Gian Danton

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Gian Danton, pseudônimo de Ivan Carlo Andrade de Oliveira (Lavras, 1971) é um escritor e roteirista brasileiro de histórias em quadrinhos, além de professor da Universidade Federal do Amapá.


Biografia[editar | editar código-fonte]

Começou a escrever quadrinhos com a história Floresta Negra, desenhada por Bené Nascimento (Joe Bennett) e publicada na revista Calafrio da Editora D-Arte. Publicou em diversas editoras, como ICEA, Nova Sampa, Metal Pesado, pela estadunidense Fantagraphics Books[1] e pela britânica Print Media Productions.

Em 1991 ganhou o prêmio Araxá como melhor roteirista. Seu trabalho mais conhecido na área de quadrinhos foi a graphic novel Manticore, que contava a história do chupa-cabra com clara influência do seriado Arquivo X e dos escritores estadunidenses de ficção científica.[2] Essa revista ganhou os prêmios Angelo Agostini, HQ Mix e Associação Brasileira de Arte Fantástica.[3]

Em 1997, foi um dos criados do herói O Gralha, ao lado de Alessandro Dutra, José Aguiar, Antônio Éder, Luciano Lagares, Tako X, Edson Kohatsu, Augusto Freitas e Nilson Müller,[4] o herói foi publicado na revista Metal Pesado (uma revista inspirada nas revistas Heavy Metal e Métal Hurlant), em uma página semanal no caderno Fun do jornal paranaense Gazeta do Povo, na revista Metal Pesado[5] e na revista Wizard,[6] na época da criação, os autores declaram que ele foi criado para homenagear um obscuro personagem curitibano, o Capitão Gralha, criado por Francisco Iwerten na década de 1940, Iwerten chegou a ser premiado no Prêmio Angelo Agostini de 2006 na categoria Mestre do Quadrinho Nacionalem 2015, os autores declararam que a história do Capitão Gralha era falsa e foi criada para promover O Gralha.[nota 1][9] Com a revelação que Iwerten nunca existiu, a AQC-ESP, responsável pelo Prêmio Angelo Agostini, retirou a nomeação do suposto quadrinhista.[10]

Foi autor do texto do álbum Histórias de Guerra, com desenhos do veterano Eugênio Colonnese, pela editora Opera Graphica.[11] É autor de diversos livros técnicos nas áreas de comunicação e metodologia científica e das novelas O Anjo da Morte e Spaceballs (editora Hiperespaço) e do livro infantil Os Gatos (Editora Módulo). Tem também se dedicado ao estudo das histórias em quadrinhos, com os livros Watchmen e a teoria do caos (Marca de Fantasia)[12], Ciência e quadrinhos (Marca de Fantasia) e Roteiro para quadrinhos (Popmídia). [1]

Danton criou em parceria com o desenhista Jean Okada a webcomic de ficção científica, do gênero space opera Exploradores do Desconhecido.[13]

Desde 2001 é colunista do site Digestivo Cultura, Em 2006, Gian e o quadrinista Leo Santana criaram o blog colaborativo "Baú da Grafipar", sobre a editora paranaense Grafipar[14]. Também é autor do blog Roteiro de quadrinhos, que traz exemplos de roteiros e textos sobre a arte de escrever roteiros para histórias em quadrinhos. Atualmente, Gian Danton é colaborador da revista MAD[15] e de revistas da Escala Educacional, como a Conhecimento Prático Literatura e Conhecimento Prático Filosofia. Além de publicações oficiais, Danton colabora com fanzines. Em 2007, publica dois romances da Clássicos da Literatura Juvenil da Editora Minuano:"Robin Hood - O Justiceiro da Floresta" e "Ben-Hur" - O Guerreiro Libertador", ambos com capas de Gilvan Lira e ilustrações de Luiz Saidenberg.[16]

  • Em 2010, seu conto "Casamento" venceu o I Concurso de Crônicas e Contos, organizado pela Editora Geração[17], no mesmo ano ao lado do quadrinista cearense JJ Marreiro, Gian criou uma história do Astronauta para o álbum MSP+50, livro em homenagem aos 50 anos de carreira de Mauricio de Sousa[18], Marreiro também ilustra uma novela de Exploradores do Desconhecido chamada Amanhã é Ontem, publicada no formato e-book no site oficial,[19] logo em seguida, lança pela editora Marca de Fantasia o livro O Roteiro nas Histórias em Quadrinhos.

