Gessy Fonseca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde março de 2017).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde Julho de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Gessy Fonseca
Nascimento 13 de março de 1924 (93 anos)
São Paulo,  São Paulo
Ocupação Atriz
Dubladora
Cônjuge Luis Antônio Berger (1962-1964) e Hélio Porto (1965-1976)
IMDb: (inglês)

Gessy Fonseca (São Paulo, 13 de março de 1924) é uma atriz e dubladora brasileira.[1][2] Em 2014, era a dubladora mais antiga do Brasil, com 90 anos.[3][4]

Iniciou sua carreira em 1941 na Rádio Record em rádioteatro com Octávio Gabus Mendes e Manoel Durães. De 1947 a 1956 trabalhou na Rádio Bandeirantes.

Recebeu o Prêmio Roquete Pinto, em 1955.

Em 1956 trabalhou na Rádio Nacional do Rio de Janeiro fazendo radionovelas. Em 1958 foi para a Rádio e TV Record, e Rádio São Paulo, fazendo radionovelas e telenovelas. Foi a Dona Lola na primeira versão de Éramos Seis, em 1962, recebendo o prêmio de Melhor Atriz. Também participou como atriz coadjuvante no seriado infantil A Turma dos Sete por mais de um ano.

Iniciou-se em dublagem em 1961, e hoje, com 92 anos, ainda trabalha diariamente nessa área. Participou da dublagem de "Caiçara", o primeiro filme nacional dublado, sob direção do italiano Adolfo Celi. Dublou, entre outros, a Mulher Gato no seriado Batman e a Tia May do Homem-Aranha.

Participou de novelas na Globo ("Fogo sobre Terra", no papel de Celeste Gonzaga, suposta mãe da personagem de Regina Duarte)[5], SBT ("Meus filhos, minha vida"),[6] e Bandeirantes ("O Todo-Poderoso")[7].

Participou do filme Mulher Desejada, de 1978, no papel de uma das mulheres que agridem a protagonista, Luíza (Kate Hansen) na sessão de psicoterapia em grupo.[8]

Recentemente participou dos curtas-metragens Avós, de Michael Wahrmann, Duas Vidas para Antônio Espinosa, de Caio D'Andrea e Velharia, de Andreia Fischer.

Uma placa em homenagem aos seus 60 anos de trabalhos ininterruptos está atualmente no saguão do Theatro São Pedro, em São Paulo.

De 2012 a 2016 fez a voz original da Dona Benta no Sítio do Picapau Amarelo.[9]

Referências

  1. «Gessy Fonseca». www.museudatv.com.br. Consultado em 10 de março de 2017 
  2. Todo Seu (6 de maio de 2011), Todo Seu - Grandes Mulheres: Gessy Fonseca (06/05/11), consultado em 10 de março de 2017 
  3. «Gessy Fonseca, a dubladora mais antiga do Brasil, faz 90 anos». mais.uol.com.br. Consultado em 10 de março de 2017 
  4. «Gessy Fonseca, a dama da voz - VilaMulher». VilaMulher 
  5. «Dramaturgia > Novelas > Fogo sobre Terra». Memória Globo. Consultado em 25 de agosto de 2012 
  6. «Meus Filhos, Minha Vida (1984)». Teledramaturgia 
  7. «O Todo Poderoso». Teledramaturgia 
  8. Cinemateca Brasileira, Mulher Desejada [em linha]
  9. «Sítio do Picapau Amarelo ganha sua versão em desenho». CARAS. 21 de dezembro de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.