Geórgia Gomide

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Abril de 2012). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Geórgia Gomide
Nome completo Elfriede Helene Gomide Witecy
Nascimento 17 de agosto de 1937
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileira
Morte 29 de janeiro de 2011 (73 anos)
São Paulo, SP
Ocupação Atriz
IMDb: (inglês)

Elfriede Helene Gomide Witecy, mais conhecida como Geórgia Gomide (São Paulo, 17 de agosto de 1937 — São Paulo, 29 de janeiro de 2011), foi uma atriz brasileira.

Geórgia Gomide foi uma das atrizes pioneiras da televisão brasileira, trabalhando nas emissoras Tupi, Excelsior, Record, Globo, Manchete e SBT, entre outras. Participou de várias novelas importantes, como Redenção, As Pupilas do Senhor Reitor, Éramos Seis e O Direito de Nascer. Na TV Globo, seus maiores sucessos foram a dona de cantina italiana Bina, na novela Vereda Tropical, de Carlos Lombardi, e a maquiavélica Donana, na novela Hipertensão, de Ivani Ribeiro. Geórgia Gomide também participou das minisséries Anos Rebeldes e O Quinto dos Infernos. Curiosamente, Georgia estreou na TV Tupi, segundo seu próprio depoimento ao museu da tv, em 29 de janeiro de 1962, mesma data de seu falecimento 49 anos depois.

Em Calúnia (teleteatro de 1963 na TV Tupi) protagonizou, com Vida Alves, o primeiro beijo entre pessoas do mesmo sexo da história da televisão brasileira, escandalizando a sociedade ao representar uma professora lésbica.[1][2][3]

Desde os 18 anos a atriz tinha apenas 5% da visão, em razão de uma doença congênita, o que não impediu seu sucesso na televisão. Tinha um filho, Daniel Witecy Goldfinger.[4]

Morreu em 29 de janeiro de 2011, aos 73 anos, de infecção generalizada. Havia dois anos que ela sofria de Alzheimer e estava afastada dos palcos desde 2009, quando encenou a peça Perto do Fogo, de Nicolau Ayer.[5]

Trabalhos na televisão[editar | editar código-fonte]

Salvo quando indicado entre parênteses, os programas foram exibidos pela TV Globo.

Trabalhos no cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Personagem
1963 Mord in Rio
1965 Quatro Brasileiros em Paris Strip-teaser
1969 Corisco, o Diabo Loiro Lídia
1973 A Super Fêmea Betty
1974 Exorcismo Negro Lúcia
1975 O Sexo Mora ao Lado Marlene[6]
1976 Chão Bruto Xaíca
1981 Sexo, sua Única Arma Judite
1983 O Médium
1989 Os Trapalhões na Terra dos Monstros Mãe da Angélica [7]
2006 Fuga e Cativeiro [8]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Troféu Roquette Pinto[editar | editar código-fonte]

Ano Categoria Indicação Resultado
1963 Revelação Feminina[9] Geórgia Gomide Venceu

Referências

  1. "Atriz Geórgia Gomide, pioneira da TV, morre aos 73 anos" Portal Terra, 29 de janeiro de 2011
  2. "Morre aos 73 anos a atriz Geórgia Gomide", Folha.com, 29 de janeiro de 2011
  3. "Atriz Georgia Gomide morre aos 73 anos em SP", Estadão, 29 de janeiro de 2011
  4. Pace, Eliana. Georgia Gomide, uma atriz brasileira. São Paulo : Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.
  5. Prova de Fogo[ligação inativa], no Espaço Cultural Juca Chaves, em São Paulo.
  6. «O Sexo Mora ao Lado». Cinemateca Brasileira. Consultado em 21 de março de 2018 
  7. Cinemateca Brasileira, Os Trapalhões na Terra dos Monstros [em linha]
  8. «Fuga e Cativeiro - Elenco». O Fuxico. Consultado em 30 de julho de 2017 
  9. Folha de S.Paulo (26 de fevereiro de 1963). «Eles foram os melhores de 62!». Consultado em 13 de janeiro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre um ator ou atriz de cinema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.