teoria populacional, economia e ciência política. O artigo também rendeu publicações de livros, entre eles, The Immigration Dilemma: Avoiding the Tragedy of the Commons (O dilema da imigração: Evitando a tragédia dos comuns - Tradução Livre-) [3], uma coleção de ensaios contendo, inclusive, o artigo "Tragédia dos Comuns" publicada em 1995 na qual o professor Hardin tece comentários e teorias sobre imigração e densidade populacional.

Garrett Hardin lecionou como professor da Universidade da Califórnia por mais de 30 anos, retirando-se das atividades do campus em 1978 dedicando-se às atividades de escrita e oratória[4].

Críticas à tragédia dos comuns[editar | editar código-fonte]

As afirmações contidas no artigo A tragédia dos comuns foram alvo de várias críticas por parte de outros estudiosos da área da dinâmica populacional. O ambientalista Derrick Jensen afirma que o artigo é usado na defesa da propriedade privada [5]. Ele afirma que o conteúdo do artigo tem sido utilizado pelos políticos de direita para discriminar e isolar pessoas de países de terceiro mundo e povos indígenas por todo o mundo. Jensen afirma que em vez de tragédia dos comuns, o artigo deveria se chamar Tragedy of the Failure of the Commons (Tragédia da Falha dos Comuns - tradução livre). A cientísta política Elinor Ostrom, ganhadora do prêmio nobel em economia realizou uma revisão no trabalho de Hardin [6] classificando a tragédia dos comuns como predominante em várias partes do globo, afirmando também que soluções para o problema já haviam sido encontradas em várias comunidades locais. Uma vez que os comuns são tocados por não locais, as soluções encontradas não podem mais ser utilizadas.

Filosofia de Vida e Causa da Morte[editar | editar código-fonte]

Garrett e sua esposa eram membros da organização sem fins lucrativos norte americana End-of-life choices que prega que os indivíduos têm a liberdade para escolher o momento de suas mortes. Ao fim da vida, com 88 anos, Garrett sofria de problemas cardíacos e acabou por suicidar-se em 14 de setembro de 2003, juntamente com sua esposa[7].

Publicações[editar | editar código-fonte]

Durante sua vida, Garrett publicou mais de 350 artigos e 27 livros. Em torno de 700.000 cópias de seus livros já foram vendidas.

Livros[8][editar | editar código-fonte]

  • 1949, Fatty Acid Antibacterials, 67 páginas, Carnegie Institution of Washington. ISBN 1258608847
  • 1949, Biology: Its Human Implications, 635 páginas, W.H. Freeman ISBN 0716706431
  • 1952, Biology: Its Human Implications. 2nd ed, 720 págias, W.H. Freeman
  • 1955, Laboratory Studies in Biology: Observations and Their Implications, 328 páginas, W.H. Freeman
  • 1959, Nature and Man's Fate Rinehart. ISBN 0-451-61170-5 ( Traduzido para A Natureza e o Destino do Homem pela

Companhia Editora Nacional em 1969)

  • 1962, Biology Its Principles and Implications, 682 páginas, W. H. Freeman
  • 1964, Population, Evolution & Birth Control, 341 páginas, W. H. Freeman (Traduzido para português pela Companhia Editora Nacional em 1967)
  • 1966, Biology- Its Principles and Implications. Second edition, 771 páginas, W. H. Freeman.
  • 1969, Step to Biology. Readings from Scientific American, with Introductions by Garrett

Hardin, 344 páginas, W.H. Freeman.

  • 1969, Population, Evolution & Birth Control. Second edition , 356 páginas, W.H. Freeman.
  • 1969, Science, Conflict and Society. Readings from Scientific American, with introductions by

Garrett Hardin, 344 páginas, W.H. Freeman (Traduzido para A Ciencia Social num Mundo em Crise pela Editora Perspectiva em 1973).

  • 1970, Birth Control, 142 páginas, Pegasus.
  • 1972, Exploring new ethics for survival: the voyage of the spaceship Beagle, 273 páginas, Viking Press. ISBN 0-670-30268-6
  • 1973, Stalking the Wild Taboo, 226 páginas, W. Kaufmann. ISBN 0-913232-03-3
  • 1974, Mandatory Motherhood: The True Meaning of 'Right to Life', 136 páginas, Beacon Press. ISBN 0-8070-2177-6
  • 1977, Managing the Commons, W. H. Freeman.
  • 1977, The Limits of Altruism: an Ecologist's view of Survival, 154 páginas, Indiana University Press. ISBN 0-253-33435-7
  • 1978, Biology Its Principles and Implications, 790 páginas, W. H. Freeman.
  • 1978, Stalking the Wild Taboo. Second edition, 244 páginas, Kaufmann.
  • 1980, Promethean Ethics Living with Death, Competition and Triage, 82 páginas, University of Washington Press. ISBN 0-295-95717-4
  • 1982, Naked Emperors: Essays of a Taboo-Stalker, 281 páginas, William Kaufmann, Inc. ISBN 0-86576-032-2
  • 1985, Filters Against Folly, How to Survive despite Economists, Ecologists, and the Merely Eloquent, 240 páginas, Viking Penguin. ISBN 0-670-80410-X
  • 1993, Living Within Limits: Ecology, Economics, and Population Taboos, 339 páginas, Oxford University Press. ISBN 0-19-509385-2
  • 1995, The Immigration Dilemma: Avoiding the Tragedy of the Commons 140 páginas, Federation for American Immigration Reform.
  • 1996, Stalking the Wild Taboo. Third edition, 376 páginas, The Social Contract Press.
  • 1999, The Ostrich Factor: Our Population Myopia, 169 páginas, Oxford University Press. ISBN 0-19-512274-7

Artigos Científicos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Hardin, Garrett (13 de dezembro de 1968). «The Tragedy of the Commons». Science (em inglês). 162 (3859): 1243-1248. ISSN 0036-8075. PMID 17756331. doi:10.1126/science.162.3859.1243 
  2. Craig Straub (26 de Agosto de 2003). «Childhood Influences on Garrett Hardin's Worldview». Consultado em 6 de junho de 2015 
  3. Hardin, Garrett (1995). The Immigration Dilemma. Avoiding the Tragedy of the Commons (em inglês). [S.l.]: Federation for American Immigration Reform. 140 páginas. ISBN 093577615X 
  4. «Garrett James Hardin Curriculum Vitae». 1 de Dezembro de 2003. Consultado em 6 de junho de 2015 
  5. Jensen, Derrick (2006). Endgame Vol1. The Problem Of Civilization (em inglês). [S.l.]: Seven Stories Press. 931 páginas. ISBN 158322730X 
  6. Ostrom, Elinor; Burger, Joanna; Field, Christopher B.; Norgaard, Richard B.; Policansky, David (1999). «Revisiting the Commons: Local Lessons, Global Challenges». Science. 284: 278–282. doi:10.1126/science.284.5412.278 
  7. Steepleton, Scott (19 de Setembro de 2003). «Pioneering professor, wife die in apparent double suicide». Santa Barbara News-Press. Consultado em 6 de junho de 2015 
  8. «Garrett Hardin Bibliography» (PDF). Setembro de 2001. Consultado em 31 de julho de 2015 

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]