Gellert Grindelwald

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gellert Grindelwald
Gerardo Grindelwald
Johnny Depp (42814296655).jpg
Dados pessoais
Sexo Masculino
Nascimento 1882
Cabelo Loiro
Olhos Azuis (heterocromia)[1]
Sangue Puro
Família Batilda Bagshot (tia avó)
Dados biográficos
Casa Durmstrang
Organizações as
quais pertence
Exército de Gellert Grindelwald
Na série
Primeira aparição
em livro
Harry Potter e a pedra filosofal
Primeira aparição
em filme
Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 1
Intérprete Jamie Campbell Bower (jovem)

Michael Byrne (idoso) Johnny Depp (adulto)

Personagem da série Harry Potter

Gellert Grindelwald (1882 - Março de 1998) é um supervilão fictício do Universo Harry Potter. É o antagonista principal da franquia Animais Fantásticos e Onde Habitam, criado pela autora britânica J.K. Rowling.

Grindelwald é um personagem meramente aludido no primeiro livro da heptalogia, Harry Potter e a Pedra Filosofal, mas tem um papel de maior relevo no último volume, Harry Potter e as Relíquias da Morte em que é crucial para o desenvolver do enredo relativo à Varinha das Varinhas ("Elder Wand" em inglês, e "Varinha das Varinhas" nas edições brasileiras).

A história de Gellert Grindelwald vai ser contada nos filmes do universo de J.K. Rowling, Animais Fantásticos e Onde Habitam, e quem dará vida ao vilão é o ator Johnny Depp, que interpretará Grindelwald nos próximos filmes da quintologia.

Grindelwald é recordado como um dos mais terríveis bruxos da história da magia, que aterrorizou a Europa Continental nas décadas de 1930 e 1940, empunhando a Varinha de Sabugueiro (Varinha das Varinhas), a varinha mais poderosa em existência. Grindelwald foi ainda assim derrotado por Albus Dumbledore em 1945, num duelo que segundo Eliphas Dodge, inspirou "terror e admiração" a todos quantos assistiram ao debate mágico. Grindelwald foi encarcerado na prisão que ele próprio edificara para os seus opositores, Nurmengard, onde acabou por ser morto por Lord Voldemort, em Março de 1998 quando se recusou a prestar-lhe informações sobre a Varinha de Sabugueiro que lhe havia sido ganha por Dumbledore.

História[editar | editar código-fonte]

Gellert Grindelwald nasceu entre 1882 e 1883, muito provavelmente no Leste Europeu, já que seu nome Gellert é de origem húngara, porém a Escandinávia também é uma possibilidade. Foi educado no Instituto Durmstrang, uma escola ao norte da Europa (Áustria) e que aceita alunos de todo o continente, como aluno, provou ser tão brilhante e talentoso na magia como Alvo Dumbledore (Albus Dumbledore em Portugal) que, por volta da mesma altura, recebia a sua formação na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, na Escócia. Todavia, Grindelwald não usou os seus talentos consideráveis para ganhar prêmios e honra como Dumbledore; em vez disso, ele escolheu a experimentação nas Artes das Trevas. As suas incursões na área tornaram-se de tal modo sadísticas que chegou ao ponto de quase matar alguns dos seus colegas, e por causa disso, foi expulso de Durmstrang em 1898, com dezesseis anos de idade.

Grindelwald era particularmente interessado nas Relíquias da Morte (Talismãs da Morte em Portugal), tendo usado o simbolo das Relíquias como seu, e gravando-o numa das paredes de Durmstrang antes da sua expulsão. A sua investigação sobre o assunto levou-o à sua tia-avó, a célebre historiadora mágica Bathilda Bagshot, habitante de Godric's Hollow, na Inglaterra, onde Ignotus Peverell, lendário dono da Capa da Invisibilidade (Manto da Invisibilidade em Portugal), uma das Relíquias, havia vivido e fora sepultado.

Foi em Godric's Hollow que Grindelwald conheceu e travou amizade com Alvo Dumbledore, um jovem feiticeiro acabado de sair de Hogwarts, tão talentoso e brilhante quanto ele. Os dois jovens tornaram-se unidos pelas suas ambições para a glória e travaram planos para formar uma "nova ordem mundial", na qual feiticeiros dominariam sobre os trouxas (muggles em Portugal). Ambos partilhavam um fascínio sobre as Relíquias da Morte, por razões distintas: Dumbledore desejava utilizar a Pedra da Ressurreição para trazer de volta os seus pais falecidos, enquanto Grindelwald desejava-a para formar um exército de Inferi; obviamente, Grindelwald não tinha muito conhecimento sobre os verdadeiros poderes das Relíquias. Os dois, juntos, cunharam a frase que se tornaria mais tarde no mote de Grindelwald, e a sua justificação para cometer crimes hediondos contra todos aqueles que se opusessem a ele: "Para um Bem Maior". Os dois tornaram-se inseparáveis. Grindelwald se aproveitou da amizade com Dumbledore e usou-a para seu proveito, manipulando-o até ele o ajudar inquestionavelmente nos seus planos.

