Gêmeos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Gemeos)
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Gêmeos (desambiguação).
Um retrato de duas irmãs gêmeas univitelinas

Chama-se gêmeos (português brasileiro) ou gémeos (português europeu) a dois ou mais irmãos que nascem de uma mesma gestação da mãe, podendo ser idênticos ou não. Por extensão, as crianças nascidas de partos triplos, quádruplos ou mais também são chamadas de gêmeos/gémeos.[1] Apesar de não haver uma estatística precisa, estima-se que uma gravidez dentre cada 85 seja gemelar.

Os gémeos devem nascer às 37 semanas de gestação para minimizar os riscos de morte fetal e neonatal, conclui um estudo publicado em 2016 no British Medical Journal, que se baseia em mais de 35 mil partos. O estudo baseia-se nos resultados de 32 estudos realizados durante 10 anos que abrangem 29,6 mil gravidezes gemelares dizigóticas e 5,4 mil monozigóticas.[2]

Gêmeos dizigóticos (fraternos)[editar | editar código-fonte]

Os gêmeos dizigóticos ou fraternos, são formados a partir de dois óvulos. Nesse caso são produzidos dois ovócitos e esses são fecundados por dois espermatozóides, formando assim, dois embriões. Quase sempre são formados em placentas diferentes e não compartilham o mesmo saco amniótico. Os gêmeos fraternos não se assemelham muito entre si, podem ter ou não o mesmo fator sanguíneo e podem ser do mesmo sexo ou não. Também são conhecidos como gêmeos diferentes. Na verdade são dois irmãos comuns que tiveram gestação coincidente. Representam 66% de todas as gestações gemelares, e neste tipo de gestação, um terço tem sexos diferentes, enquanto dois terços o mesmo sexo. Um em cada um milhão de gêmeos deste tipo têm cores diferentes, mesmo sendo do mesmo pai. É possível gêmeos fraternos terem pais diferentes, este fenômeno é conhecido como superfecundação heteropaternal,[3] sua ocorrência é possível se a mulher liberar dois óvulos durante o mesmo ciclo e ambos forem fertilizados por dois homens diferentes, como resultado de relações sexuais num intervalo menor que 48 horas.[carece de fontes?]

Irmãos nascidos da mesma gravidez e desenvolvidos a partir de dois óvulos que foram liberados do ovário simultaneamente e fertilizados na mesma relação sexual, porém podem ser concebidos de cópulas distintas, mas daquela mesma ovulação dupla. Podem ter ou não o mesmo sexo, se diferenciam tanto fisicamente como em sua constituição genética e possuem duas placentas e duas membranas independentes e bem diferenciadas. Podem ser filhos de pais diferentes.[4]

A frequência dos gêmeos dizigóticos varia de acordo com a origem étnica (máxima incidência nas populações negras, mínima nas asiáticas e intermediária nas brancas), a idade materna (máxima quando a mãe tem de 35 a 39 anos) e a genética, com uma maior incidência da linha genética materna que da paterna, ainda que os pais possam transmitir a predisposição à dupla ovulação a seus filhos. Em geral, a proporção global é de dois terços de gêmeos dizigóticos para um de monozigóticos (ou seja, os gêmeos idênticos).

  • A terminologia bivitelino caiu, pois conceptos humanos não possuem vitelo verdadeiro, sendo o termo mais apropriado o dizigótico.

Gêmeos monozigóticos (idênticos)[editar | editar código-fonte]

Quando um óvulo é produzido e fecundado por um só espermatozóide e se multiplica em duas culturas de células completas, origina os gêmeos monozigóticos ou idênticos/univitelinos, os quais possuem o mesmo genoma. Apenas um terço das gestações são de gêmeos univitelinos. Apesar de serem considerados clones e possuírem o mesmo DNA, gêmeos idênticos não possuem as mesmas impressões digitais devido a que, mesmo num pequeno espaço dentro do útero materno, eles têm contatos com partes diferentes desse ambiente.[5]

Gêmeos sesquizigóticos (semi-idênticos)[editar | editar código-fonte]

Os gêmeos sesquizigóticos, ou semi-idênticos, são extremamente raros. Acontecem quando um óvulo é fecundado simultaneamente por dois espermatozoides antes de ser dividido. Assim, este óvulo resultará em três conjuntos de cromossomos, em vez de dois - um da mãe e dois do pai - e ambos estarão na mesma placenta.[6] São chamados de semi-idênticos pois ambos são idênticos por parte de mãe, mas compartilham apenas uma parte do DNA do pai — estando, assim exatamente no meio entre “gêmeos idênticos” e “gêmeos fraternos”. O problema é que três conjuntos de cromossomos são "tipicamente incompatíveis com a vida, e os embriões não costumam sobreviver" e por isso os casos são raros: para sobreviver, a única chance é que aconteça como no caso dos monozigóticos: o óvulo se multiplicar em 2.[7]

Gêmeos xifópagos (siameses)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Gêmeos xifópagos
Gêmeas xipófagas Abigail e Brittany Hensel.

Os gêmeos xifópagos ou siameses são monozigóticos, ou seja, formados a partir do mesmo zigoto. Porém, nesse caso, o disco embrionário não chega a se dividir por completo, produzindo gêmeos que estarão ligados por uma parte do corpo, ou têm uma parte do corpo comum aos dois. O embrião de gêmeos xifópagos é, então, constituído de apenas uma massa celular, sendo desenvolvido na mesma placenta, com o mesmo saco aminiótico.

