Saltar para o conteúdo

General Carneiro (Mato Grosso)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
General Carneiro
  Município do Brasil  
Hino
Gentílico generalcarneirense
Localização
Localização de General Carneiro em Mato Grosso
Localização de General Carneiro em Mato Grosso
Localização de General Carneiro em Mato Grosso
General Carneiro está localizado em: Brasil
General Carneiro
Localização de General Carneiro no Brasil
Mapa
Mapa de General Carneiro
Coordenadas 15° 42' 39" S 52° 45' 18" O
País Brasil
Unidade federativa Mato Grosso
Municípios limítrofes Barra do Garças, Pontal do Araguaia, Tesouro, Poxoréu e Novo São Joaquim
Distância até a capital 455 km
História
Fundação 18 de novembro de 1958 (65 anos)
Administração
Prefeito(a) Marcelo Aquino (PL, 2021–2024)
Características geográficas
Área total [1] 3 721,078 km²
População total (estimativa IBGE/2019[2]) 5 540 hab.
Densidade 1,5 hab./km²
Clima Não disponível
Altitude 343 m
Fuso horário Hora do Amazonas (UTC−4)
Indicadores
IDH (PNUD/2000 [3]) 0,695 médio
PIB (IBGE/2008[4]) R$ 128 206,474 mil
PIB per capita (IBGE/2008[4]) R$ 25 801,26
Sítio http://www.generalcarneiro.mt.gov.br (Prefeitura)

General Carneiro é um município brasileiro do estado de Mato Grosso. Localiza-se a uma latitude 15º42'39" sul e a uma longitude 52º45'19" oeste, estando a uma altitude de 343 metros. Está localizado a 66 km ao oeste da divisa com o estado de Goiás. O município abrange uma área de 4.514,917 km², classificando-o como o 73º maior em extensão territorial entre os 141 municípios do estado e sua população foi estimada em 6 037 habitantes, conforme dados do IBGE de 2022.[5][6]

História[editar | editar código-fonte]

Praça e igreja no centro da cidade

O major Catarino foi o pioneiro na colonização da área, que inicialmente recebeu o nome de Barreiro Grande, inspirado em uma grande barreira de terra próxima ao local que viria a ser o centro urbano.[7] Em 1892, durante a presidência de Floriano Peixoto, uma expedição chegou ao Barreiro Grande com o objetivo de instalar uma linha telegráfica conectando Mato Grosso e Goiás. Sob a liderança do tenente-coronel Antônio Ernesto Gomes Carneiro, posteriormente promovido a general, e com o tenente Cândido Mariano da Silva Rondon como seu segundo em comando, a missão tinha um propósito estratégico significativo.[8]

Barreiro Grande evoluiu para um posto militar estratégico e serviu como quartel temporário para as forças armadas. Foi lá que Gomes Carneiro começou a construção de um imponente edifício. Contudo, ele foi convocado pelo Governo Federal para se juntar ao combate contra os federalistas na cidade da Lapa, no Paraná, onde acabou perdendo a vida em batalha.[9]

Com o decorrer do tempo, o local se desenvolveu e se tornou um distrito, adotando e simplificando o nome da estação telegráfica para General Carneiro.[10]

Povos nativos[editar | editar código-fonte]

O município abriga diversos povos nativos e terras indígenas a exemplo da Terra Indígena Sangradouro, território tradicional do povo Xavante, que abrange uma extensão de 100.000 hectares. Este território é o lar de aproximadamente 4.000 nativos, que estão espalhados por 74 aldeias. Dentre elas, a Aldeia Sangradouro se destaca como a mais significativa e maior, situada a 55 quilômetros de Primavera do Leste e fazendo parte do município de General Carneiro.[11][12] [13]

No município também há a Terra Indígena Meruri do povo Bororo.[14] [15][16][17][18]

Durante os anos 70, o descontentamento dos Bororo com a perda de suas terras ancestrais e a precariedade dos serviços de saúde e educação deu origem a um movimento de reivindicação. Um episódio marcante dessa época foi a disputa pelas terras de Meruri, que resultou no trágico massacre perpetrado por fazendeiros da região de General Carneiro. Em 1976, Simão Bororo e o Padre Rodolfo, missionário salesiano, foram brutalmente assassinados.[19][20]

O ataque ocorreu na aldeia bororo e teve grande repercussão internacional, sendo noticiado até pela BBC de Londres. Na ocasião, um grupo de 62 pistoleiros invadiu a missão local, assassinando o padre Rodolfo Lunkenbein, o indígena Simão Bororo e um trabalhador rural. O crime foi orquestrado por fazendeiros que se opunham à demarcação da reserva bororo, que abrangia terras ocupadas ilegalmente por eles.[21]