Ele não pareceu nada satisfeito — referiu Aberforth, e os seus olhos ficaram brevemente toldados pelo reflexo da lareira nas lentes dos seus óculos, que mais uma vez brilharam, brancas e cegas. — O Grindelwald também não gostou nada mesmo. Zangou-se. Disse-me que eu não passava de um rapazola estúpido, que estava a tentar impedi-lo e ao meu brilhante irmão... seria que eu não compreendia que, mal eles mudassem o mundo, a minha pobre irmã não teria de ficar escondida? Eles iam revelar a existência dos feiticeiros e meter os Muggles no seu devido lugar. E houve uma discussão... puxei a minha varinha, ele puxou a sua e o melhor amigo do meu irmão aplicou-me a Maldição Cruciatus...
 
Harry Potter e as Relíquias da Morte — Capítulo XXVIII (O Espelho Desaparecido).

Aberforth Dumbledore, irmão de Albus, apercebeu-se dos planos dos dois feiticeiros, e tentou dissuadir Albus de levar a sua irmã mais nova, Ariana, que era perturbada e magicamente instável, consigo na sua demanda, sabendo que ela nunca receberia o carinho e atenção que precisava para ficar estável e segura. Grindelwald lançou uma Maldição Cruciatus a Aberforth, e Albus, juntou-se tentando proteger o seu irmão, resultando num duelo de varinhas entre os três. Ariana, todavia, ficou desorientada com os clarões e estrondos dos feitiços e foi atingida por um feitiço perdido, tendo morrido no lugar. Tanto Albus como Aberforth ficaram desolados. Albus acabou a sua amizade com Grindelwald, que fugiu da Inglaterra nunca fazendo tenção de ser associado à morte de Ariana, tendo em conta que já era detentor de uma má reputação no seu país de origem.

Trabalhando sozinho a partir de então, Grindelwald descobriu o paradeiro da Varinha de Sabugueiro, na sua busca das Relíquias da Morte. Circulavam rumores que Gregorovitch, o fabricante de varinhas de renome, tinha a varinha e tentava replicar as suas propriedades. Grindelwald assaltou a oficina de Gregorovitch e atordoou o feiticeiro, tendo conseguido, por isso, ganhar a lealdade da varinha.

Gellert viajou para os Estados Unidos, e lá morou na década de 20, em uma Nova York antes da famosa Grande Depressão, onde teve uma vida secreta, mantendo se disfarçado de um auror do Congresso Mágico dos Estados Unidos chamado Percival Graves, que era Chefe do Departamento de Execução das Leis Mágicas, estando assim acima de qualquer suspeita e tendo liberdade de investigar e procurar uma criatura que fascinou-o e que poderia ajudar ele na sua busca pelo poder, o Obscurus, mas ele não teve êxito na sua busca e acabou sendo preso pelo Congresso Mágico dos Estados Unidos que teve a ajuda do magizoologista Newt Scamander para captura-lo.

Seis meses depois de Grindelwald ser capturado por Newt Scamander, ele deveria ser transportado da prisão de MACUSA para a Europa por Rudolph Spielman e Aurores para responder por crimes cometidos. Por causa de seu dom de persuasão, ele teve a língua cortada, pois vários guardas haviam se aliado a ele. Sem o conhecimento de Picquery, Spielman e vários outros, Abernathy, funcionário do MACUSA, foi um dos Acólitos de Grindelwald . Alguns momentos antes de escoltar o bruxo das trevas, Abernathy foi até a cela de Grindelwald e ambos assumiram a identidade um do outro. Quando o transporte com Abernathy (como Grindelwald) partiu, Grindelwald (como Abernathy) Aparatou na carruagem e matou os Aurores que escoltavam a carruagem. Mais tarde, ele entrou na carruagem e jogou Spielman nas águas de Nova York, antes de voar para a Europa com seu tenente.

