George Soros

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
George Soros
György Schwartz[1][2]
George Soros em 2018.
Conhecido(a) por Gerenciamento da Soros Fund Management
Fundador da Open Society Foundations
Aconselha o Quantum Fund
Nascimento 12 de agosto de 1930 (89 anos)
Budapeste, Hungria
Nacionalidade Hungria Húngaro
Estados Unidos Norte-Americano
Cônjuge Annaliese Witschak (c. 1960; div. 1983)
Susan Weber Soros (c. 1983; div. 2005)
Tamiko Bolton (c. 2013)
Filho(s) Robert, Andrea, Jonathan, Alexander e Gregory
Alma mater London School of Economics
Ocupação Empresário, investidor financeiro, filantropo
Filiação Partido Democrata
Página oficial
georgesoros.com

George Soros ( /ˈsɔːrs/ ou /ˈsɔːrɒs/; em húngaro: György Soros, pronunciado [ˈʃoroʃ ˈɟørɟ]; nascido como György Schwartz; Budapeste, 12 de agosto de 1930) é um investidor e filantropo húngaro-estadunidense.[3][4] Em fevereiro de 2018, ele tinha um patrimônio líquido de 8 bilhões de dólares,[5] tendo doado mais de 32 bilhões de dólares para sua agência filantrópica, a Open Society Foundation.[6]

Nascido em Budapeste, Soros sobreviveu à Hungria ocupada pela Alemanha Nazista e, após a Segunda Guerra Mundial, emigrou para o Reino Unido em 1947. Ele frequentou a London School of Economics, graduando-se em bacharelado e em mestrado em filosofia. Soros iniciou sua carreira comercial assumindo vários empregos em bancos comerciais no Reino Unido e depois nos Estados Unidos, antes de iniciar seu primeiro fundo de hedge, o Double Eagle, em 1969. Os lucros de seu primeiro fundo forneceram o dinheiro inicial para iniciar o Soros Fund Management, seu segundo fundo de hedge, em 1970. O Double Eagle foi renomeado para Quantum Fund e foi a principal empresa que Soros aconselhou. Na sua fundação, o Quantum Fund possuía 12 milhões de dólares em ativos sob gestão e, em 2011, possuía 25 bilhões de dólares, a maioria do patrimônio líquido geral de Soros.[7]

Soros é conhecido como "o homem que quebrou o Banco da Inglaterra" por causa de sua venda a descoberto de 10 bilhões de dólares em libras esterlinas, o que lhe rendeu um lucro de 1 bilhão de dólares durante a crise monetária do Reino Unido na "Quarta-Feira Negra" de 1992.[8] Com base em seus primeiros estudos de filosofia, Soros formulou uma aplicação da Teoria Geral da Reflexividade de Karl Popper para o mercado de capitais, que ele afirma render a ele uma imagem clara das bolhas de ativos e do valor fundamental/de mercado dos valores mobiliários, bem como das discrepâncias de valor usadas para reduzir e troca de ações.[9]

Soros é um conhecido apoiador de causas políticas progressistas e liberais, para as quais ele distribui doações por meio de sua fundação.[10] Entre 1979 e 2011, ele doou mais de 11 bilhões de dólares para várias causas filantrópicas;[11][12] até 2017, suas doações "em iniciativas civis para reduzir a pobreza e aumentar a transparência e em bolsas de estudo e universidades em todo o mundo" totalizaram 12 bilhões de dólares.[13] Ele influenciou o colapso do comunismo na Europa Oriental no final dos anos 1980 e início dos anos 1990[14] e forneceu uma das maiores doações ao ensino superior da Europa para a Universidade Centro-Europeia em sua cidade natal húngara.[15] Seu extenso financiamento de causas políticas fez dele um "alvo dos nacionalistas europeus".[16] Vários conservadores estadunidenses já promoveram falsas alegações que caracterizam Soros como um "mestre das marionetes" singularmente perigoso por trás de uma variedade de supostas conspirações globais, sendo que o The New York Times relatou em 2018 que essas alegações haviam "mudado da periferia para a corrente principal" da política do Partido Republicano.[17] As teorias da conspiração dirigidas a Soros, que é descendente de judeus, têm sido frequentemente descritas como antissemitas.[18]

Ver também

Referências

  1. Chapman, Roger; Ciment, James. Culture Wars: An Encyclopedia of Issues, Viewpoints and Voices (em inglês). [S.l.]: Routledge. p. 617. ISBN 9781317473510. Consultado em 7 de novembro de 2016 
  2. Kaufman, Michael T. Soros: The Life and Times of a Messianic Billionaire (em inglês). [S.l.]: Knopf. pp. 18, 23. ISBN 9780375405853. Consultado em 7 de novembro de 2016 
  3. «The incredible life of billionaire investing legend George Soros». Business Insider (em inglês). Consultado em 2 de fevereiro de 2017 
  4. Zuckerman, Gregory (9 de junho de 2016). «A Bearish George Soros Is Trading Again». The Wall Street Journal. ISSN 0099-9660. Consultado em 2 de fevereiro de 2017 
  5. «Bloomberg Billionaires». Bloomberg.com. Consultado em 6 de fevereiro de 2015  Note that this site is updated daily.
  6. «George Soros». Open Society Foundations (em inglês). Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  7. Ungeheuer, Frederick (4 de maio de 1987). «George Soros: World's Champion Bull Rider». TIME. ISSN 0040-781X. Consultado em 2 de fevereiro de 2017 
  8. Ferguson, Niall; Schlefer, Jonathan (9 de setembro de 2009). «Who Broke the Bank of England?». Harvard Business School BGIE Unit Case No. 709-026. SSRN 1485674Acessível livremente 
  9. Open Society Foundations (11 de outubro de 2010), George Soros Lecture Series: Financial Markets, consultado em 2 de fevereiro de 2017 
  10. Shawcross, William (September 1, 1997). "Turning Dollars into Change". Time.
  11. «Philanthropy vs. Tyranny: Inside the Open Society Foundations' Biggest Battle Yet». Inside Philanthropy 
  12. Gershowitz, Martin (4 de outubro de 2013). «George Soros Gets Hitched for Third Time». Jewish Voice 
  13. «George Soros: Hungarian government posters 'anti-Semitic'». BBC.com. 11 de julho de 2017. Consultado em 11 de julho de 2017 
  14. Murphy, Brendan (Julho de 1993). «Finance: The Unifying Theme». The Atlantic. ISSN 1072-7825 
  15. "Hungary: Soros Donates $250 Million to University in Budapest". IPR Strategic Business Information Database. Info Prod Research. 16 de outubro de 2001.
  16. «A veto gives the rule of law in Poland a reprieve». The Economist. 28 de julho de 2017. Consultado em 28 de julho de 2017 
  17. «How Vilification of George Soros Moved From the Fringes to the Mainstream». Consultado em 1 de novembro de 2018 
  18. Finkelstein, Daniel (14 de fevereiro de 2018). «George Soros and the roots of antisemitism». The Times. Consultado em 3 de maio de 2018 

Bibliografia

  • Soros: The Life and Times of a Messianic Billionaire por Michael T. Kaufman (Alfred A. Knopf, 2002) ISBN 978-0-375-40585-3
  • Soros: The World's Most Influential Investor por Robert Slater (McGraw-Hill Professional, 2009) ISBN 978-0-07-160844-2

Ligações externas

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: George Soros
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre George Soros