A violência só não atingiu proporções maiores porque a maioria dos cerca de 500 indígenas da comunidade estava trabalhando nas lavouras no momento do ataque, que ocorreu às 10h30 do dia 15 de julho. Além dos assassinatos, os agressores torturaram o padre Uchoa Camargo.[22]

Ao retornarem, os Bororo se depararam com a devastação da casa paroquial e os corpos caídos na entrada. A repercussão global do massacre levou a Justiça Brasileira a identificar dois dos responsáveis pelo ato: João Marques de Oliveira o "João Mineiro" e um pistoleiro conhecido como Nego.[23]

Economia[editar | editar código-fonte]

Apesar de General Carneiro ter alcançado a 27ª posição no ranking estadual de produção de algodão, com 38,8 mil toneladas segundo dados do IBGE em 2019, o município se destaca por sua produtividade líder, igualando-se a Sapezal e Torixoréu, com uma colheita de 4.500 quilos por hectare cultivado.[24][25]

Além do algodão, General Carneiro apresenta uma produção expressiva de milho, com 142,7 mil toneladas, e soja, com 179,86 mil toneladas. Outros cultivos incluem cana-de-açúcar, feijão e mandioca em menor quantidade. O município também conta com um rebanho bovino de 86,1 mil cabeças, incluindo 1.266 vacas leiteiras que produzem 1,14 milhão de litros de leite; além disso, possui aves num total de 15,7 mil e suínos com um efetivo de 3 mil cabeças.[26]

No que se refere à economia em 2021, o PIB per capita atingiu R$ 84.131,44. Em termos de receitas externas em 2015, o percentual foi de 84,7%. Já em 2023, as receitas realizadas somaram R$ 54.628.367,94 (x1000) e as despesas empenhadas foram de R$ 47.755.257,08 (x1000).[27]

Quanto ao mercado de trabalho em 2021, o salário médio mensal era equivalente a 2,1 salários mínimos e a taxa de emprego em relação à população total era de 9,69%.[28]

Clima[editar | editar código-fonte]

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), referentes ao período de 1961 a 1966, 1970 a 1990, 1995 de 1998 a 2001, a menor temperatura registrada em General Carneiro, na estação meteorológica de Meruri, foi de −1 °C em 20 de maio de 1990,[29] e a maior atingiu 40 °C em 13 de setembro de 1995 e em 1998, nos dias 30 de abril e 1° de maio.[30] O maior acumulado de precipitação em 24 horas foi de 180 milímetros (mm) em 9 de setembro de 1988. Outros grandes acumulados iguais ou superiores a 100 mm foram 166 mm em 7 de novembro de 1970, 130 mm em 20 de novembro de 1975, 116 mm em 14 de fevereiro de 1979, 115 mm em 15 de dezembro de 1989, 112,4 mm em 22 de janeiro de 1965, 108 mm em 8 de março de 1975, 107,6 mm em 12 de outubro de 1971, 107 mm em 25 de dezembro de 1973, 103 mm em 22 de dezembro de 1985 e 100,8 mm em 12 de fevereiro de 1983.[31] Janeiro de 1962, com 558,8 mm, foi o mês de maior precipitação.[32]

Dados climatológicos para General Carneiro (Meruri)
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 39 39 38,6 40 40 38 37 39,5 40 39 37,6 38,5 40
Temperatura máxima média (°C) 30,9 - 31,2 32,3 31,6 30,8 30,4 33,1 33,9 32,6 31,4 - -
Temperatura mínima recorde (°C) 9,3 8,5 11,4 8 −1 2 2,5 0,5 5 8,3 10 11 −1
Precipitação (mm) 216,8 125,1 130,9 52 19,9 6,1 3,7 24,4 51,8 89,1 159,5 221,3 1 100,6
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 12 9 8 4 2 1 0 2 4 7 9 13 71
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[33]
recordes de temperatura: 1961 a 1966, 1970 a 1990, 1995 de 1998 a 2001)[29][30]

Últimos prefeitos eleitos[editar | editar código-fonte]

Ano Prefeito Partido Votos % Ref
2004 Jucary Aquino PL 1.347 37,78 [34]
2008 Jucary Rezende PT 1.041 40,18 [35]
2012 Magali PSD 1.096 36,94 [36]
2016 Marcelo Aquino PR 1.727 50,82 [37]
2020 Marcelo Aquino PL 1.928 59,88 [38]