Estima-se que dentre 40 gestações gemelares monozigóticas, uma resulta em gêmeos interligados por não separação completa. Num outro tipo de gêmeos xifópagos (hoje sabidamente mais comum) a união acontece depois, ou seja, são gêmeos idênticos separados que se unem em alguma fase da gestação por partes semelhantes: cabeça com cabeça; abdômen com abdômen; nádegas com nádegas, etc. Ao ver-se alguma notícia de gêmeos que foram "separados" por cirurgia, trata-se de um caso desses.

O termo "siameses" originou-se de uma famosa ocorrência registrada desse fenômeno: os gêmeos Chang e Eng, que nasceram no Sião, atual Tailândia, em 1811, colados pelo ombro. Eles casaram, tiveram 22 filhos e permaneceram unidos até o fim de seus dias, tendo falecido com um intervalo de 3 horas um do outro.

Casos famosos[editar | editar código-fonte]

Nônuplos[editar | editar código-fonte]

O maior grau de gemelidade em que todos os bebês nasceram e se conservaram vivos é nove (nônuplos). Em 4 de maio de 2021, a malinense Halima Cisse deu à luz, no Marrocos, a nove crianças por parto cesáreo, após uma gestação de 30 semanas. Segundo um comunicado do Ministério da Saúde do Mali no dia do nascimento, "os recém-nascidos (cinco meninas e quatro meninos) e a mãe estão todos bem".[8][9][10]

Em 1971, a australiana Geraldine Brodrick também havia dado à luz nove gêmeos, mas todos faleceram em menos de seis dias. Era dela a marca, no Guinness, de “mais crianças nascidas em um único parto”.[11]

Óctuplos (1998 e 2009)[editar | editar código-fonte]

No mundo inteiro há o registro de apenas dois grupos de óctuplos. O primeiro caso ocorreu em dezembro de 1998 no Texas, EUA,[12] e o outro em janeiro de 2009 na Califórnia.[13] No primeiro caso, sobreviveram sete crianças e no segundo, as oito.[14]

Nota: ler os artigos Óctuplos de Nkem Chukwu (Texas) e Óctuplos de Nadya Suleman (Califórnia)

Outros casos[editar | editar código-fonte]

Em 24 dezembro de 2018, na Itália, um gémeo nasceu com menos de seis meses de gestação, pesando 800 gramas. A placenta partilhada pelos irmãos ficou intacta e só em 22 de fevereiro de 2019 nasceu a irmã, com três quilos, no oitavo mês de gestação.[15]

Em novembro de 2014, no Guarujá, São Paulo, uma mulher teve dois bebês, que estavam em placentas diferentes, com quatro dias de intervalo.[16]

Gêmeos famosos[editar | editar código-fonte]

Dizigóticos (também chamados de fraternos ou bivitelinos)
Monozigóticos (também chamados de idênticos ou univitelinos)


Xifópagos (também chamados de siameses)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikcionário Definições no Wikcionário
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons

Referências

  1. Grávida de quadrigêmeos, mulher vira atração em Taubaté Arquivado em 20 de março de 2012, no Wayback Machine., Terra Networks, acessado em 9 de janeiro de 2012
  2. «Gémeos devem nascer às 37 semanas para minimizar riscos» 
  3. «O estranho caso dos gêmeos com pais diferentes». El Pais. 3 de fevereiro de 2021. Consultado em 12 de Agosto de 2021 
  4. «Descobriu em tribunal que tem gémeos de pais diferentes» 
  5. «Gêmeos sempre despertam curiosidade, especialmente os univitelinos que são monozigóticos». UFMG. Consultado em 29 de dezembro de 2018 
  6. BBC News Raríssimo nascimento de gêmeos semi-idênticos é registrado na Austrália
  7. Revista Super Interessante Caso raro de gêmeos “semi-idênticos” é registrado na Austrália
  8. «COMMUNIQUE DU MINISTERE DE LA SANTE ET DU DEVELOPPEMENT SOCIAL SUR L'ACCOUCHEMENT DE MADAME HALIMA CISSE». www.sante.gov.ml (em francês). Consultado em 6 de maio de 2021 
  9. «Mulher malinense que esperava sétuplos dá à luz nove filhos». R7.com. 4 de maio de 2021. Consultado em 6 de maio de 2021 
  10. AfricaNews (6 de maio de 2021). «Malian mother of nine babies delivered at once in stable condition». Africanews (em inglês). Consultado em 6 de maio de 2021 
  11. «Qual é o recorde de gêmeos nascidos em uma única gestação?». Super Interessante. 10 de agosto de 2015. Consultado em 6 de maio de 2021 
  12. Óctuplos comemoram aniversário de 10 anos nos EUA
  13. «Mulher dá à luz óctuplos na Califórnia» 
  14. «'Octomãe' revela sofrer ataques mesmo 10 anos após polêmico nascimento de óctuplos». Extra Online. Consultado em 6 de maio de 2021 
  15. «Alessandro e Andrea são gémeos, mas nasceram com dois meses de diferença» 
  16. Santos, Mariane RossiDo G1 (10 de novembro de 2014). «Gêmeos nascem em dias diferentes em caso raro em Guarujá, SP». Santos e Região. Consultado em 6 de maio de 2021 
  17. a b c d e f g h i j k l m n o Bruno Eugênio. «15 celebridades que você não sabia que tem um irmão gêmeo». O Verso do Inverso. Consultado em 26 de novembro de 2016 
  18. Madeline Boardman (11 de março de 2016). «19 Stars Who Have a Twin» (em inglês). EW. Consultado em 26 de novembro de 2016