Gestão integrada de resíduos sólidos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Central de incineração de Viena.

A Gestão Integrada de Resíduos Sólidos é um conjunto de metodologias com vista a redução não só da produção e eliminação de resíduos, como do melhor acompanhamento durante todo o seu ciclo produtivo.[1] [2] Tem como finalidade reduzir a produção de resíduos na origem, gerir a produção dos mesmos no sentido de atingir um equilíbrio entre a necessidade de produção de resíduos, e o seu Impacto ambiental. É uma gestão transversal a todo o ciclo, o qual analisa de maneira Holística.[1] [3]

Redução na Origem[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Redução na fonte

A redução na origem ou redução na fonte é o objectivo de um conjunto de políticas e estratégias que visam a uma mudança na concepção, transformação, movimentação ou utilização de produtos ou substâncias, com o intuito de reduzir a quantidade de matérias primas ou subprodutos, diminuindo assim quer a necessidade de exploração de recursos naturais, como a redução de resíduos intermédios ou a toxicidade dos mesmos assério[necessário esclarecer].[4]

Reciclagem[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Reciclagem

A reciclagem é um processo de tratamento de resíduos, que permite a sua reintrodução no ciclo produtivo, reduzindo assim a quantidade de matérias-primas necessárias, tal como o volume de resíduos a serem depositados em aterros sanitários.

Incineração[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Incineração

A Incineração é um processo de eliminação de resíduos sólidos, que consiste na queima dos mesmos em unidades especiais, permitindo assim a redução do seu volume, com emissões gasosas controladas, possibilitando o aproveitamento de energia, com descarte das cinzas de queima em aterros controlado.

Aterro Sanitário[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Aterro sanitário

Um aterro sanitário é um espaço destinado à deposição final de resíduos sólidos. Os aterros de última geração permitem um confinamento seguro e económico de resíduos que apresentem um grande volume de produção. Leva-se a um aterro sanitário apenas o rejeitoː os resíduos sólidos devem ser levados de preferência a uma cooperativa de recicladores de acordo com a Lei Federal Brasileira nº 12 305/2010 e seu decreto nº 7 404/2010. A expressão "lixo" não deve ser mais utilizada, pois, no lixo, há resíduos que podem ser reutilizados, reciclados, gerando renda a outras pessoas e matéria-prima para as indústrias.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «lixo.com.br - Gestão Integrada de Resíduos». www.lixo.com.br. Consultado em 01 de Março de 2010. 
  2. «Gestão de Resíduos Sólidos». www.confagri.pt. Consultado em 01 de Março de 2010. 
  3. Tchobanoglous, G et all (1993). Integrated Solid Waste Management:. Engineering Principles and Management Issues (em inglês) 4ª edição internacional ed. (Nova Iorque: Metcalf& Eddy, Inc.). p. 992. ISBN 978-0070632370. 
  4. «Gerenciamento de resíduos sólidos». homologa.ambiente.sp.gov.br. Consultado em 2009-06-26. 

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

  • TCHOBANOGLOUS, G.; et al. Solid Waste (em Portugês) McGraw-Hill [S.l.] 
  • Waste Treatment Industries. Reference Document on The Best Available Techniques (em inglês) IPCC [S.l.] 2006. 
  • Waste Incineration. Reference Document on The Best Available Techniques (em inglês) IPCC [S.l.] 2006. 
  • Regime Geral de Gestão de Resíduos e respectiva alteração