Referências

  1. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. «Estimativa populacional 2019 IBGE». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 28 de agosto de 2019. Consultado em 10 de maio de 2020 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. IBGE. «General Carneiro». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 19 de junho de 2024 
  6. «População de General Carneiro (MT) é de 6.037 pessoas, aponta o Censo do IBGE». G1. 28 de junho de 2023. Consultado em 19 de junho de 2024 
  7. «Prefeitura Municipal de General Carneiro». Prefeitura Municipal de General Carneiro - MT. Consultado em 19 de junho de 2024 
  8. «General Carneiro - MT completa 57 anos - CenárioMT». www.cenariomt.com.br. 3 de dezembro de 2020. Consultado em 19 de junho de 2024 
  9. «História do Município». Câmara Municipal de General Carneiro – MT. 30 de agosto de 2017. Consultado em 19 de junho de 2024 
  10. IBGE. «General Carneiro - História & Fotos». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 19 de junho de 2024 
  11. Fernandes, Euclides (2 de junho de 2021). «Nossa Senhora é homenageada em aldeia Xavante -». Consultado em 19 de junho de 2024 
  12. Rossi, Marina (29 de novembro de 2014). «Os rituais dos guerreiros Xavantes». El País Brasil. Consultado em 19 de junho de 2024 
  13. Tribunal de Justiça de Mato Grosso (14 de agosto de 2023). «Judiciário realiza roda de conversa com estudantes Xavantes da Terra Indígena Sangradouro». www.tjmt.jus.br. Consultado em 19 de junho de 2024 
  14. «Terra Indígena Meruri escolhe presidente do Conselho de Saúde Local». www.fsvp.org.br. Consultado em 19 de junho de 2024 
  15. «Sagrado Coração de Meruri -». 23 de maio de 2024. Consultado em 19 de junho de 2024 
  16. «Terra Indígena Merure | Terras Indígenas no Brasil». terrasindigenas.org.br. Consultado em 19 de junho de 2024 
  17. «Diversidade e diálogo marcam a abertura do Encontro Indígena do Museu em Cuiabá | Gazeta Digital». Diversidade e diálogo marcam a abertura do Encontro Indígena do Museu em Cuiabá | Gazeta Digital. Consultado em 19 de junho de 2024 
  18. Arini, Juliana (15 de setembro de 2020). «Incêndios no Pantanal obrigam remoção de populações indígenas, que ficam expostas à covid-19». El País Brasil. Consultado em 19 de junho de 2024 
  19. admin (14 de abril de 2020). «CHACINA EM MERURI». PORTAL MATO GROSSO. Consultado em 19 de junho de 2024 
  20. Povos Indígenas no Brasil. «Bororo - Povos Indígenas no Brasil». pib.socioambiental.org. Consultado em 19 de junho de 2024 
  21. Araguaia Notícia (15 de julho de 2016). «Chacina de Meruri que matou padre completa 40 anos». Araguaia Notícia. Consultado em 19 de junho de 2024 
  22. FMCJS (3 de novembro de 2017). «NA ALDEIA NABORE EIAO, DO POVO BORORO». FMCJS. Consultado em 19 de junho de 2024 
  23. «Foragido, "João Mineiro" nega ter liderado chacina». terrasindigenas.org.br. Consultado em 19 de junho de 2024 
  24. «Começa colheita do algodão em Mato Grosso, maior produtor de pluma do Brasil». Canal Rural Mato Grosso. 9 de junho de 2020. Consultado em 19 de junho de 2024 
  25. «General Carneiro - MT - Área plantada, colhida, quantidade produzida, rendimento médio, valor da produção ...». Portal Agrolink. Consultado em 19 de junho de 2024 
  26. «General Carneiro - MT completa 57 anos - CenárioMT». www.cenariomt.com.br. 3 de dezembro de 2020. Consultado em 19 de junho de 2024 
  27. IBGE. «General Carneiro - Economia». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 19 de junho de 2024 
  28. IBGE. «General Carneiro - Trabalho e Rendimento». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 19 de junho de 2024 
  29. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura mínima (°C) - Meruri». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 28 de junho de 2018 
  30. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura máxima (°C) - Meruri». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 28 de junho de 2018 
  31. «BDMEP - série histórica - dados diários - precipitação (mm) - Meruri». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 28 de junho de 2018 
  32. «BDMEP - série histórica - dados mensais - precipitação total (mm) - Meruri». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 28 de junho de 2018 
  33. «NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 28 de junho de 2018 
  34. «UOL Eleições 2004». eventos.noticias.uol.com.br. Consultado em 15 de maio de 2024 
  35. «Terra - Eleições 2008 - reportagens, notícias, fotos, vídeos, guia do eleitor, prefeitos, vereadores Terra». apuracao.terra.com.br. Consultado em 15 de maio de 2024  soft hyphen character character in |titulo= at position 44 (ajuda)
  36. «Apuração das Eleições 2012 em General Carneiro | Mato Grosso | G1». g1.globo.com. Consultado em 16 de maio de 2024 
  37. «Resultado da apuração das Eleições 2016 em General Carneiro para prefeito e vereador». g1. Consultado em 16 de maio de 2024 
  38. «Resultado das Eleições e Apuração General Carneiro-MT no 1º Turno | G1 Eleições». G1. Consultado em 16 de maio de 2024 
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Mato Grosso é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.