Em 2011, um conto baseado em Exploradores do Desconhecido foi publicado na revista independente Space Opera 2 publicada pele coletivo Jupiter II.. Também em 2011 participou da coletânea Espectra (ed. Literata) e foi selecionado para as coletâneas Metamoforse II (ed. Literata), Deuses (ed. Infinitum) e PsyVamp (ed. Infinitum), além roteirizar histórias de Didi & Lili - Geração Mangá[20]. Em Outubro de 2012, lançou o livro A Face do Leviatã pela editora Livrorama[21] e o livro Grafipar: A Editora Que Saiu do Eixo pela Editoral Kalaco[22]. Em 2013, publica quatro livros para Kindle: Parallela Mundi vol 1 – O Homem que caiu do Céu, Piratas e Outros Contos (e-book grátis)[23], e Curso de roteiro para histórias em quadrinhos, todos pela editora Navras[24], no mesmo tem a história quadrinhos A Turma da Tribo desenhada por Ricardo Manhães, selecionada pelo Edital de literatura Simãozinho Sonhador, promovido pela Secretaria de Cultura do Estado do Amapá[25], em 2014, a dupla foi convidada pelo jornalista belga Lionel Flips para participar de uma homenagem a Asterix, ambos fizeram uma história onde a Turma da Tribo se encontra com Asterix e os gauleses[26], no mesmo ano, a editora Opera Graphica lança o álbum A Insólita Família Titã, uma série criada nos anos 90, em parceria com Joe Bennett para revistas eróticas da Editora Sampa, o grupo a Família Titã foi criado pela dupla para homenagear a Família Marvel[27]. Histórias do grupo também foram publicadas no formato e-book e disponibilizado no site da Editora Nona Arte[28]. Foi contratado para roteirizar histórias do herói britânico Dan Dare para a revista Strip Magazine da Print Media Productions, contudo, a revista foi cancelada e a história não foi publicada. Em 2015, publica pela Marca de Fantasia o livro "Como escrever quadrinhos".[29] Em 1.º de abril (dia da mentira) de 2016, a Editora Quadrinhópole lança o álbum As Histórias Perdidas do Capitão Gralha, roteirizadas por Leonardo Melo, Gian Danton, JJ Marreiro e Antonio Eder e ilustradas por JJ Marreiro, Rui Silveira, Daniel Mallzhen, Edson Kohatsu, Mozart Couto, Giuliano Peratelli, Adauto Silva, Antonio Eder e Márcio Freire.[9] No mesmo ano, publica Francisco Iwerten – biografia de uma lenda, co-escrito por Antonio Eder.[30]

Notas

  1. Em 2000, a Marvel Comics faria algo similar com o herói Sentinela, seu criador, Paul Jenkins havia dito que esse era um personagem esquecido criado por Stan Lee e Artie Rosen, porém tudo não passou de uma campanha de marketing criada para promover o próprio personagem, um outro exemplo veio do escritor Michael Chabon, que em publicou em 2000, o livro The Amazing Adventures of Kavalier and Clay sobre uma dupla da Era de Ouro que supostamente teriam criado o herói Escapist, que posteriormente, ganharia uma série em quadrinhos pela Dark Horse Comics.[7][8]

