Georg Grimm

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde setembro de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Georg Grimm
Nome nativo Johann Georg Grimm
Nascimento Immenstadt im Allgäu
Morte Palermo
Nacionalidade Alemanha
Cidadania Brasil
Ocupação pintor, decorador

Johann Georg Grimm (Immenstadt im Allgäu, 22 de abril de 1846Palermo, 24 de dezembro de 1887) foi um pintor, professor, desenhista e decorador alemão que viveu e trabalhou alguns anos no Brasil.

Biografia[editar | editar código-fonte]

"Georg era filho de um carpinteiro bem sucedido e inicialmente foi treinado para seguir seu pai no comércio. Quando foram contratados para fazer um trabalho na biblioteca no castelo de Rauhenzell, ele ficou fascinado com os livros de arte e decidiu que queria se tornar um pintor, então, ele percorreu a Baviera, chegando finalmente a Munique em 1868, onde ele acumulou apenas dinheiro suficiente para estudar na Academia de Belas Artes sob Karl von Piloty e Franz Adam[1] .Apesar de viver na pobreza abjeta, ele completou seus estudos com sucesso. Ele serviu brevemente na Guerra Franco-Prussiana, onde conheceu o pintor Thomas Georg Driendl, que mais tarde se juntou a ele no Brasil[2] e trabalharam juntos em diversos projetos.

Em 1872, ele foi para Berlim, onde um benfeitor o ajudou a estudar pintura ao ar livre. Ele saiu de Berlim mais tarde naquele ano e dirigiu-se para a Itália; novamente auxiliado por seu misterioso benfeitor, que se acredita ser a esposa de um cirurgião proeminente.

Depois de longas viagens pela Itália, África do Norte via Sicília, Espanha, França e Inglaterra, ele finalmente se encontrou em Lisboa e decidiu ir para o Brasil , provavelmente chegando no final de 1877 ou no início de 1878.[1] Ele se instalou no Rio de Janeiro e logo se associou com um colega imigrante alemão que possuía uma empresa de pintura e decoração. Seu interesse em paisagens começou quando ele foi contratado pelos donos das fazendas vizinhas para pintar imagens topográficas de suas propriedades, que ele executou com precisão fotográfica."

Estudos e viagens[editar | editar código-fonte]

Estudou na Academia de Belas Artes de Munique entre 1868 e 1870, provavelmente sendo aluno de Karl von Piloty e Franz Adam. Após viagens pela Europa, Oriente e África, chegou ao Brasil provavelmente em 1878, fixando-se no Rio de Janeiro e estabelecendo residência na rua do Senador Cassiano, em Santa Teresa.

No Rio de Janeiro[editar | editar código-fonte]

Instalado na Corte, aliou-se a um compatriota de nome Friedrich Anton Steckel que tinha uma empresa de pintura e decoração. Ocasionalmente era contratado por fazendeiros fluminenses para executar paisagens topográficas, que pela exatidão quase fotográfica, perpetuavam as suas propriedades.

Entre 1882 e 1884 foi professor interino da cadeira de Paisagem, Flores e Animais da Academia Imperial de Belas Artes, introduzindo o estudo da pintura ao ar livre.

O Grupo Grimm[editar | editar código-fonte]

Em meados de 1884 deixou a academia por divergências sobre os métodos de ensino, sendo seguido por alguns alunos, formando o chamado Grupo Grimm, dos quais Castagneto e Antônio Parreiras seriam os mais destacados na história da pintura brasileira.

Até 1886 realizou trabalhos sob encomenda, e em 1887 retornou à Europa falecendo logo depois na cidade de Palermo.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Georg Grimm

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • LEVY, Carlos Roberto Maciel. O Grupo Grimm; paisagismo brasileiro no século XIX. Rio de Janeiro: Pinakotheke, 1980.
  • GULLAR, Fereira et allii. 150 anos de pintura brasileira. Rio de Janeiro: Colorama, 1989.
  • LEITE, José Roberto Teixeira. Dicionário crítico da pintura no Brasil. Rio de Janeiro; Artlivre, 1988.