Georg Tappert

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Georg Tappert
Nascimento 20 de outubro de 1880
Berlim
Morte 16 de novembro de 1957 (77 anos)
Berlim
Cidadania Alemanha
Ocupação pintor
Prêmios Cruz de Oficial da Ordem do Mérito da República Federal da Alemanha, Cruz de Oficial da Ordem do Mérito da República Federal da Alemanha
Movimento estético expressionismo

Georg Tappert (Berlim, 20 de outubro de 1880 - Berlim, 16 de novembro de 1957) foi um pintor expressionista alemão. Em 1910 foi fundador com Emil Nolde e Max Pechstein da Nova Secessão berlinesa.

Com as suas imagens de cantantes de cabaret, artistas exóticas e pessoas da rua, Tappert foi um dos primeiros artistas que descobriu o grande mundo do entretenimento da cidade como tema. Também adquiriu uma excelente reputação como professor na Universidade Pedagógica das Belas Artes de Berlim.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Tappert cresceu como o filho de um alfaiate na Friedrichstrasse, a antiga zona de lazer de Berlim. Estudou de 1900 a 1903 na Academia de Belas Artes de Karlsruhe (Großherzoglich Badischen Akademie der Bildenden Künste). Em 1905 regressou para Berlim como artista independente e teve a sua primeira exposição individual na galeria de Paul Cassirer. De 1906 a 1909 residiu na colônia de artistas de Worpswede, e depois foi a uma escola privada de arte, cujo aluno mais famoso era Wilhelm Morgner. Nesse tempo recebeu a influência de Paula Modersohn-Becker, assim como da arte moderna francesa. Em Worpswede pintou naturezas-mortas, paisagens e retratos.

De novo em Berlim em 1910, as suas obras foram recusadas pelo jurado da Secessão de Berlim, fato que motivou a criação da Nova Secessão berlinesa, com Emil Nolde e Max Pechstein. Tappert foi o seu segundo presidente e principal organizador. Durante este período, até a Primeira Guerra Mundial, Tappert desenvolveu grandes obras expressionistas: imagens de mulheres, dançarinas, retratos e nus da sua modelo preferida, Betty. Além da pintura, dedicou-se intensamente às técnicas gráficas em madeira e linóleo, à litografia e à gravura. Em 1912 teve representação com quatro pinturas de grande formato na Exposição da Internationalen Sonderbundausstellung em Colônia, e na segunda exposição do Blaue Reiter em Munique. Em 1913 foi nomeado professor da Real Escola de Arte de Berlim e na escola de arte privada Berlin-Wilmersdorfer Kunstschule.

Desde 1916 recebeu a influência do cubismo, do futurismo e do orfismo. Em 1918 foi um dos fundadores do Novembergruppe (Grupo de novembro) e do grupo Arbeitsrat für Kunst. Seguiu dando aulas, e em 1921 recebeu a cátedra. Na sua obra da década de 1920 e de 1930, dedicou-se principalmente às mulheres dos cafés, aos espetáculos de variedades e cabaré e ao circo, assim como aos nus e retratos num estilo realista muito rico e expressivo. Durante esse tempo a marca pictórica perde sentido para ele, enquanto ganhou grande importância o desenho.

Em 1933 foi designado artista degenerado pelos nazistas, sendo despedido do seu posto de ensino. Em 1945 reconstruiu-se em nome das forças de ocupação a Academia de Educação Artística de Berlim, sob comando de Karl Hofer, voltando para o seu posto docente. Em 1953 foi premiado em reconhecimento ao seu trabalho educacional com a Ordem do Mérito da República Federal da Alemanha.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Gerhard Wietek: Georg Tappert (1880 - 1957) - ein Wegbereiter der Moderne, Munique 1980.
  • Ders.: Georg Tappert - Werkverzeichnis der Druckgraphik, Colônia 1976.
  • Gesa Bartholomeyczik: Georg Tappert – Deutscher Expressionist, Verlag des Germanischen Nationalmuseums, Nuremberg 2005, ISBN 3-936688-07-9.
  • Wolfgang Maier-Preusker: Buch- und Mappenwerke mit Grafik des Deutschen Expressionismus. Begleitkatalog zur Ausstellung in der Hansestadt Wismar. Maier-Preusker, Viena, 2006, ISBN 3-900208-37-9.
  • Gesa Bartholomeyczik: Georg Tappert: Frauem 1910 – 1933. Hg. Verein August-Macke-Haus, Bonn 2008, ISBN 978-3-929607-55-7.

Referências