Três meses depois, Grindelwald, ao lado de seus seguidores, viajou a Paris para procurar novamente por Credence Barebone, que sobrevivera à batalha em Nova York, a fim de utilizar suas habilidades para matar Alvo Dumbledore. Ele ordenou a seus subordinados que matassem o casal desconhecido e seu filho pequeno, a fim de assumir o seu apartamento como quartel-general temporário. Durante este tempo, Grindelwald pediu a Queenie Goldstein e Gunnar Grimmson, o caçador de recompensas, para se juntarem à sua causa, que trabalhou em Queenie devido ao seu relacionamento com o No-Maj Jacob Kowalski. Grindelwald ordenou que Grimmson matasse Irma Dugarda fim de manter a identidade do Credence em segredo dele. O próprio Grindelwald mais tarde encontrou Credence e ofereceu a ele uma chance de descobrir sua verdadeira ascendência, depois lhe deu um mapa para o cemitério de Pere Lachaise.

Uma noite, Grindelwald convocou uma reunião para seus seguidores no Mausoléu da família Lestrange. Lá, ele fez um discurso empolgante, no qual compartilhou sua perspectiva idealista dos trouxas, bem como sua visão do futuro, que ele adverte para outra grande e terrível guerra, com imagens da Blitz de London e Hiroshima pontuando sua retórica. Reconhecendo abertamente o batalhão de Aurores que se infiltrara no comício, Grindelwald convidou-os para o círculo. Percebendo uma jovem bruxa olhando desdenhosamente para um Auror, ele descreve como os Aurores o combateram tão impiedosamente, matando seus seguidores simplesmente por acreditarem. Quando a garota foi pegar sua varinha, o auror a matou em resposta. Grindelwald martirizou a garota, antes de ordenar a seus seguidores que desaparatassem da cena enquanto ele enfrentava os Aurores.

Quando Teseu Scamander colocou seus homens em Grindelwald, ele conjurou um círculo de fogo protetor em volta de si mesmo e acrescentou um encantamento projetado para testar a lealdade de seus seguidores: aqueles que entravam com completa fidelidade e acreditavam em sua causa sobreviveriam; aqueles que não o fizeram, seriam engolidos e pereceriam. Abernathy, Vinda Rosier, Credence e Queenie se juntaram a Grindelwald no círculo e aparataram, enquanto muitos aurores morreram fugindo ou lutando quando Grindelwald manipulou o fogo para funcionar como uma arma também, enviando bolas e rajadas de fogo negro contra seus inimigos, matando-os assim. Por fim, cerca de meia dúzia dos cinquenta Aurores que Teseu trouxera aceitou sua oferta e também se juntou a ele. Então Grindelwald, zombando de Newt perguntando se ele achava que Dumbledore iria chorar por ele, lutou contra ele e Teseu Scamander. Leta Lestrange gritou para ele parar, o que ele fez e, em resposta, ofereceu-lhe para se juntar a suas fileiras. Ela se recusou, no entanto, e lançou uma maldição que explodiu em pedaços seu crânio hookahe o atacou, só para ser morto por Grindelwald em retaliação. Tendo derrubado Leta, Grindelwald deixou escapar sua fúria por perder uma ferramenta tão valiosa ao soltar o fogo azul mortal e deixá-lo correr solto, com a intenção de destruir a totalidade de Paris, e todos os presentes junto com ele, antes que ele partiu a cena.

Algum tempo depois, no castelo de Nurmengard, na Áustria, Grindelwald conversou com Queenie sobre Credence. Então ele revelou a Credence que o passarinho que ele estava cuidando era na verdade uma Fênix. Segundo a lenda, uma fênix aparecerá para qualquer um de uma certa família bruxa em extrema necessidade. Grindelwald então apresentou-lhe uma varinha, bem como seu nome de nascimento: Aurelius Dumbledore.

Ao longo dos anos, Grindelwald formou um exército e começou um reino de terror que se espalhou por vários países europeus, apesar de nunca ter tentado tomar o poder na Grã-Bretanha por ter receio de ter de enfrentar o seu velho amigo, Dumbledore, que era "um tudo-nada mais habilidoso" do que ele. Durante o seu poderio, Grindelwald construiu a prisão de Nurmengard, destinada aos seus opositores, e assassinou inúmeros feiticeiros, dentre os quais o avô de Viktor Krum, apanhador da equipe de Quadribol (Quidditch em Portugal) da Bulgária nos anos 90, tudo isto ostensivamente "Para um Bem Maior", a frase que gravou à entrada de Nurmengard.

