Georges Feydeau

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Georges Feydeau
Nome nativo Georges Léon Jules Marie Feydeau
Nascimento 8 de dezembro de 1862
Paris
Morte 5 de junho de 1921 (58 anos)
Rueil-Malmaison
Cidadania Terceira República Francesa
Ocupação dramaturgo, escritor
George Feydeau-La Dame.jpg

Georges Léon Jules Marie Feydeau (8 de dezembro de 18625 de junho de 1921) foi um dramaturgo francês. Ficou particularmente famoso como autor de vaudeville.

Feydeau nasceu em Paris, filho do romancista Ernest-Aimé Feydeau e de Léocadie Bogaslawa Zalewska. Aos 20 anos, ele escreveu seu primeiro monólogo cômico. Quatro anos depois, ele escreveu Tailleur pour dames . Naquele mesmo ano, casou-se com Marianne Carolus-Duran, filha do famoso pintor Carolus-Duran . O casamento garantiu a estabilidade econômica para Feydeau escrever suas obras. No entanto, após 15 anos, o casal se divorciou em 1916.

Feydeau ficou interessado em farsas em 1890, estudando as obras de Eugène Labiche , Henri Meilhac e Alfred Hennequin. Esses artistas o inspiraram a escrever sua obra bem sucedida Champignol malgré lui (1892). Após a estréia deste trabalho, Feydeau ganhou fama a nível nacional e internacional e até mesmo algumas de suas obras foram lançadas no exterior em outras línguas antes de serem apresentadas na França.

Feydeau escreveu mais de 60 trabalhos. Entre os mais famosos são: La Puce à l'Oreille (1907), Cuide de Amelia (1908), O sistema Ribadier (1892), La Dame de chez Maxim (1899) e Hortense a dit: "Je m'en fous! " (1916). 1 Da mesma forma, suas farsas L'Hôtel du libre échange (1894) e Le Dindon (1896) também eram populares.

Embora muitos críticos da época considerassem que suas obras eram entretenimento leve, Feydeau é reconhecido como um dos grandes dramaturgos franceses. Suas obras influenciaram os movimentos surrealistas e Dadaísta e o teatro do absurdo .

Apesar de seu sucesso como dramaturgo, seu alto estilo de vida, jogos de azar e o fracasso de seu casamento causaram grandes problemas econômicos. Durante o inverno de 1918, Feydeau contraiu sífilis . Ele morreu três anos depois, aos 58 anos e foi enterrado no Cemitério de Montmartre.

Peças de teatro[editar | editar código-fonte]

Monólogos[editar | editar código-fonte]

  • La Petite Révoltée
  • Le Mouchoir
  • Un coup de tête
  • J'ai mal aux dents
  • Trop Vieux
  • Un monsieur qui n'aime pas les monologues
  • Aux antipodes
  • Patte en l'air
  • Le Petit Ménage
  • Le Potache
  • Le Billet de mille
  • Les Célèbres
  • Le Volontaire
  • Le Colis
  • Les Réformes
  • L'Homme économe
  • L'Homme intègre
  • Les Enfants
  • Tout à Brown-Séquard !
  • Le Juré
  • Un monsieur qui est condamné à mort
  • Complainte du pauv'propriétaire

Peças inéditas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Georges Feydeau
Wikisource
O Wikisource contém fontes primárias relacionadas com Georges Feydeau