Referências

  1. a b «Gian Danton lança livro sobre roteiro de HQs». HQManiacs. 12 de janeiro de 2009. Consultado em 28 de maio de 2010 
  2. Eloyr Pacheco (7 de fevereiro de 2009). «Entrevista: Gian Danton». Bigorna.net. Consultado em 28 de maio de 2010 
  3. José Aguiar (19 de Julho de 2000). «MANTICORE - uma HQ independente que ( quase ) deu certo!». Omelete. Consultado em 28 de maio de 2010 
  4. Thiago Colás (20 de maio de 2015). «Artbook do Gralha no Catarse». HQManiacs 
  5. Sandro Moser (21 de fevereiro de 2015). «O Gralha volta após uma década». Gazeta do Povo 
  6. Leonardo Buddy Baker (23 de fevereiro de 2005). «O Gralha na Wizard». HQManiacs 
  7. HQs tatuaram minha alma, diz Chabon
  8. Devir lança Os Escapistas, por Brian K. Vaughan
  9. a b Marcelo Naranjo (1 de abril de 2016). «Editora Quadrinhópole lança coletânea com as obras perdidas do Capitão Gralha». Universo HQ 
  10. (27/02/2015)Retratação na categoria Mestre do Quadrinho Nacional de 2006
  11. «Histórias de Guerra traz o talento de Eugênio Colonnese». Universo HQ. 3 de novembro de 2003. Consultado em 28 de maio de 2010 
  12. Carol Assis (27 de maio de 2006). «'Watchmen e a Teoria do Caos' Macapá, AP». Overmundo. Consultado em 28 de maio de 2010 
  13. Andréa Pereira sobre release (12 de setembro de 2008). «Gian Danton e Jean Okada exploram o desconhecido». HQManiacs 
  14. Marcus Ramone (31 de julho de 2006). «Baú da Grafipar: blog relembra a editora». Universo HQ 
  15. Marcelo Naranjo (26 de abril de 2010). «Alice está em apuros na Mad 25». Universo HQ. Consultado em 28 de maio de 2010 
  16. Eloyr Pacheco (25 de maio de 2007). «Clássicos da Literatura Juvenil: Robin Hood e Ben-Hur, de Gian Danton». Bigorna.net 
  17. Marcelo Naranjo (1 de julho de 2010). «Gian Danton ganha concurso literário». Universo HQ 
  18. Marcus Ramone (10 de março de 2010). «Divulgados os artistas do álbum MSP + 50». Universo HQ 
  19. Novidades nos Exploradores do Desconhecido
  20. Cássio Peixoto. «Didi & Lili - Geração Mangá #10». Universo HQ 
  21. Thiago Colás (3 de outubro de 2012). «A Face do Leviatã: novo livro de Gian Danton». HQManiacs 
  22. Thiago Colás (16 de outubro de 2012). «Gian Danton conta a história da Grafipar». HQManiacs 
  23. «Gian Danton». Navras Digital 
  24. «Curso de Roteiros para histórias em quadrinhos (Portuguese Editon) [Kindle Edition]». Amazon.com 
  25. Samir Naliato (6 de agosto de 2013). «Edital de literatura seleciona HQ de Gian Danton e Ricardo Manhães». Universo HQ 
  26. Sérgio Codespoti (14 março de 2014). «Home / Notícias / Ricardo Manhães e Gian Danton participam de homenagem a AsterixRicardo Manhães e Gian Danton participam de homenagem a Asterix». UniversoHQ 
  27. Marcelo Naranjo. «Gian Danton comenta A Insólita Família Titã, álbum da Opera Graphica» 
  28. press release (08 de Maio de 2003). «Novidades da Nona Arte». Omelete  Verifique data em: |data= (ajuda)
  29. Marcelo Naranjo (8 de maio de 2015). «Gian Danton lança o livro Como escrever quadrinhos». Universo HQ 
  30. Biografia do criador do Capitão Gralha em pré-venda

Ligações externas[editar | editar código-fonte]