Mas enquanto eu me entretinha a ensinar novos feiticeiros, o Grindelwald andava a formar um exército. Há quem diga que ele me receava, e talvez fosse verdade, mas de certeza que me receava menos do que eu o receava a ele. Oh, não era a morte — disse Dumbledore, em resposta à expressão inquiridora de Harry. — Nem as magias que podia fazer contra mim. Sabia que estávamos mais ou menos à mesma altura, talvez eu fosse um tudo-nada mais habilidoso. O que eu receava era a verdade. Nunca soube qual de nós, naquele derradeiro e terrível combate, tinha lançado a maldição que matou a minha irmã. O que eu mais temia, Harry, era descobrir que tinha sido eu a causar a morte dela, não só com a minha arrogância e estupidez, mas por ter sido eu mesmo a executar o golpe que a arrancou à vida. Acho que ele sabia, acho que ele sabia o que eu verdadeiramente temia. Continuei sempre a protelar um eventual encontro com ele até que, a certa altura, se tornou demasiado vergonhoso continuar a resistir. Havia gente a morrer, e ele parecia imparável. Tinha de fazer tudo o que estivesse ao meu alcance.
 
Harry Potter e as Relíquias da Morte — Capítulo XXXV (King's Cross).

Quando as suas ações se tornaram "longe demais", ele foi finalmente confrontado pelo seu velho amigo, Albus Dumbledore que o venceu em duelo, em 1945. Testemunhas afirmaram, segundo Elphias Doge, que foi o maior duelo entre feiticeiros travado na história. Dumbledore tornou-se, então, mestre da Varinha de Sabugueiro, e Grindelwald foi enviado para a sua terra natal, e encarcerado na cela mais alta de Nurmengard, onde ele passou os restantes 53 anos da sua vida.

53 anos volvidos, já tinha surgido Lord Voldemort, bruxo das trevas que estava aterrorizando a Grã-Bretanha, e que à altura, se encontrava no seu apogeu, exercendo domínio sobre o Ministério da Magia britânico, e por conseguinte, toda a comunidade mágica britânica. Voldemort, em 1998, estava dedicado à procura da Varinha de Sabugueiro com a qual poderia derrotar Harry Potter, símbolo da resistência contra si, e seu inimigo mortal. A sua busca pela Varinha levou-o à cela de Grindelwald. Este, já bastante idoso, com a saúde debilitada, mostrando nenhum medo de Voldemort e acolhendo a morte não lhe revelou a localização da Varinha, preferindo rir-se dele e afirmar que havia muito que ele desconhecia. Voldemort, se sentindo ultrajado pelo bruxo das trevas ancião, num rasgo de fúria pôs termo à vida de Grindelwald com a Maldição da Morte nessa mesma cela.

Habilidades[editar | editar código-fonte]

Intelecto genial: Talvez a habilidade mais impressionante de Grindelwald. Um estrategista excepcional, com uma habilidade extraordinária de criar planos complexos e cuidadosamente elaborados para alcançar seus objetivos. Grindelwald tinha plena consciência e era muito bem-sucedido em tirar proveito do descontentamento daqueles membros do mundo bruxo que tinham sentimentos anti-trouxas, apresentando um forte argumento para sua causa e o fez de uma maneira que não era apenas muito atraente para o público alvo, mas também usado para persuadir aqueles que são inclinados a lutar contra ele. Muito confiante em suas próprias habilidades e seguro em seu próprio julgamento, Grindelwald era um indivíduo muito auto-confiante, e sua habilidade considerável e sua mente brilhante permitiram que ele se tornasse um líder revolucionário muito inspirador.

Maestria mágica: Como adulto, Grindelwald foi considerado o mais poderoso Bruxo das Trevas de todos os tempos (com apenas Voldemort, que emergiu anos depois, sendo considerado capaz de superá-lo) e temido pela maior parte do mundo mágico. Grindelwald aterrorizou muito o mundo bruxo, derrotando tantos em seu reino de terror que Dumbledore acabou sendo considerado o único bruxo que poderia ter alguma chance de derrotá-lo.

Oclumência: Grindelwald era um occlumens inacreditavelmente talentoso, sendo capaz de esconder totalmente suas verdadeiras intenções. O fez com a excepcionalmente talentosa legilimente Queenie Goldstein, enquanto estava disfarçado de Percival Graves e quando conversou com ela, em Paris. Mesmo em sua velhice, Grindelwald permaneceu proficiente na arte, como o próprio Lord Voldemort, que era considerado o mais talentoso dos Legilimentes vivos, foi incapaz de penetrar na mente de Grindelwald para obter informações em sua busca da Varinha das Varinhas.

Nos filmes[editar | editar código-fonte]

Grindelwald é, na saga cinematográfica baseada na série de livros Harry Potter, interpretado na sua juventude por Jamie Campbell Bower e, na sua velhice em Nurmengard, por Michael Byrne.

Foi intepretado por Johnny Depp em Animais Fantásticos & Onde Habitam e Animais Fantásticos os Crimes de Grindelwald e voltará nos próximos filmes da saga.