Gerações roubadas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Um retrato fictício intitulado The Taking of the Children de Chris Cook.

As gerações roubadas, também conhecidas como as crianças roubadas, é um termo usado para descrever os filhos dos aborígenes australianos e descendentes das Ilhas do Estreito de Torres, que foram removidos de suas famílias pela federação australiana, agências do Governo do Estado e missões de igrejas, sob atos de seus respectivos parlamentos. As remoções ocorreram no período de um século (1869 - 1969), embora em alguns lugares as crianças continuaram sendo tomadas na década de 1970, como em Victoria.[1][2][3][4]

Referências

  1. Marten, J.A., (2002), Children and war, NYU Press, New York, p. 229 ISBN 0814756670.
  2. Australian Museum (2004). «Indigenous Australia: Family Life». Consultado em 28 de março de 2008. Arquivado do original em 18 de novembro de 2000 
  3. Read, Peter (1981). The Stolen Generations: The Removal of Aboriginal children in New South Wales 1883 to 1969 (PDF). [S.l.]: Department of Aboriginal Affairs (New South Wales government). ISBN 0-646-46221-0. Consultado em 20 de agosto de 2010. Arquivado do original (PDF) em 9 de abril de 2012 
  4. Bringing Them Home: "Victoria" Arquivado em 10 de agosto de 2008, no Wayback Machine..
Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um(a) historiador(a) é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.